Centro Cirúrgico Móvel em Comunidades Indígenas

finalista 2007

Instituição
Associação Expedicionários da Saúde
Endereço
Rua Dr. Heitor Penteado, 1300 - Joaquim Egídio - Campinas/SP
E-mail
marcia@eds.org.br
Telefone
(19) 3298-6033
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Luís Francisco de Macedo(19) 9171-6587macedo123@gmail.com
Márcia Abdala(19) 9179-5819marcia@eds.org.br
Martin Affonso Ferreira(19) 9215-4535martin44@terra.com.br
Resumo da Tecnologia

A Associação Expedicionários da Saúde foi criada por médicos cirurgiões voluntários para atendimento cirúrgico às populações isoladas, especialmente indígenas. Inicialmente, atuavam em hospitais da região e, mais tarde, com um Centro Cirúrgico Móvel, adequadamente equipado.*{ods3}*

Tema Principal

Saúde

Problema Solucionado

As comunidades indígenas do Amazonas, em especial as mais isoladas, recebem do governo atendimento básico e preventivo à saúde e vivenciam dificuldades em relação a esse atendimento. A região se caracteriza pelo difícil acesso às comunidades: sem estradas, rios encachoeirados e poucas e mal cuidadas pistas de pouso. O acesso a medicina especializada e cirurgias eletivas é precário. Nas localidades não há equipe de médicos especialistas. Normalmente as cirurgias de urgência são realizadas nos centros mais próximos e mais desenvolvidos (sedes de município) ou em Manaus. A incidência de hérnias em uma comunidade que faz muito esforço físico é altíssima, assim como casos de catarata em regiões equatoriais. Para ser atendido o paciente com catarata ou hérnia tem que abandonar sua comunidade e seguir rumo a Manaus para tentar ser operado. Tem que viajar com a família, hospedar-se com algum parente ou na Casa do Índio além de ter alguém que pague por sua alimentação e despesas, sem a certeza de ser operado, tamanha a demanda. O Centro Cirúrgico Móvel permite esse atendimento na própria comunidade sem necessidade de deslocamento do indígena e sua família para os grandes centros.

Objetivo Geral

Contribuir para a melhoria da saúde indígena no Brasil, possibilitando às populações isoladas, especialmente indígenas da Amazônia Legal Brasileira acesso a atendimento cirúrgico.

Objetivo Específico

- Prestar atendimento cirúrgico in loco às populações residentes em áreas isoladas. - Identificar e diagnosticar casos complexos em que a equipe não possa atuar e facilitar e orientar o encaminhamento desses casos. - Atuar em parceria e capacitar os profissionais de saúde da região, possibilitando transferência de conhecimento nas áreas da atuação.

Solução Adotada

A Associação Expedicionários da Saúde foi criada a partir da reunião de um grupo de médicos cirurgiões voluntários interessados em organizar viagens de atendimento cirúrgico a populações isoladas, especialmente indígenas. A ideia era atuar em parceria com os responsáveis pela saúde local, oferecendo um serviço complementar ao deles. Inicialmente os médicos atuavam em pequenos hospitais da região, mas logo perceberam que seriam muito mais eficazes se conseguissem montar um Centro Cirúrgico Móvel: chegariam às comunidades distantes evitando o deslocamento das pessoas; seriam mais eficientes sem precisar ser inseridos nas rotinas hospitalares. O Centro Cirúrgico Móvel foi montado com doações e empréstimo de equipamentos. Hoje o grupo faz 2 expedições por ano, uma média de 150 cirurgias por expedição de 7 dias de duração. A meta para 2011 é de 4 expedições anuais, passando a atender novas áreas. As principais cirurgias realizadas são as oftalmológicas e cirurgias gerais, embora também sejam feitas cirurgias ortopédicas, ginecológicas e pediátricas . A ação só é possível graças à parceria com os profissionais de saúde da região e o apoio da comunidade. O atendimento cirúrgico “em série” pressupõe que os pacientes já estejam diagnosticados e reunidos quando a equipe médica chega, e é também de responsabilidade dos profissionais da região o acompanhamento do pós-operatório. No Alto Rio Negro, esta parceria foi feita com a Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN), entidade representativa dos povos indígenas da região e que coordenava as ações na área da saúde. As expedições acontecem em comunidades com alguma estrutura para receber o grande número de pessoas que se reúne com a chegada dos pacientes, seus familiares, equipes médicas e também para a instalação da logística necessária. Os moradores desta comunidade se envolvem na construção de uma grande palhoça com folhas de Buriti (folha de palmeira da região) para abrigar o Centro Cirúrgico Móvel. Isso facilitou muito para manter a temperatura interna baixa.

