Alimentando Vidas

certificada 2011

Instituição
Secretaria de Saúde de Itaiçaba
Endereço
Coronel João Correia 298 - Centro - Itaiçaba/CE
E-mail
ssitaicaba@yahoo.com.br
Telefone
(88) 9215-8975
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Florinda Karla Fernandes Rodrigues(88) 8892-2979florindakarla@yahoo.com.br88 92297921
Francisca Josiane Barros Pereira(88) 9215-8975ssitaicaba@yahoo.com.br
Genilse Oliveira Monteiro Pereira(88) 9215-8975genilsep@yahoo.com.br
Resumo da Tecnologia

O Kit Bebê e as oficinas educativas promovem atividades de educação em saúde com ênfase no aleitamento materno no pré-natal, buscando garantir qualidade de vida para as gestantes e seus bebês.*{ods2},{ods3},{ods5}*

Tema Principal

Saúde

Tema Secundário

Alimentação

Problema Solucionado

O aleitamento materno é a forma de alimentação mais antiga e eficiente da espécie humana. No Brasil, apesar das recomendações das Nações Unidas e dos compromissos e metas de políticas e programas de governo, o desmame precoce continua sendo um grave problema de saúde. Apesar da taxa de mortalidade infantil no Brasil ter caído nos últimos 20 anos, o índice de desnutrição infantil, as internações por diarréias e a participação das gestantes no pré-natal ainda são um desafio frente a necessidade de acompanhamento do bebê e das gestantes para a prevenção de problemas relacionados ao parto, ao pós-parto e à desnutrição infantil.

Objetivo Geral

Desenvolver o Kit Bebê e promover oficinas educativas em saúde com ênfase no aleitamento materno exclusivo até o sexto mês no pré-natal a fim de propiciar saúde para a mãe e seu bebê.

Objetivo Específico

- Formar um grupo de gestantes para realização das práticas educativas; - Formar o grupo de avós e pais para realização das práticas educativas; - Criar estratégias de captação das gestantes para a participação nas atividades educativas; - Promover a inclusão das gestantes nos programas sociais; - Criar no hospital um ambiente visual que favoreça a amamentação; - Fixar no alojamento conjunto e entregar para mãe os dez passos para o sucesso da amamentação; - Diminuir o numero de internações por diarréias; - Diminuir os desnutridos menores de dois anos; - Diminuir óbito infantil e neonatal; - Diminuir óbito materno.

Solução Adotada

O Kit Bebê (fraldas, remédios, cadernos e folhetos informativos, etc.) e as oficinas educativas buscam conscientizar as gestantes durante o pré-natal sobre a importância da amamentação do bebê até os seis meses. Ademais, buscam conscientizar sobre o registro de nascimento, os principais sinais de parto e os principais cuidados com os recém-nascidos e imunização. A gestante é acompanhada desde o primeiro mês de gravidez e tem a possibilidade de realizar todos os exames necessários para garantir a sua saúde e a do bebê. São oferecidos serviços de ginecologia, obstetrícia e ultrassonografia para auxiliar na prevenção de riscos para o bebê e a mãe. Para evitar a obesidade, as gestantes também recebem acompanhamento nutricional e fazem aulas de hidroginástica. Além dos cuidados clínicos, a equipe de saúde mantém a Casa da Gestante, um local equipado com profissionais preparados. Também são realizados seminários para as gestantes e seus companheiros, que tratam do parto, do aleitamento materno e dos cuidados com a higiene da mãe e do bebê. Os profissionais de saúde também são capacitados para que o cadastro da gestante ocorra no primeiro trimestre e que sua participação nas oficinas ocorra. Para isso, são reconhecidos como sujeitos de intervenção os pais e os avós. Os encontros das oficinas são mensais. Os procedimentos de intervenção são: a primeira consulta de pré-natal será realizada pela enfermagem. É assegurada a gestante todos os exames e é agendada a consulta odontológica e o retorno com sete dias na unidade para avaliação médica. A gestante é convidada a participar das oficinas para gestantes. A segunda consulta é com o médico e este reforça a importância da ação preventiva e imunizadora. A oficina é agendada no cartão da gestante e a consulta odontológica é realizada. A gestante é estimulada a participar da hidroginástica para gestantes ou caminhada pelo educador físico do município. As consultas médicas e de enfermagem da gestante serão checadas mês a mês pelo o agente comunitário de saúde através do cartão e da conversa informal durante as visitas domiciliares. As gestantes que apresentarem alterações no pré-natal terão atendimento diferenciado. Se a gestante apresentar desnutrição será acompanhada pela nutricionista e cadastrada nos programas Leite Fome Zero, a qual receberá um litro de leite dia durante o pré-natal e uma cesta básica mês durante o pré-natal até os seis meses após o parto para aquelas que estiverem em aleitamento materno exclusivo. As visitas pelo agente comunitário também passam a ser mais freqüente. Nesse estágio, a mãe sabe que a humanização faz parte da assistência, que o parto normal é mais seguro para ela e para o bebê, etc. Os temas abordados nos seminários do primeiro, segundo terceiro e trimestre de gestação são: acolhimento, momento em que é visualizado as fases do desenvolvimento fetal; sintomas e sensações na gestante; a amamentação como a maior prova de amor; a importância da amamentação para dentição; a importância do exercício físico na gestação; os sinais de alerta; o que a mamãe não pode esquecer na mala do bebê; visita a sala de parto; licença maternidade de seis meses, etc.

