Aprender e Crescer - Cursos para Qualificação de Jovens em Tecnologia

certificada 2011

Instituição
Associação Para o Desenvolvimento Tecnológico e Industrial do Sudoeste do Paraná
Endereço
Rua do Comércio, 659 - centro - Dois Vizinhos/PR
E-mail
sudotec@sudotec.org.br
Telefone
(46) 3536-6281
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Daniela Fátima Tremea(46) 3536-6281sudotec@sudotec.org.br
Gilson Antonio Tedesco(46) 9976-0034sudotec@sudotec.org.br
Marcos Leandro Nonemacher(46) 9911-9029marcos@ciss.com.br
Resumo da Tecnologia

O Aprender & Crescer, criado em 2006, é um agente de qualificação profissional tecnológico, capacitando jovens, difundindo o empreendedorismo e promovendo o aumento de renda. Suas ações possibilitam diminuição do déficit de profissionais qualificados, oferecendo formação em contraturno escolar.*{ods1},{ods4},{ods8},{ods10}*

Tema Principal

Educação

Tema Secundário

Renda

Problema Solucionado

A Região Sudoeste do Paraná é reconhecida nacionalmente com polo do setor de desenvolvimento de software, dada a grande concentração de empresas especializadas em tecnologia nesta região. Além disso, desde 2007, a região conta com benefícios fiscais para atividades de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), tendo uma redução na tributação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS). Tal incentivo se tornou um importante atrativo para novas empresas. O beneficio compreende os municípios de Pato Branco, Dois Vizinhos e Francisco Beltrão, onde o déficit de profissionais qualificados na área tecnológica é grande. Com o objetivo de diminuir esse déficit de profissionais qualificados, a instituição (reconhecida como OSCIP em 2005) criou, em 2006, o projeto Aprender e Crescer, que oferece qualificação gratuita à jovens, maiores de 16 anos, a fim de promover sua inserção no mercado de trabalho e o aumento da renda familiar. O Projeto é desenvolvido em parceria com a Prefeitura Municipal, empresas de tecnologia, Núcleo Regional de Educação, Secretaria Municipal de Educação e instituições de Ensino Superior.

Objetivo Geral

Promover, de forma gratuita, qualificação profissional na área tecnológica e diminuir o déficit de profissionais qualificados na região Sudoeste do Paraná.

Objetivo Específico

- Promover gratuitamente cursos de qualificação profissional na área tecnológica; - Eliminar o déficit de profissionais qualificados no setor de TIC na região sudoeste do Paraná; - Disponibilizar, no contraturno escolar, uma opção de qualificação profissional aos jovens; - Proporcionar a geração de mais emprego e a elevação da renda; - Ampliar competências e habilidades individuais e aproximar os alunos participantes da realidade empresarial.

