Bomba Gangorra

certificada 2001

Instituição
Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT)
Endereço
Rua Pe. João Crippa, 1437 - Centro - Campo Grande/MS
E-mail
projetos@missaosalesiana.org.br
Telefone
(67) 3312-6400
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Ir. Alois Würstle(65) 3611-1729alois@missaosalesiana.org.br
Resumo da Tecnologia

A Bomba d'água Gangorra (brinquedo de criança) é constituída de um cilindro cônico tendo em sua extremidade uma borracha sanfonada que recalca o ar para baixo, bombeando água pela pressão do ar. A Bomba Gangorra possibilita a captação de água ao mesmo tempo em que as crianças indígenas brincam.*{ods3}*

Tema Principal

Saúde

Problema Solucionado

A partir do ano de 1995, com a criação da Bomba d’água Gangorra pelo Ir. Alois Würstle, foram atendidas as primeiras comunidades indígenas na região Centro-Oeste, a leste do estado de Mato Grosso. Nas constantes visitas da equipe do projeto AMA a diversas outras comunidades indígenas, observou-se que havia um alto índice de doenças provocadas pelo consumo de água contaminada e que, em virtude de tal situação, era necessário ampliar o atendimento. O processo de confecção, perfuração, implantação das bombas d’água e canalização de água potável tem reduzido significantemente a morte de crianças indígenas, anteriormente acometidas por doenças como diarreia, vômitos e desnutrição. A expansão do Projeto AMA, com atendimento a aproximadamente 200 aldeias, tem melhorado as condições de saúde e sustentabilidade das comunidades indígenas do estado de Mato Grosso, prioritariamente respeitando a identidade e a cultura existentes.

Objetivo Geral

Erradicar a mortalidade infantil nas aldeias Xavantes e Bororos do estado de Mato Grosso, através do fornecimento de água potável.

Objetivo Específico

-Perfurar poços e instalar bombas manuais e solares; -Distribuir água potável às famílias indígenas; -Erradicar as mortes causadas pelas verminoses, contraídas pela ingestão de água contaminada; -Diminuir as doenças causadas pela desnutrição em razão das verminoses.

Solução Adotada

A Bomba d’água Gangorra é constituída de um cilindro cônico tendo em sua extremidade uma borracha sanfonada de alta resistência que recalca o ar para baixo. Bombeia a água pela pressão de ar da borracha (tipo carneiro), acionada por uma gangorra para brinquedo de criança sem necessidade de energia elétrica, o que a torna econômica. Também não tem pistão, o que diminui e até mesmo elimina a manutenção. É resistente, econômica, não agressiva ao meio ambiente e atende a poços mais profundos de até 50 metros recalcando para cima outros 50 metros. A água é indispensável à vida de todos. Os indígenas historicamente a utilizam a partir das fontes superficiais (rios e lagos) sendo que nos dias atuais tem sua qualidade degradada pelas atividades humanas (não indígenas) e até pelas atividades dos próprios povos indígenas. A água ainda está presente na cultura dos povos indígenas na medida em que é utilizada nas suas pinturas, quer sejam corporais para cerimônias e festas ou para a arte, nos seus tecidos e objetos de palha ou barro. Há bastante tempo órgãos de apoio e defesa dos indígenas e outras interações com 'não indígenas' introduziram novos saberes na forma de viver desses povos, que foram disseminados também pela interação entre as aldeias: queremos destacar que a água passou a ser utilizada, também, para cozimento e preparação de alimentos. O projeto AMA, através de visitas e reuniões prévias com os chefes das aldeias, expõe os benefícios que serão alcançados através de sua implantação, especialmente quanto à substancial redução da mortalidade infantil e das doenças provocadas pelo uso e ingestão da água entre povos indígenas. O respeito, credibilidade e confiança alcançados nas outra aldeias são demonstrados e, a partir daí, os integrantes do AMA passam a ter carta branca para atuação durante todo o processo de implantação, porém, primam por aproximar os responsáveis de cada comunidade na fase de definição do local a ser utilizado para a perfuração e instalação do reservatório e demais equipamentos.

Resultado Alcançado

Resultados qualitativos: Disponibilidade de água potável nas comunidades indígenas atendidas pelo projeto e do seu uso para o consumo diário; Redução do esforço com o transporte da água desde os mananciais até seu ponto de utilização; Aumento do número de indivíduos nas aldeias com capacidade técnica para o trabalho com equipamentos hidráulicos, possibilitado pela capacitação para os pequenos reparos nas instalações do projeto. Resultados quantitativos: Implantação da metodologia e tecnologia em mais de 200 pontos nas comunidades indígenas e assentamentos; Utilização de água potável diminuindo assim os índices de doenças como diarreias e verminoses; Redução em 80% da mortalidade infantil e considerável melhoria na saúde dos jovens e adultos das aldeias atendidas pelo projeto; Redução da degradação do meio ambiente, provocada pela diminuição do extrativismo.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Coxipó da Ponte / Mato GrossoBairro Coxipó da Ponte01/1967
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Povos indígenas
Quantidade: 18.300
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Técnico em Eletrônica.2
Operador de torno, fabrico de peças.1
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Bomba de Água: 2 foles de borracha 2 válvulas 1 suporte estrutural da bomba em aço inox. Mecanismo de bombeamento: 2 mancais com rolamento 1 eixo em ferro maciço 1 caixa base c/catraca 1 coluna com flanges 1 tubo p/ pêndulo 5 tubos de 1.1/4" para água 5 hastes de ferro 1/2"

Valor estimado para a implementação da tecnologia

R$ 3.000,00 (Três mil reais)

Impacto Ambiental

Menor degradação do meio ambiente através da redução do extrativismo, preservação da fauna e flora locais.

Endereços eletrônicos associados à tecnologia