Bioconstrução para Agricultura Familiar

certificada 2011

Instituição
Cooperativa Central de Tecnologia, Desenvolvimento e Informação
Endereço
Rua Esparta, 46 E - Centro - Chapecó/SC
E-mail
coopertec@coopertecti.com.br
Telefone
(49) 3329-3830
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Vilceo Jose Sehnem(49) 3329-3830vilceo.sehnem@coopertecti.com.br
Resumo da Tecnologia

Uso de tecnologias sustentáveis na construção de moradias eficientes do ponto de vista ecológico, econômico e social para agricultores familiares de baixa renda, visando a melhoria da qualidade de vida dessas pessoas.*{ods11},{ods12},{ods13}*

Tema Principal

Habitação

Tema Secundário

Meio ambiente

Problema Solucionado

- Redução do déficit habitacional no meio rural por meio de soluções sustentáveis; - Ampliação do acesso a moradias com qualidade ambiental e baixo custo financeiro; - Redução do impacto ambiental das obras; - Uso de materiais locais com baixa energia incorporada (madeira, terra, pedra, fibras vegetais); - Construção de moradias com eficiência energética, com redução do uso de energia para conforto térmico e luminosidade; - Redução do uso da energia elétrica pelo uso do aquecimento solar de baixo custo para água de banho; - Saneamento básico com o uso de tratamento das águas residenciais residuais com reduzido impacto ambiental; - Aproveitamento adequado das águas das chuvas e da energia solar; - Apropriação tecnológica pelos agricultores familiares.

Objetivo Geral

Construção de moradias com eficiência ambiental, econômica e social a partir do uso de tecnologias sustentáveis baseadas nos conceitos da bioarquitetura e bioconstrução, visando o bem estar das famílias de baixa renda do meio rural.

Objetivo Específico

- Desenvolver os conceitos da bioconstrução para a construção de habitações rurais; - Capacitar profissionais da construção civil para a realização de obras com o uso de tecnologias sustentáveis; - Construir moradias com conceitos e técnicas da bioconstrução para servir como referência de construção sustentável para a agricultura familiar; - Promover a apropriação e autonomia tecnológica pelos agricultores; - Incentivar o aproveitamento das águas das chuvas através da captação e armazenamento em cisternas (modelo de ferrocimento) para uso residencial e nas atividades produtivas e de autoconsumo; - Incentivar o aquecimento solar da água de uso residencial e para uso nas atividades produtivas da propriedade rural (lavação de equipamentos); - Promover o uso dos conceitos de eficiência energética em habitações; - Sensibilizar as famílias de agricultores e as entidades parceiras quanto a possibilidade de construir habitações de baixo custo financeiro e ambiental e elevado ganho social.

Solução Adotada

A bioconstrução apresenta uma maior eficiência econômica com um reduzido impacto ambiental e promove a igualdade social pela valorização da cultura e do bem-estar familiar pela valorização do clima local na concepção dos projetos. A difusão da tecnologia começa pela sensibilização de lideranças locais e entidades parceiras através de palestras e seminários que desencadeiam as demais ações. Com o apoio destes atores as ações se ampliam para oficinas e cursos sobre os temas, capacitando agricultores e profissionais da construção civil na execução das técnicas de bioconstrução. As famílias que se desafiam a realizar uma obra em bioconstrução recebem uma atenção especial para a realização do projeto que deverá atender suas reais necessidades de uso. O acompanhamento das obras e ações se dá por meio de equipe técnica especializada composta por uma arquiteta e um engenheiro agrônomo. As comunidades rurais costumam estar afastadas dos centros urbanos, dificultando o acesso de materiais de construção industrializados nas propriedades. Todavia, as propriedades possuem diversos recursos naturais que podem ser utilizados na construção. Madeira, terra, pedra e fibra vegetal são materiais de construção óbvios para a agricultura familiar, que se utilizados adequadamente podem constituir casas duráveis e saudáveis. Nesse sentido, a bioconstrução promove a utilização e reutilização racional de matérias-primas naturais e locais abundantes nas propriedades rurais (terra, madeira, pedra, fibras vegetais), favorecendo desta maneira a apropriação e autonomia tecnológica pelos agricultores, minimizando o impacto ambiental e tornando a construção mais econômica. A planta da casa e as técnicas utilizadas para a construção, das paredes externas e internas (adobe, hiperadobe, pau-a-pique, cordwood, etc.) e cobertura (telhas cerâmicas, telhado vivo...) - são definidas junto com as famílias levando em consideração suas necessidades reais, os recursos disponíveis e as condições geográficas e ambientais do terreno. A equipe técnica que acompanha o processo procura agregar aos projetos o uso do aquecimento solar de água para banho, modelo de baixo custo (ASBC - Sociedade do Sol), cisternas de ferrocimento para o aproveitamento das águas das chuvas e o uso do Sistema Modular de Separação de Águas e Leito de Evapotranspiração e Infiltração como sistema de tratamento dos esgotos residenciais (Saneamento Ecológico). As obras concluídas se tornam experiências referenciadas que, somadas às pessoas capacitadas, irão constituir uma rede de referências tecnológicas para o processo de consolidação e difusão das tecnologias trabalhadas.

