Banco Comunitário de Sementes Crioulas

certificada 2009

Instituição
Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Apoio à Agricultura Familiar – Rede Terra
Endereço
Rua Dom Pedro II, quadra 18, lote 13 - Jardim Planalto - Cristalina/GO
E-mail
redeterra@redeterra.org.br
Telefone
(61) 3612-2912
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
André Brunckhorst(61) 3612-2912andre@redeterra.org.brskype: brunckapim
Resumo da Tecnologia

O Banco Comunitário de Sementes Crioulas é uma tecnologia social que promove a sustentabilidade da agricultura familiar por meio do fortalecimento do intercâmbio de variedades crioulas e as respectivas informações sobre o seu cultivo e usos entre as famílias de agricultores e agricultoras.

Tema Principal

Alimentação

Tema Secundário

Meio ambiente

Problema Solucionado

Com a agricultura moderna, criou-se uma relação de dependência entre sementes melhoradas, adubos e defensivos químicos. Um pacote tecnológico caro e viável somente quando aplicado em extensas áreas. Insumos e custos que não se sustentam no contexto da agricultura familiar, forçada a adquirir sementes híbridas, muitas vezes as únicas disponíveis no mercado. Plantas híbridas geram sementes não viáveis,impossibilitando o agricultor de utilizá-las nos plantios seguintes, sendo necessária nova compra de sementes. A safra 2008/2009 em Cristalina (maior produtor de milho do estado) foi marcada pelas sementes transgênicas nas lavouras da região, sendo o milho uma espécie suscetível à polinização cruzada; o cruzamento de variedades tradicionais com transgênicas, além de hibridizar, gera plantas geneticamente alteradas, com anomalias ou incapazes de produzir sementes viáveis, comprometendo a diversidade das variedades tradicionais. A origem da tecnologia desenvolvida foi um conjunto de preocupações, problemas e dificuldades por parte dos agricultores locais em acessar sementes adequadas à realidade, devido à predominância no mercado de sementes híbridas, transgênicas e de alto custo.

Objetivo Geral

Promover a sustentabilidade da agricultura familiar através do fortalecimento do intercâmbio de variedades tradicionais e as respectivas informações sobre o seu cultivo e usos, entre as famílias de agricultores e agricultoras.

Objetivo Específico

criação de um sistema de troca de sementes; definição de uma lista de espécies agrícolas prioritárias para a região; criação de uma estrutura adequada para o armazenamento das sementes tradicionais; disponibilidade de sementes em quantidade e qualidade para os agricultores familiares da região, de acordo com a época mais adequada para o plantio; conscientizar os assentados da região sobre a importância da produção da própria semente; redução no custo da produção agrícola familiar.

Solução Adotada

Os problemas envolvendo a aquisição de sementes por parte dos agricultores familiares foram identificados durante um diagnóstico participativo realizado junto com as famílias de um assentamento local. A solução encontrada foi a criação de um banco comunitário de sementes tradicionais, implantado da seguinte forma: 1. Um grupo inicial de agricultores produziu em pequenas áreas isoladas sementes tradicionais de milho, feijão e arroz. 2. Essas sementes foram colhidas, beneficiadas e armazenadas. 3. Posteriormente essas sementes foram adquiridas pela CONAB, através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) na modalidade “Compra com Doação”. Logo essas sementes foram doadas para a associação dos agricultores. 4. Uma vez doadas essas sementes para a associação, as mesmas formaram o estoque inicial do Banco Comunitário de Sementes Tradicionais. 5. Formado o estoque inicial e sob a administração de um Comitê Gestor, composto por agricultores, as sementes foram distribuídas aos interessados. 6. Cada agricultor pôde retirar do banco uma quantidade de sementes de até 20 kg para o plantio anual de sua lavoura, assumindo o compromisso de após a colheita fazer a reposição das mesmas na proporção de 1:3. Havendo disponibilidade de sementes no estoque do banco, o interessado poderia retirar uma quantidade maior conforme suas necessidades de plantio. 7. Após a colheita, as sementes foram repostas, beneficiadas, classificadas e armazenadas no banco. No processo de beneficiamento, há um descarte que pode chegar até 30%; dessa forma o banco consegue em média dobrar seu estoque entre uma safra e outra e, assim, ampliar o número de agricultores beneficiados, além de estar preparado para atendê-los perante a possibilidade de uma colheita ruim.

Resultado Alcançado

- Produção, beneficiamento, armazenamento e distribuição de 15 mil kg de sementes no primeiro ano de funcionamento. - 154 agricultores beneficiados pelo banco comunitário em seu primeiro ano de funcionamento, oriundos de 5 assentamentos. - economia de R$ 34 mil pelos agricultores beneficiados no primeiro ano de funcionamento do banco, devido à não necessidade de compra das sementes no mercado local. - Identificação e armazenamento de 12 variedades tradicionais de milho, 4 de arroz, 7 de feijão, 3 de abóbora, 2 de cabaça e 1 de girassol. - Realização no ano de 2008, em Cristalina/GO da primeira Feira Regional de Troca de Sementes Tradicionais. - Realização de 3 oficinas sobre a importância e técnicas de produção das sementes tradicionais com participação média de 30 agricultores cada. - Criação do Comitê Gestor para o Banco Comunitário de Sementes Tradicionais. - Instalação de uma estrutura física com capacidade de recebimento, beneficiamento e armazenamento de 20 mil kg de sementes tradicionais.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Cristalina / GoiásAssentamento Rural Vitória01/2008
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Agricultores Familiares
Assentados rurais
Quantidade: 0
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Facilitador para mobilização do grupo de agricultores e assessoria técnica de campo1
Famílias de agricultores para iniciar o banco de sementes.10
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

1 máquina beneficiadora/classificadora de sementes/1 unid./R$ 8.500,00 120 tambores plásticos 200 litros/120 unid. x R$ 50,00 = R$ 6.000,00 1 balança 300 kg/1 unid./R$ 450,00 1 livro de registro/1 unid./R$ 15,00

Valor estimado para a implementação da tecnologia

R$ 58.165,00

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Instituto Sociedade, População e Natureza – ISPNpor meio de recursos do Programa de Pequenos Projetos Ecossociais PPP-ECOS, foi construída uma casa de sementes
PAA – Programa de Aquisição de Alimentos da CONABsementes crioulas produzidas por agricultores familiares são compradas e doadas para implantação de banco de sementes
Rede de Sementes do Cerradoapoio técnico em coleta, armazenamento e legislação sobre sementes florestais nativas e agrícolas
Associações dos Assentamentos Rurais envolvidosrepresentam os agricultores envolvidos e beneficiados pela tecnologia social
Impacto Ambiental

Resgate e conservação de variedades agrícolas tradicionais, contribuindo para uma maior agrobiodiversidade local.

Endereços eletrônicos associados à tecnologia