Solução Adotada

Em busca da redução no déficit de profissionais qualificados e pela alavancagem do nível de conhecimento dos jovens, a SUDOTEC criou, em 2006, o Projeto Aprender & Crescer. Este projeto, desde sua primeira edição, sempre contou com o apoio da comunidade, empresários, professores e governantes. Atualmente estão sendo desenvolvidas a sétima edição do projeto no Município de Dois Vizinhos, a terceira no Município de Pato Branco e a primeira no Município de Francisco Beltrão. A realização do projeto em outros municípios se dá por meio de parcerias com a APL de TI. Participam do projeto alunos frequentadores do segundo grau, cursos técnicos, faculdade ou que já tenham concluído algum desses. Para participar, o aluno deve completar 16 anos de idade. Atualmente estão disponíveis dois módulos de cursos: Programação e Gestão de Negócios. A execução do projeto compreende quatro etapas: - 1) Seleção: nesta etapa os alunos passam por um processo semelhante a um vestibular, realizando uma prova online com perguntas de português, matemática, informática, raciocínio lógico, atualidades e redação. Os alunos são classificados de acordo com as notas obtidas e definem qual dos módulos têm interesse em participar, levando em consideração seu perfil e habilidades individuais; - 2) Participação no projeto: nesta etapa os alunos participam de cursos, palestras e treinamentos oferecidos gratuitamente, sendo desenvolvidos no contraturno escolar; - 3) Pagamento de bolsa auxilio: aos alunos que se destacam nesta etapa são beneficiados com uma bolsa auxilio, os valores são repassados pelas empresas parceiras como contrapartida. Por não haver recursos suficientes, a bolsa não pode ser repassada a todos os alunos participantes do projeto. Em muitas famílias, a bolsa auxilio representa a maior fonte de renda; - 4) Estágios: após participarem das primeiras etapas, os alunos já estão aptos a participarem dos estágios nas empresas parceiras, realizados de forma paralela aos estudos. Dados indicam que 85% dos jovens, após finalizaram os estágios, são contratados pelas empresas. São disponibilizadas duas turmas de cursos, uma no período matutino e outra no período vespertino. Em algumas edições foram disponibilizadas aulas aos sábados, dessa forma, os alunos participantes podem conciliar a participação no projeto com as atividades escolares. O processo de seleção tornou-se necessário devido a grande procura pelo projeto (cerca de cinco alunos por vaga). Isso decorre da possibilidade de mudanças na vida dos alunos participantes do projeto, aproximando-os da vida em sociedade. Em 2011 foi desenvolvida a VII edição do projeto no Município de Dois Vizinhos, sendo disponibilizadas 100 vagas, e a III edição no Município de Pato Branco, com 90 vagas. Além disso, o projeto será realizado pela primeira vez no Município de Francisco Beltrão, sendo disponibilizadas mais 60 vagas. A realização do projeto em outros municípios se dá por meio de parceria com a APL de TI, dessa forma, ocorre a otimização dos esforços e o benefício é estendido a um maior número de jovens.

Resultado Alcançado

Além de promover qualificação profissional na área tecnológica, de forma totalmente gratuita, e disponibilizar uma opção de preparo para o mercado de trabalho aos jovens em período de contraturno escolar, evitando seu envolvimento em atividades não benéficas, o projeto busca promover entre os parceiros a soma de esforços. Muitas empresas, que antes se viam como concorrentes, após participarem juntas do projeto passaram a desenvolver outras atividades em conjunto. O projeto também possibilita que alunos com alguma dificuldade especial participem e sejam contratados pelas empresas do setor de tecnologia. Na primeira edição, o projeto contou com a participação de José Tarcísio, aluno com uma doença degenerativa e que, deste a conclusão do projeto em 2006, trabalha em casa em uma estrutura adaptada para as suas necessidades. Em 2009, Cleverson Rossi participou do projeto e, mesmo programando com os pés e com sérias dificuldades de locomoção, desde a conclusão do curso é programador em uma empresa parceira do projeto. Atualmente, também o cadeirante Leandro Borges participa do curso Gestão em Negócios. O projeto promove uma ligação entre os estudantes com necessidades especiais e as empresas. Dado o formato das parcerias (as empresas definem em conjunto os conteúdos a serem repassados e acompanham a evolução do conhecimento dos alunos), o índice de efetivação dos alunos após a realização do estagio é em torno de 85%. O projeto promove ainda uma integração com os pais, escolas e comunidade. Os pais ou responsáveis pelos alunos participam da Aula Magna e acompanham o aprendizado dos filhos no decorrer do curso. Devido a sua metodologia diferenciada e grande empregabilidade dos alunos, o projeto está sendo desenvolvido em parceria com a APL de tecnologia em dois Municípios vizinhos: Pato Branco e Francisco Beltrão.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Dois Vizinhos / Paraná08/2006
Dois Vizinhos / Paraná06/2007
Dois Vizinhos / Paraná06/2008
Dois Vizinhos / Paraná02/2009
Dois Vizinhos / Paraná07/2009
Dois Vizinhos / Paraná04/2010
Pato Branco / Paraná04/2006
Pato Branco / Paraná10/2009
Dois Vizinhos / Paraná04/2011
Francisco Beltrão / Paraná05/2011
Pato Branco / Paraná05/2011
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Alunos do ensino superior
Alunos do ensino médio
Portadores de deficiência
Quantidade: 40
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Professores de ensino médio – Elaboração e correção de provas de seleção, gabaritos e redação2
Psicólogo – Análise de perfil e verificação de habilidades técnicas1
Pedagogo – Auxílio na elaboração de provas e verificação de perfil1
Professores - Com conhecimento técnico e especifico na área de TIC2
Professores - Com conhecimentos básicos e gerais2
Coordenador – Acompanhamento e manutenção do projeto1
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Para o projeto ser desenvolvido há necessidade de: - Firmar parcerias, tanto com as empresas de tecnologia, como com prefeituras e representantes do setor de educação; - Divulgação do projeto em escolas, faculdades e outros; - Seleção dos alunos que participarão do projeto; - Contratação de professores e definição de conteúdos programáticos; - Disponibilidade de um laboratório de informática, com acesso à internet; - Espaço e material para realização das aulas, palestras e outros; - Encaminhamento para estágio nas empresas parceiras; - Contratação/efetivação dos alunos nas empresas parceiras.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

