Biodigestores em Escolas Públicas: Uma Ideia Energética

certificada 2011

Instituição
Associação Organização da Sociedade Civil de Interesse Público Mobilidade e Ambiente Brasil
Endereço
Rua Dias da Rocha, 20 / 305 - Copacabana - Rio de Janeiro/RJ
E-mail
celioverdany@yahoo.com.br
Telefone
(21) 3471-4603
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Celio Maia de Araujo Júnior(21) 7894-7742celioverdany@yahoo.com.br
Resumo da Tecnologia

A montagem de biodigestores em escolas públicas, estaduais ou municipais, tem grande utilidade social e ambiental, uma vez que traz economia de energia - podendo substituir o gás de cozinha - reduz volume de resíduo jogado pela escola e mostra aos alunos a importância da educação ambiental.*{ods4},{ods7}*

Tema Principal

Educação

Tema Secundário

Energia

Problema Solucionado

Uma escola estadual com cerca de dois mil alunos desperdiça diariamente 10Kg de matéria orgânica na forma de restos de comida e pode ainda gerar algumas toneladas mensais de esgoto. Isso serve como excelente matéria-prima para os biodigestores. Com isso, geramos energia para substituir o gás de cozinha utilizado pela escola ou até pela comunidade ao entorno, gerando economia. A escola economiza R$ 1000,00 mensais com a utilização do gás do biodigestor. Podemos ainda fazer aquecimento de água para os beneficiados. Geramos educação ambiental em toda comunidade e ainda reduzimos os índices de emissão de carbono nos aterros sanitários que iriam receber toda essa matéria orgânica. Biodigestores que trabalham com restos de comida vão produzir adubos orgânicos para plantação na própria escola e comunidade. Neste momento, 45 alunos estão sendo treinados para fazerem a multiplicação da educação ambiental e sustentabilidade. Esses alunos serão formados em especialistas na tecnologia podendo fazer renda com a difusão da mesma.

Objetivo Geral

Montar biodigestores em escolas a fim de gerar energia e reduzir o uso de gás de cozinha, reduzir as emissões de carbono e de gasto com energia elétrica.

Objetivo Específico

- Aproximar toda a comunidade da escola, enquanto ambiente de educação ambiental; - Gerar possibilidade de profissionalização aos alunos da escola, preparando-os para vida; - Montar Biodigestores em pequenos espaços, facilitando assim a difusão desta tecnologia; - Reduzir as emissões de carbono feita em cada escola e o gasto com energia; - Formar multiplicadores ambientais que possuem noção real de que preservar pode gerar economia e redução do impacto no meio ambiente.

Solução Adotada

Montamos três biodigestores na escola e colocamos as sobras de matéria orgânica. No primeiro colocamos sobra de comida, inoculada por fezes de animais da região. No segundo inoculamos com esgoto da própria escola e, no terceiro colocamos 50% de resto de comida e esgoto. Em seguida começamos a comparar as produções gasosas dos três biodigestores. Em paralelo montamos uma turma com 45 alunos da escola para formar multiplicadores ambientais. Ao final do trabalho cada aluno deverá apresentar uma monografia que vai ser corrigida por toda equipe de professores e usada na própria escola. Aumentando a estima dos alunos e criando motivação para novos alunos do curso. Fechamos então parceria com universidades, como a Universidade Estadual da Zona Oeste (UEZO) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), para análise microbiológica do processo. Percebemos então que a produção gasosa nos três casos era muito parecida, conectamos então aos canos de gás de cozinha e começamos a produzir gás para a cozinha da escola. Toda a prática é assistida e montada por nossos alunos. Estamos tentando gerar economia de gás para comunidade carente no entorno, mas estamos sem recursos financeiros para as conexões e sistemas de segurança. Vamos partir para nova etapa de sustentabilidade que tange a montagem de um sistema de coleta seletiva a partir da parceria com cooperativas de catadores. Desta forma a escola vai gerar o mínimo possível de resíduo. A escola vai gerar recursos para investir em outras formas de educação. Os alunos, após formados, poderão difundir a tecnologia e ainda criar sustento, implementando-a em fazendas, shoppings, restaurantes etc.

Resultado Alcançado

- Aumento da estima dos alunos para ciência e tecnologia; - Aumento da aproximação dos alunos com a escola e toda comunidade escolar; - Melhoria dos recursos usados pela escola; - Mais uma possibilidade de formação para os alunos da escola, com perspectiva de geração de renda e boa formação; - Geração de 12 mil reais de economia anualmente para escola, podendo, com isso, aumentar os recursos para merenda, livros, etc.; - Possibilidade de gerar gás de cozinha para população carente do entorno das escolas, aumentando a renda destas famílias e assim a permanência das crianças na escola.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Rio de Janeiro / Rio de JaneiroBangu03/2008
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Adolescentes
Quantidade: 2.000
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Biotecnólogo2
Professor das diversas áreas5
Químico ou Biólogo2
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Os recursos necessários são: - Galões de 200 litros; - Canos de uma polegada; - Conexões; - Material didático; - Válvulas de segurança; - Conexões para captação de gás; - Uma sala ou espaço de 4m2.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

O valor total estimado é de R$ 74 mil. Este valor é distribuído da seguinte forma: Para as conexões, R$ 12.000,00. Para montagem dos galões e sistema de segurança, R$ 15.000,00. Para sustento do projeto com mão de obra qualificada, 9 profissionais: R$ 48.000,00. Depois da implementação, o custo para difusão do projeto cai consideravelmente, podendo então fornecer gás para população ao redor.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)Auxílio em análises microbiológicas e troca de "know how" na montagem do equipamento.
Universidade Estadual da Zona Oeste (UEZO)Análise microbiológica e troca de ideias na montagem dos equipamentos.
Impacto Ambiental

O trabalho não gera impactos consideráveis. Ele visa a reduzir as emissões de carbono geradas pelas escolas estaduais e municipais, bem como reduzir a massa de matéria orgânica nos aterros sanitários.

Forma de Acompanhamento

A tecnologia será acompanhada a partir dos relatórios de acompanhamentos gerados pelos multiplicadores. Neste relatório, algumas questões serão observadas: redução de consumo de gás de cozinha, de energia etc.

Forma de Transferência

A tecnologia será difundida pelos alunos e multiplicadores, após a formação destes como multiplicadores e desenvolvedores do próprio artefato.

Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

O trabalho realizado é de simples aplicação, seguro e ainda pode gerar emprego e renda para população carente. Alunos das escolas participantes podem ser multiplicadores do trabalho, ter renda com a implementação da tecnologia em outros locais, tais como restaurantes e shoppings, e ainda contribuir para redução da emissão de carbono, podendo pleitear créditos de carbono segundo o Protocolo de Kyoto. O projeto ainda consegue aproximar os alunos das ciências e fazer com que os mesmos aumentem suas estimas com as diversas áreas do conhecimento. A comunidade passa a olhar para a escola com mais "carinho", podendo aumentar sua participação nas atividades escolares.