Resultado Alcançado

Neste processo de desenvolvimento da tecnologia, que iniciou em 2008, já foram sensibilizados mais de 1.200 agricultores familiares nos dois estados de nossa atuação (Rio Grande do Sul e Santa Catarina) através de seminários, intercâmbios, cursos, dias de campo e reuniões. Realizamos um curso de capacitação para trabalhadores da construção civil e agricultores com enfase nas técnicas de bioconstrução para o uso da terra, pedra, madeira e fibras vegetais na edificação de moradias para agricultores familiares. Capacitamos também 10 famílias para a realização de suas obras. Hoje são 10 casas bioconstruídas onde as famílias conduziram ou participaram ativamente na realização da obra, se apropriando das tecnologias e com condições de usá-las em outras estruturas nas propriedades rurais. Promoveu-se ainda a sensibilização de 120 técnicos agrícolas envolvidos no projeto de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) que contribuem na difusão das tecnologias. Conseguimos também visibilidade local e regional para a tecnologia que está sendo promovida através da veiculação expontânea de notícias pelas mídias locais e regionais (rádio, TV, jornal, web).

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Paial / Santa Catarina09/2009
Pinhalzinho / Santa Catarina09/2009
Descanso / Santa Catarina01/2010
Seara / Santa Catarina02/2010
Arabutã / Santa Catarina06/2009
Coronel Martins / Santa Catarina03/2010
Coronel Freitas / Santa Catarina06/2011
Coronel Martins / Santa Catarina08/2010
Dionísio Cerqueira / Santa Catarina03/2009
Seara / Santa Catarina03/2011
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Agricultores Familiares
Operários da Construção civil
Lideranças Comunitárias
Famílias de baixa renda
Quantidade: 1.200
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Arquiteto (Bioarquiteto)1
Permacultor1
Mestre de Obras (bioconstrutor)1
Mão-de-obra (familiar ou contratada)3
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

O processo de capacitação se dá juntamente com a realização das obras. Portanto, os materiais para a realização das obras serão definidos nos projetos arquitetônicos individualizados, respeitando as necessidades e contribuições de cada família, assim como os recursos disponíveis no local da obra. Na obra são usados ferramentas e equipamentos para construção civil e nas capacitações faz-se o uso dos materiais didáticos (anexo) e recursos audiovisuais. As cooperativas interessadas em desenvolver a tecnologia organizam localmente as pessoas sensibilizadas para conhecer melhor as possibilidades, aproveitando as experiências existentes na rede de referências da tecnologia, promovendo reuniões, seminários, dias de campo, visitas as famílias, capacitações e mutirões para o desenvolvimento e divulgação da tecnologia nos municípios.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

O valor para a execução da moradia com uso das tecnologias sustentáveis irá depender do projeto organizado para cada família, observando-se as condições locais de disponibilidade de pessoal e materiais. De maneira geral as habitações que estão sendo desenvolvidas pelo projeto tem um custo em média 30% menor do que habitações do mesmo porte construída nos padrões convencionais.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Cresol Central SC/RSAgente Financeiro
Cooperhaf -
Cooperativas Singulares do Sistema Cresol Central SC/RS -
Impacto Ambiental

O uso de materiais naturais e locais reduz o uso de energia incorporada na construção, na transformação/industrialização e no transporte de materiais. As soluções de eficiência energética empregadas reduzem o custo energético na manutenção do conforto térmico e da iluminação das casas e o incentivo ao uso do aquecimento solar de água reduz o consumo da energia elétrica (até 50%). Fácil reciclagem dos materiais utilizados na obra: em caso de demolição eles se reintegram ao meio ambiente.

Forma de Acompanhamento

O acompanhamento no desenvolvimento da tecnologia se através da equipe técnica da Coopertec que acompanha os processos de capacitação e sensibilização e desenvolvimento das obras. Neste processo são envolvidos ainda as lideranças locais, principalmente das cooperativas associadas, que acompanham o desenvolvimento das obras mais de perto. Outro fator importante é o envolvimento direto das famílias, os principais interessados em realizar com sucesso o trabalho desenvolvido.

Forma de Transferência

A transferência da tecnologia se dá a partir das capacitações técnicas e conceituais, promovendo a apropriação do conhecimento pelos atores envolvidos no processo, desde as famílias participantes, construtores locais, lideranças locais, entidades governamentais e não-governamentais, agricultores familiares organizados nas cooperativas, buscando construir um contexto favorável para o desenvolvimento participativo e sustentável não só das tecnologias propostas, mas também das propriedades e comunidades onde a Coopertec atua.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Artigo - Bioconstrução na Agricultura Familiar - Coopertec/Cresol CentralBaixar
Encarte para Capacitação em Bioconstrução - Coopertec/Cresol CentralBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

O desenvolvimento desta tecnologia pela Coopertec, em parceria com a Cresol Central e Cooperhaf, no campo da habitação rural vem apresentando resultados concretos, gerando novas demandas e expectativas nos municípios onde atuamos. Além de contribuir com o cumprimento da nossa missão em busca do desenvolvimento local e sustentável, a bioconstrução permite mostrar nosso trabalho para o conjunto da sociedade, pois estamos propondo soluções para grandes problemas sociais, como o déficit habitacional, apresentando a possibilidade de construção de casas com menor custo financeiro e ambiental, mas com elevados ganhos sociais. Propõe ainda soluções para questões ambientais específicas em relação ao uso da água e energia como maneira de construir contextos mais sustentáveis para a Agricultura.