Resultado Alcançado

Os resultados alcançados foram: - Menos problemas de internações por diarréias e pneumonias; - Menor índice de desnutrição; - Maior acompanhamento da saúde bucal das gestantes e acompanhamento precoce da saúde bucal das crianças; - Aumento na permanência de aleitamento materno exclusivo de 78% aos quatro meses; - Permanência da taxa de zero mortalidade materna (há mais de dez anos); - Recuperação da auto-estima da mulher; - Maior adesão ao parto normal; - Grande adesão dos funcionários ao projeto; - Participação crescente das gestantes no pré-natal; - Aumento da auto-estima do hospital e do funcionário; - Maior adesão dos familiares a ajudar manter a prática do aleitamento materno; - Valorização da própria comunidade pelos serviços de pré-natal oferecido no município; - Registro e vacinação das crianças em dia já que a mãe assume compromisso; - Uma maior qualificação e humanização da assistência; - Reconhecimento do título Hospital Amigo da criança; - Reconhecimento do prêmio ODM Brasil divulgado em abril de 2008; - Município Tetracampeão do selo UNICEF.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Itaiçaba / Cearácentro e zona rural01/2003
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Gestantes
Quantidade: 90
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Médico1
Enfermeiro (a)1
Cirurgião-dentista1
Mobilizador social1
Educador físico1
Agente de saúde1
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Em relação a recursos humanos, são necessários os profissionais que já trabalham na atenção básica visitando as famílias, médico, enfermeiros, dentistas, agentes de saúde, educador físico e mobilizadora social. Para a reaplicação do kit bebê e das oficinas, são necessários recursos audiovisuais, espaço para a prática, bonecas, folder confeccionado para cada trimestre de gestação e lanches.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

O valor de uma unidade da tecnologia implementada será contabilizado a partir da contratação de um médico, uma enfermeira, um cirurgião dentista, uma mobilizadora social, um educador físico e de alguns impressos, material administrativo e lanche para os encontros mensais. O valor é de cerca de R$ 20 mil por mês.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Ministério da SaúdeAgentes do Programa Saúde da Família
Impacto Ambiental

A prática gera menos bicos e mamadeiras contaminando o meio ambiente, por causa do aleitamento materno, gera menos internações por diarréias, otites e pneumonias e, portanto, menos fraldas descartáveis, material hospitalar e frasco de medicamentos e sacolas.

Forma de Acompanhamento

O acompanhamento se dá pelo número de Kits Bebês entregues e participação de gestantes nas oficinas. Outra forma de acompanhamento indireto é pelo índice de parto normal, pela duração do aleitamento materno (registrado pelo agente comunitário), pelo índice de natalidade e de mortalidade infantil e materna e pelas visitas domiciliares.

Forma de Transferência

A estratégia de transferência conta com vídeos, fotos, boletins e cartilhas informativas e um curso que acontece através de três seminários respectivos para cada trimestre de gestação para as gestantes e acompanhantes que geralmente são as avós, e um seminário para os pais.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Programas destacados pelo IPEABaixar
Estudo sobre aleitamentoBaixar
Video 1download
Video 2download
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

Algumas lições aprendidas com as oficinas: - Os tabus e crenças ainda estão bem presente; - Os seminários com os pais fizeram com quer eles se tornassem nosso maior aliado no domicílio para o aleitamento materno; - Os seminários com as gestantes aproximaram a equipe da família; - Os seminários favoreceu um conhecimento da anatomia do corpo da gestante, tornando-as mais seguras para o parto; - A educação em saúde é fundamental para mudança de comportamento; - O ato de amamentar é nato , mas, a manutenção da amamentação pode ser mantida pelo aprendizado; - A Atenção Primária e a Secundária precisam estar juntas.Uma ação completa a outra; - A visita a maternidade pelas gestantes e acompanhantes fortaleceu para escolha do parto normal.