Resultado Alcançado

De 2004 até 2010 foram realizadas 17 expedições cirúrgicas com o total de 12.733 atendimentos e 2.421 cirurgias.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Iauaretê / Amazonas11/2004
São Gabriel da Cachoeira / AmazonasPari Cachoeira11/2005
São Gabriel da Cachoeira / AmazonasTunuí04/2006
São Gabriel da Cachoeira / AmazonasTunuí11/2006
São Gabriel da Cachoeira / AmazonasPari Cachoeira04/2007
Iauaretê / Amazonas04/2005
Santarém / ParáExcursão pelo Rio Tapajós08/2007
Santarém / ParáExcursão pelo Rio Tapajós11/2007
Santarém / ParáExcursão pelo Rio Arapiuns PA08/2008
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Povos indígenas
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Coordenador Geral / Médico1
Cirurgiões Gerais4
Oftalmologistas4
Anestesistas4
Clínico geral1
Ginecologista1
Pediatra1
Dentistas2
Enfermeiros Padrão5
Coordenador de Logística (Apoio)1
Coordenador Operacional (Apoio)1
Engenheiro Eletricista - especializado em equipamentos cirúrgicos (Apoio)1
Responsáveis Técnicos pela Logística, Montagem e Manutenção (Apoio)5
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Materiais e equipamentos num valor total de R$ 400.000,00 Equipamentos permanentes 3 Tendas Cirúrgicas Móveis3 Tendas Clínica Móvel Central de Esterilização: 4 autoclaves 7 Geradores de Energia de 10, 12 e 20 KVA 8 Aparelhos de Ar Condicionado 2 Monitores Cardíacos 1 Oxímetro 2 Focos Cirúrgicos 1 Microscópio para Operações Oftalmológicas 1 Aparelho Facoemulsificador 4 Mesas Cirúrgicas 1 Cilindro de Oxigênio Mobiliários para centro cirúrgico Aparelhos de pressão não invasiva automática Caixas de Instrumentos Cirúrgicos 15 notebooks Obs.: Outros equipamentos cedidos por parceiros Medicamentos e Suprimentos, valor estimado de R$ 198.000,00.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

R$ 198.000,00 / Medicamentos - Suprimentos R$ 138.000,00 / viagens precursoras/ expedição R$ 106.200,00 / Organização / Administrativo (seis meses) R$ 442.200,00 para cada expedição.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Ministério da Saúdepor meio do Distrito Sanitário Especial Indígena,na triagem de paciente, transporte e alimentação.
Ministério da DefesaTransporte da carga e equipe dos Expedicionários da Saúde.
Empresas e instituições socialmente responsáveisDoação de medicamentos,materiais de consumo e empréstimo de equipamentos.
Impacto Ambiental

Por meio do restabelecimento da saúde indígena na própria comunidade é possível evitar que pacientes e familiares se desloquem para os grandes centros, abandonando suas terras, cultura e tradições.

Forma de Acompanhamento

-Atendimentos e cirurgias realizadas por expedição -Acompanhamento pós-operatório -Avaliação com as equipes locais de saúde -Avaliação da equipe médica da expedição -Médicos voluntários que voltam a atuar no programa -Nível de satisfação e apoio de parceiros institucionais, que avaliam o trabalho e contribuem com o planejamento e aprimoramento das ações -Mídia espontânea: cobertura na imprensa reforça a importância do trabalho e dá credibilidade à organização, facilitando novas parcerias

Forma de Transferência

A tecnologia vem sendo reaplicada duas vezes por ano: Cada expedição tem seus processos mapeados, garantindo critérios básicos para ser replicados de forma sistematizada, respeitando especificidades locais. As expedições acontecem em comunidades com estrutura para receber grande número de pessoas: pacientes, familiares, equipes médicas, e instalação da logística necessária. Organismos locais e moradores se mobilizam para receber a expedição. Os médicos passam por seleção, avaliação de experiência e treinamento específico. O treinamento conta com apoio da faculdade de medicina da UNICAMP, onde médicos voluntários orientam equipes locais. Avaliação durante e pós-expedição dos resultados e processos de trabalho que envolve comunidade, equipes locais, parceiros e Expedicionários da Saúde.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Imagem da Expedição Haiti em Janeiro de 2010Baixar
Imagem da Expedição Rio Andirá PaintinsBaixar
Imagem da Expedição Rio Andirá PaintinsBaixar
Imagem da Expedição Rio Andirá PaintinsBaixar
Imagem da Expedição Haiti em Janeiro de 2010Baixar
Vídeo Institucional sobre Expedição Haitidownload
Imagem da Expedição Rio Andirá PaintinsBaixar
Imagem da Expedição Haiti em Janeiro de 2010Baixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologia