AVAPE - Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência

certificada 2011

Instituição
Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência (AVAPE)
Endereço
Av. Jabaquara, 1909 – Conj. 52 – Sala 01 – 5º Andar - Saúde - São Paulo/SP
E-mail
mariana.lorca@avape.org.br
Telefone
(11) 3055-5034
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Sylvia Helena Moraes Cury(11) 3055-5020mariana.lorca@avape.org.br
Resumo da Tecnologia

A Rede AVAPE é um modelo de licenciamento com gestão similar ao de franquia social, no qual são replicados e disseminados os programas de reabilitação, capacitação e inclusão profissional às entidades congêneres. A FENAVAPE transfere às organizações sociais sua marca, metodologia e know-how.*{ods4},{ods8},{ods10}*

Tema Principal

Renda

Problema Solucionado

No Brasil, cuja população é de 188 milhões de habitantes, há 28 milhões de pessoas com deficiência. Apesar desse grande contingente, constatou-se que há uma carência na padronização dos processos de atendimento às pessoas com deficiência e/ou em vulnerabilidade social, impactando na qualidade e gestão dos serviços prestados. Isso nos motivou a criar a Rede AVAPE. Contamos com 276 mil organizações sem fins lucrativos com foco nas questões sociais que, embora possuam perfis permeados pela criatividade, solidariedade e energia humana, são, em sua maioria, instituições de pequeno porte que possuem uma visão assistencialista e caritativa, com ações sem foco em resultados e, consequentemente, uma gestão não profissional. Contudo, nos últimos dez anos a visão assistencialista vem perdendo espaço para um novo ambiente que impõe às organizações a necessidade de trabalho com os conceitos de sustentabilidade e gestão profissional. De acordo com os princípios inovadores, proativos e efetivos adotados por sua direção, a AVAPE desenvolveu um modelo de gestão institucional voltado para a inclusão social da pessoa com deficiência. Esse modelo tem sido reconhecido em vários países.

Objetivo Geral

Contribuir para a formação de uma rede nacional de entidades voltadas ao atendimento das pessoas com deficiência e em situação de vulnerabilidade social, atuando sob a filosofia, metodologia e padrão de qualidade AVAPE com vistas à assistência e inclusão social de uma parcela maior da sociedade.

Objetivo Específico

- Disseminar a filosofia, metodologia e padrão de qualidade AVAPE por meio da implantação de entidades licenciadas nas cinco regiões do país; - Ampliar o número de pessoas com deficiência beneficiadas por programas de assistência e atendimentos especializados em todo território nacional; - Elevar o número de pessoas com deficiência incluídas na sociedade de forma produtiva, cientes de seus deveres e direitos e preparadas para tomar decisões sobre suas vidas, seja de forma individual ou coletiva; - Contribuir com a diminuição da estatística brasileira da exclusão social, fomentando a geração de renda e trabalho para a pessoa com deficiência e em situação de risco social; - Preparar as entidades licenciadas pela AVAPE para atuarem com efetividade nos cenários político, estratégico, tático e operacional, junto às esferas onde estão inseridas, respeitando a diversidade sociopolítica e cultural de cada região.

Solução Adotada

A criação e o desenvolvimento de redes de organização do terceiro setor representa um grande passo para o desenvolvimento social no Brasil. Potencializar o impacto social já gerado pela atuação das organizações da sociedade civil através da colaboração em redes significa promover o surgimento de um país mais justo e preparado para enfrentar as mudanças e desigualdades impostas pelo processo tecnológico e globalizante da atualidade. Participar de uma rede institucional envolve algo mais do que apenas trocar informações a respeito dos trabalhos que um grupo de organizações realiza isoladamente. Estar em rede significa realizar conjuntamente ações concretas que modificam as organizações para melhor e as ajudam a chegar mais rapidamente a seus objetivos. A Rede tem sua origem na vasta experiência da AVAPE, que desde 1982 atende a pessoas com todos os tipos de deficiência e em situação de vulnerabilidade social, nas áreas de reabilitação clínica e profissional, desenvolvimento pessoal e social, programas comunitários, capacitação e inclusão no mundo do trabalho. Além de ser a primeira organização do mundo em seu segmento de atuação a receber o certificado ISO de qualidade, conquistou diversos prêmios nacionais e internacionais como reconhecimento pelo seu know-how técnico-científico ao adotar como diferencial uma visão holística das pessoas assistidas. A AVAPE, instituição de vanguarda nas áreas de reabilitação clínica e profissional, capacitação e colocação profissional de pessoas com deficiência, é reconhecida nos meios acadêmico, governamental e empresarial por sua importância estratégica no terceiro setor. Atua na promoção de uma padronização dos processos de atendimento às pessoas com deficiência e/ou em vulnerabilidade social. Com este intuito, a AVAPE desenvolveu um modelo de gestão institucional voltado para a inclusão social da pessoa com deficiência. A decisão de multiplicação de seu know-how e marca em âmbito nacional – advinda de suas diretrizes estratégicas – busca não só a perpetuação da filosofia e metodologia da entidade, mas, principalmente, a ampliação da assistência às pessoas com deficiência. A Rede AVAPE é uma rede de organizações licenciadas que utilizam a marca e/ou a metodologia AVAPE, por meio de relação contratual e supervisão constante. As organizações selecionadas para participar da rede recebem suporte de uma equipe de especialistas para a implantação, operacionalização e acompanhamento dos programas multiplicados. A FENAVAPE (Federação Nacional das AVAPEs) transfere às organizações sociais sua marca, metodologia e know-how através de padrões estabelecidos e formalizados em manuais, firmados por relação contratual, no qual regras e métodos de trabalho comuns são descritos e enfatizados pelos ideais e filosofia AVAPE, formatados em dois tipos de parceria: contrato de marca e contrato de know-how. A expansão da AVAPE em Rede também permite aumento significativo no número de pessoas com deficiência assistidas. O processo de seleção de ONGs para a implantação do modelo de licenciamento cumpre importante papel de verificação das ONGs inscritas no processo, avaliando se possuem o perfil necessário para integrar a rede e abrigar os programas de capacitação, reabilitação e inclusão profissional. Com as etapas de convocatória, pré-qualificação, avaliação jurídica, avaliação administrativa financeira e avaliação técnica, este processo tende a aumentar a taxa de sucesso na implantação e operação da unidade licenciada. Os profissionais das ONGs licenciadas passam por treinamentos técnicos e de gestão. Visando garantir a qualidade e o aumento da capilaridade dos programas multiplicados, a AVAPE realiza supervisão sistemática em toda a Rede, alocando para tal, equipe especializada.

Resultado Alcançado

Resultados quantitativos alcançados até maio de 2011: - 13 organizações licenciadas nas cinco regiões do Brasil; - 5.867 pessoas com deficiência cadastradas e 2.674 pessoas com deficiência atendidas nas unidades licenciadas; - 1.510 pessoas com deficiência capacitadas, sendo 619 mulheres (41%); - 545 pessoas com deficiência no programa de reabilitação profissional; - 273 pessoas com deficiência incluídas no mercado de trabalho; - 244 empresas parceiras, sendo 196 prospects e 48 realizadas. Dentre os resultados qualitativos destaca-se o fato de que as ONGs licenciadas estão: - Atuando com processos sistematizados; - Utilizando um sistema informatizado como ferramenta de gestão; - Ampliando sua oferta de produtos e serviços para pessoas com deficiência; - Fortalecendo a representatividade na comunidade, ampliando sua rede de contatos, tanto na iniciativa pública como privada, com foco no desenvolvimento de arranjos produtivos locais.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Belém / ParáBairro Reduto01/2009
Fortaleza / CearáBairro Papicu05/2009
São Paulo / São PauloBairro Santo Amaro04/2009
Piracicaba / São PauloBairro São Judas03/2009
Campo Grande / Mato Grosso do SulBairro Monte Líbano11/2009
Curitiba / ParanáBairro Mercês11/2009
Porto Alegre / Rio Grande do SulBairro Sarandi11/2009
Teresina / PiauíBairro Centro11/2009
Santana de Parnaíba / São PauloBairro Centro11/2009
Guarulhos / São PauloBairro Macedo12/2009
Juiz de Fora / Minas GeraisBairro Jardim Glória03/2010
Joinville / Santa CatarinaBairro Atiradores03/2010
Poços de Caldas / Minas GeraisBairro Centro01/2011
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Organização não Governamental
Portadores de deficiência
Quantidade: 12
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Gestor de Unidade1
Auxiliares Administrativos2
Instrutores (para cada tipo de curso)1
Auxiliar de Serviços Gerais1
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