- Divulgação e seleção de alunos: R$ 4.000,00; - Pagamento de professores/instrutores (720 h/a): R$ 18.000,00; - Pagamento de bolsas auxilio: R$ 6.000,00; - Valor total: R$ 28.000,00.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Prefeitura MunicipalIsenção de imposto, repasse financeiro e divulgação
Empresas de TICElaboração de cronograma de aulas, acompanhamento do curso, realização de estágios, aporte financeiro
Núcleo Regional de EducaçãoElaboração de prova, divulgação e auxílio na metodologia
Secretaria Municipal de EducaçãoElaboração de prova, divulgação e auxílio na metodologia
Instituições de Ensino SuperiorElaboração de prova, divulgação e auxílio na metodologia
Associações ComerciaisDivulgação e sensibilização dos empresários
Impacto Ambiental

Por se tratar de um projeto na área de software/tecnologia, os impactos ambientais são os menores possíveis, pois na grande maioria das vezes são utilizados arquivos de computadores ao invés de folhas impressas e, além disso, todo o processo de seleção (que anteriormente era realizado da forma tradicional, com provas e gabaritos impressos) foi substituído por provas online, reduzindo a zero os impactos ambientais.

Forma de Acompanhamento

A instituição e demais parceiros do projeto acompanham diariamente o andamento das ações por meio de chamadas e listas de notas online. Além dos instrutores atribuírem uma nota quantitativa, os alunos também são avaliados qualitativamente. Também os pais ou responsáveis pelos alunos participam e acompanham a evolução do aluno no decorrer do curso, trazendo informações sobre qualquer acontecimento.

Forma de Transferência

Para a realização do projeto se faz necessário firmar parcerias com empresas de tecnologia, instituições de ensino superior e poder público, divulgação e seleção de alunos, organização dos conteúdos programáticos, contratação dos professores, realização de aula magna e assinatura do termo de compromisso com os pais e alunos, realização das aulas, cursos e palestras, encaminhamento para estágios e efetivação. A entidade disponibiliza de um banco com cerca de 200 perguntas que podem ser utilizadas no processo de seleção, material técnico e pedagógico, conteúdo programático, completo acervo de fotos e vídeos registrados desde a primeira edição do projeto, em 2006.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Evolução do projeto na área de programaçãoBaixar
Regulamento turma de gestãoBaixar
Resumo das ações desenvolvidas pelas SudotecBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

Para o aluno Ederson Miguel dos Santos Leal, 29 anos, participante da VI edição do Projeto (2010) o projeto, "O projeto Aprender e Crescer é mais que um curso, é uma oportunidade de carreira. Além de o curso ser gratuito, ainda existe a possibilidade de se conseguir uma bolsa de auxílio, ou seja, você recebe para estudar. Porém, como as empresas estão sempre em contato com os envolvidos no projeto, muitos dos alunos são contratados antes mesmo do término do curso, como estagiários remunerados. Hoje o projeto é referência entre as empresas da região, sendo que todos que concluem o curso saem empregados." São inúmeros os relatos de transformações ocorridas nas vidas dos alunos participantes, bem como, de suas famílias, desde a elevação da renda, até uma transformação de vida.