Casa de Sementes Comunitárias

certificada 2007

Instituição
Caritas Diocesana de Sobral
Endereço
Rua Maestro José Pedro - Centro - Sobral/CE
E-mail
caritassobral@hotmail.com
Telefone
(88) 3611-1149
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
José Maria Gomes Vasconcelos(88) 9961-9348zmvasconcelos@yahoo.com.br
Resumo da Tecnologia

Trata-se de uma tecnologia de convivência com o semiárido e de segurança alimentar e nutricional nas comunidades rurais do sertão cearense.*{ods2},{ods3}*

Tema Principal

Alimentação

Problema Solucionado

O problema mais gritante era exatamente a indisponibilidade de sementes para plantio nos roçados na época do plantio e também os altos índices de queimadas e de agrotóxicos, assim como a perda de algumas práticas culturais de armazenamento de sementes.

Objetivo Geral

Fortalecimento da agricultura familiar, promovendo a biodiversidade e a segurança alimentar e nutricional das famílias do semiárido.

Objetivo Específico

Formar agentes multiplicadores para o acompanhamento ás Casas de Sementes Comunitárias; Fortalecer as redes que trabalham com a temática do semiárido, favorecendo o envolvimento de outras organizações e ampliando a área de abrangência do projeto; Valorizar os recursos genéticos locais, promovendo o resgate de variedades de sementes e de espécies que se encontram em processo de extinção; Contribuir na formulação e implementação de políticas públicas; Fortalecer o protagonismo dos grupos e de melhoria das relações de gênero e geração junto às comunidades envolvidas com o trabalho de casas de sementes. Garantir sementes em quantidade e qualidade na época adequada para o plantio dos roçados dos agricultores familiares envolvidos no projeto Casa de Sementes.

Solução Adotada

Esta tecnologia só é possível graças ao envolvimento direto dos agricultores familiares com o trabalho, se organizando nas comunidades locais através da coordenação das Casas de Sementes e integrando a rede de intercâmbio de sementes da Zona Norte coordenada pela Cáritas de Sobral, sindicatos dos trabalhadores rurais e instituições parceiras, como Instituto Carnaúba, Embrapa Caprinos, Capacit, Ceat. Trimestralmente, estes agentes parceiros e coordenações das Casas de Sementes se reúnem para promover visitas de acompanhamento, monitoramento e intercâmbio de sementes e saberes entre agricultores e agricultoras familiares da região norte do Ceará. Também ocorre anualmente um encontro de avaliação e planejamento. As Casas de Sementes funcionam através do sistema de depósito e empréstimo. Os sócios se reúnem, estabelecem qual a demanda do grupo no que diz respeito à quantidade e variedade de sementes, e estipulam a quantidade que cada sócio/a deverá depositar para dar início ao trabalho. Na época do plantio, os sócios/as terão o direito de retirar sementes emprestadas para o plantio de seus roçados. O estoque é controlado por uma coordenação local, que para tanto utiliza fichas de controle (cadastro de sócios/as, recibo e controle de estoque).