O manual de implantação da Rede AVAPE contempla tanto os recursos humanos como os materiais necessários. Cada programa AVAPE replicado exige recursos diferentes para sua implementação. Como exemplo, para a implantação do programa de inclusão profissional há a necessidade de: - Uma sala para atendimento em grupo; - Uma sala para reuniões; - Uma sala de psicologia; - Um serviço médico; - Sala do administrativo, faturamento e outros; - Uma impressora matricial; - Uma impressora laser jato de tinta; - Um microcomputador com CPU, teclado, monitor e leitor de CD; - Banheiros e vestiários, sendo dois banheiros adaptados para acessibilidade de acordo com as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas); - Placas de sinalização interna; - Sala médica com uma maca com armário, uma balança com régua antropométrica para adultos, um negatoscópio, um esfignomanômetro, um termômetro, um martelo para reflexo, uma fita métrica, um podoscópio, um goniômetro, um laringoscópio, um livro do C.I.F. (Código Internacional de Funcionalidade), um livro do C.I.D. (Código Internacional de Doenças), um livro do DSM IV (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais 4º Ed), uma tabela A.M.B (Associação Médica Brasileira) de 92, um aparelho telefônico, dois cronômetros, testes psicológicos, uma mesa com cadeira, uma cadeira giratória ergométrica, um armário, etc.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

O custo estimado para a implementação de uma unidade licenciada é de R$ 172.632,00, com base no plano de aquisições do projeto.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Fundo Multilateral de Investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BIDFinanciador.
Federação da Agricultura e Pecuária do Pará – FAEPAParceria com a licenciada de Belém para o Projeto “Inclusão por Capacitação".
Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR AR/PAParceria com a licenciada de Belém para o Projeto “Inclusão por Capacitação".
Impacto Ambiental

A mobilização dos gestores das organizações licenciadas para a prospecção de diversos stakeholders para o estabelecimento de parcerias tem provocado o reposicionamento da ONG na sua região, proporcionando o início da credibilidade sobre a marca e qualidade dos serviços de reabilitação, capacitação e inclusão profissional. Estes resultados podem ser evidenciados através da efetivação de parceiros de diferentes setores, indicando que as organizações começam a fazer a diferença em suas localidades.

Forma de Acompanhamento

A FENAVAPE realiza mensalmente supervisão técnica in loco para monitorar e avaliar a utilização da metodologia repassada e os resultados alcançados. Além disso, possui um software de gestão (Solutto) que acompanha os tipos e números de atendimentos realizados pelas organizações.

Forma de Transferência

Para a multiplicação desta tecnologia social às outras ONGs, foram desenvolvidos padrões gerencias e operacionais dos programas, como também manuais de implantação e operação para cada um dos mesmos, visando à transmissão do know-how devidamente consolidado e sistematizado. Além disso, os manuais são utilizados como instrumentos de treinamento e para sanar as dúvidas do dia a dia do licenciado. O manual de implantação é composto por capítulos que abrangem todas as etapas necessárias para a implantação do programa até o momento da inauguração. O manual de operação também é composto por capítulos que abrangem as etapas necessárias para a efetiva operacionalização dos programas objetivando o cumprimento dos procedimentos técnicos e administrativos para garantia de uma estrutura padronizada.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Folder de Divulgação NacionalBaixar
Equipe FENAVAPE e AVAPE BelémBaixar
Equipe FENAVAPE e AVAPE FortalezaBaixar
Equipe FENAVAPE e AVAPE JoinvilleBaixar
Equipe FENAVAPE e AVAPE GuarulhosBaixar
Vídeodownload
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

A rede é constituída de organizações localizadas nas cinco regiões do Brasil. Cada gestor viabiliza os programas, priorizando, conforme o seu modelo de gestão, ações mais focadas em articulações e/ou na operação. A incorporação do trabalho por processos aos poucos vai sendo absorvida. Há dificuldade de perceber a importância de planejar atividades, e a incorporação de uma visão sistêmica. Devemos ter como dado relevante aspectos culturais que interferem no desempenho dos profissionais, gestores, bem como no modelo de intervenção já realizado pela organização em outros serviços prestados, diferentes dos programas licenciados. Considero que o supervisor de campo tem papel de profissional do desenvolvimento junto às equipes das organizações. Maria da Conceição Monteiro – Supervisora de Campo