Resultado Alcançado

O trabalho com Casas de Sementes é um trabalho que apresenta resultados de forma muito lenta, mas conseguimos com todo esforço e envolvimento dos atores e autores os seguintes resultados: Casas de sementes com seus estoques ampliados; Maior disponibilidade de agentes visitadores das Casas de Sementes; Implantação de roçados comunitários; Presença maior das mulheres nas coordenações locais das Casas de Sementes; Surgimento de novas Casas de Sementes (Construção das Casas de Sementes de São José IV, Assentamento Leite, Mumbaba de Baixo, Morro Vermelho e Cedro; Escolha e mudança da nova Coordenação da RIS/ZN e RIS/CE; Maior número de famílias beneficiadas; Melhor organização dos grupos; Famílias sensibilizadas para melhor relação com meio ambiente e uso adequado da água; Melhor sintonia do Regional, equipe e grupos com PCSA; Ação mais qualificada e articulada com o Regional; Melhor articulação com instituições públicas; Maior sensibilização para as ações voltadas para a convivência com o semiárido; Melhor organização e controle interno das Casas de Sementes.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Crato / Ceará01/2007
Várzea Alegre / Ceará01/2007
Nova Olinda / Ceará01/2007
Massapê / Ceará01/2007
Frecheirinha / Ceará01/2007
Santa Quitéria / Ceará01/2007
Bela Cruz / Ceará01/2007
Sobral / Ceará01/2007
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Agricultores Familiares
Quantidade: 0
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Técnico agrícola1
Coordenadores locais das Casas de Sementes3
Agricultores e agricultoras familiares interessados em fundar a Casa de Sementes.2
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Areia média - 22 m³ Barrote de massaranduba 6 x 6 cm, com 1,50 m - 3 unid Barrote de massaranduba 6 x 6 cm, com 4 m - 1 unid Brita nº 1 - 2 m3 Caibro de massaranduba 5 x 2,5 cm, com 2 m - 11 unid Caibro de massaranduba 5 x 2,5 cm, com 4 m - 25 unid Cal hidratada em pó (saco com 50 litros) - 59 sacos Cimento Portland (saco com 50kg) - 23 sacos Combogó de cimento 25 x 25 cm tipo diamante -3 unid Combogó de cimento 40 x 40 cm antichuva - 3 unid Dobradiça de ferro tipo cruz 3", inclusive parafusos - 13 unid Fechadura de sobrepor 2 voltas, inclusive parafusos 1 unid Ferrolho de ferro 4" , inclusive parafusos - 5 uni Forramento de muiracatiara 10 x 3 cm com batedor - 19m Janela Ficha de muiracatiara com 0,80 x 1 m - 1 uni Linha de massaranduba 6 x 12 cm, com 4 m - 1 unid Linha de massaranduba 7 x 14 cm, com 4 m - 1 unid Pedra de mão (p/ alicerce) - 5 m³ Porta Ficha de muiracatiara 0,60 x 2,10 m - 1 unid Porta Ficha de muiracatiara 0,80 x 2,10 m - 2 unid Prego 1 1" x 14 c/ cabeça - 1 kg Prego 2 1" x 10 c/ cabeça - 2 kg. Ripa de massaranduba 5 x 1,5 cm, com 4 m - 30 uni Tábua 0,20 x 0,50 cm c/ 2,50 cm de espessura, madeira muiracatiara - 2 unid Telha cerâmica colonial- 1.270,00 unid Telha de fibra de vidro 0,50 x 0,38 m - 1 unid Tijolo cerâmico furado TF8 – 10 x 20 x 20 cm - 3.650,00 unid Tufos de madeira 10 x 10 x 3 cm - 22 unid Supercal - 5 unid Tinta em pó, Hidracor ou similar - 5 kg

Valor estimado para a implementação da tecnologia

R$ 6.000,00

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Associações Comunitáriasfazem o cadastro dos sócios e sócias das Casas de Sementes
CeatSeleciona os grupos de interesse em construir Casas de Sementes
Capacitsolicita e indica grupos com potencial para criar Casas de Sementes
Instituto Carnaúbaapoia o trabalho com agroecologia e doação de sementes
Embrapa CaprinosImplantação do projeto de transição agroecológica e doação de mudas e sementes de espécies forrageiras para alimentação de rabanhos caprinos e também adubação do solo
Banco do Nordestecusteia capacitações, intercâmbios e construção de novas Casas de Sementes
Impacto Ambiental

Com esta tecnologia já conseguimos reduzir significativamente os índices de queimadas (cerca de 40%) assim como eliminação do uso de agrotóxicos nas lavouras e nos roçados, a preservação de espécies vegetais em processo de extinção. Retomada das práticas de armazenamento e seleção de sementes das culturas anuais e de espécies de nossa caatinga como sabonete, janaguba, mulumgú, umburana etc.

Forma de Acompanhamento

O acompanhamento ocorre mensalmente através de visitas de acompanhamento e monitoramento às Casas de Sementes, também intercâmbio de sementes e saberes entre agricultores e Casas de Sementes, bem como por meio das reuniões trimestrais da rede de intercâmbio de sementes da zona norte, da festa da colheita realizada em junho de cada ano, e encontro de avaliação e planejamento anual.

Forma de Transferência

Hoje disponibilizamos de sistematizações através de jornal escrito, DVD e também de apostilas.

Depoimento Livre

As Casas de Sementes são, sem sombra de dúvida, uma tecnologia extremamente acessível, econômica e de agrande alcance social. Reconhece e valoriza as sementes nativas crioulas, o conhecimento dos agricultores familiares, e contribui fortemente para o desenvolvimento solidário sustentável. Deveria ser implementada como politica pública para o semiárido brasileiro, pois promove a segurança alimentar e nutricional das famílias do campo e se preocupa com a preservação dos recursos hídricos e genéticos que são patrimônios da humanidade.