Centro Educacional do Deficiente Auditivo (Cedau)

certificada 2011

Instituição
Fundação para o Estudo e Tratamento das Deformidades Crânio-faciais (FUNCRAF)
Endereço
Rua Capitão Gomes Duarte 23-60 - Vila Universitária - Bauru/SP
E-mail
nirh@centrinho.usp.br
Telefone
(14) 3235-8402
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Maria José Monteiro Benjamin Buffa(14) 3235-8402zeze@centrinho.usp.br
Resumo da Tecnologia

Trabalho terapêutico e educacional com o objetivo de reabilitar crianças com deficiência auditiva, usuárias de aparelhos de amplificação sonora individual (AASI) e/ou implante coclear (IC), buscando desenvolver as habilidades auditivas e a competência comunicativa por meio da linguagem oral.*{ods3},{ods4},{ods10}*

Tema Principal

Educação

Tema Secundário

Saúde

Problema Solucionado

O Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais/USP realiza diagnóstico, adaptação de AASI e implante coclear em crianças com deficiência auditiva. Contudo, apenas os dispositivos eletrônicos não são suficientes para uma criança aprender a ouvir e falar, é necessário um trabalho de reabilitação efetivo. Assim, foi fundado o Cedau, um centro especializado em reabilitação aurioral, inédito no Brasil e que faz com que muitas famílias se mudem para Bauru-SP em busca da reabilitação de seus filhos. Atualmente, atende 41 crianças de Bauru e de outras cidades do estado de SP, como também de outros estados brasileiros: - São Paulo (SP): 23 crianças (Bauru, Ituverava, Torrinha, Pederneiras, Nova Odessa, Ribeirão Preto, Sorocaba, Lençóis Paulista, Cerqueira César e Agudos); -Minas Gerais (MG): quatro crianças (Belo Horizonte, Barbacena e Araguari); -Amazonas (AM): duas crianças ( Manaus); -Espírito Santo (ES): duas crianças (Vitória); -Tocantins (TO): duas crianças (Gurupi); -Rio de Janeiro (RJ): três crianças (RJ, Niterói, Resende); -Pará (PA): duas crianças (Santarém,Monte Alegre); -Estado de Roraima (Ro): uma criança ( Roraima); -Distrito Federal (DF): duas crianças (Brasília).

Objetivo Geral

Reabilitar crianças com deficiência auditiva, usuárias de AASI e/ou implante coclear, buscando a competência comunicativa por meio da integração da audição e da linguagem oral em suas vidas.

Objetivo Específico

-Desenvolver as habilidades auditivas da criança; -Favorecer a aquisição e o desenvolvimento da linguagem oral; -Favorecer o processo de construção, aquisição e desenvolvimento das habilidades de leitura e escrita; -Incluir a criança no ensino regular; -Realizar orientações e aconselhamento familiar; -Capacitar professores e educadores para atuarem de forma eficaz com as crianças.

Solução Adotada

São elegíveis para o Cedau crianças matriculadas no HRAC-USP, com perda auditiva neurossensorial, usuárias de AASI e/ou IC, na faixa etária 0 a 12 anos, que residam em Bauru ou região e que frequentem escolas do ensino regular em classe comum. O trabalho de reabilitação ocorre em 3 etapas: - 1ª Etapa: Até os 17 meses de idade, a criança realiza com fonoaudióloga e psicóloga sessões individuais acompanhada da mãe duas vezes por semana, durante 50 minutos, o que pode ocorrer na casa de demonstração denominada Casa Caracol ou em outros ambientes do Cedau. Nessa fase, a habilitação enfatiza mais a ação da família e tem como objetivos orientar e aconselhar os pais, oportunizar o acompanhamento no processo de adaptação do AASI e/ou IC, trabalhar o desenvolvimento das habilidades auditivas, enfatizar o desenvolvimento da linguagem e comunicação oral; - 2ª Etapa: Dos18 meses aos seis anos de idade, a criança passa a participar de atividades de grupo nos quais os atendimentos são mais intensos e sistemáticos, sendo que o nível de complexidade das atividades aumenta conforme a idade se eleva. Os grupos são formados por no máximo seis crianças, dirigidas por pedagogas com habilitação em audiocomunicação, e funcionam de segunda a sexta-feira. Os atendimentos têm duração de duas horas e, conforme a necessidade da criança, podem se estender até quatro horas com atendimento individual ou mesmo em grupo. O trabalho nesta etapa visa a desenvolver as habilidades auditivas, favorecer a aquisição e o desenvolvimento da linguagem oral, promover o desenvolvimento global da criança e iniciar a construção do conhecimento para leitura e escrita.; - 3ª Etapa: Nesta etapa, participam crianças de sete a onze anos e o objetivo é dar continuidade ao desenvolvimento das habilidades auditivas e de comunicação oral bem como favorecer o processo de aquisição e desenvolvimento das habilidades de leitura e escrita, auxiliando a criança a alçar graus mais avançados de conhecimento e consequentemente níveis mais elevados de escolaridade. Conforme a idade se eleva, aumenta o nível de complexidade das atividades. As crianças dessa etapa participam diariamente de atividades em grupo de no máximo seis crianças, dirigidas por pedagogas com habilitação em audiocomunicação. Os atendimentos têm duração de duas horas e, conforme a necessidade da criança, poderá se estender até quatro horas com atendimento individual ou mesmo em grupo. O trabalho nesta etapa visa a desenvolver as habilidades auditivas e de leitura e escrita, promover o contato das crianças com diferentes situações de leitura escrita, habilitar as crianças para o uso funcional e social da língua portuguesa escrita no seu cotidiano escolar e pessoal, auxiliar a criança a assumir uma posição mais positiva diante da língua portuguesa nessa modalidade de expressão e promover o conhecimento de aspectos ortográficos, sintáticos e semânticos. Em todas as etapas a fonoaudiologia desenvolve um trabalho integrado com a pedagogia, atendendo às necessidades específicas de cada criança. As sessões de fonoterapia são individuais e acontecem duas vezes por semana durante 50 minutos. A psicologia e o serviço social estão também disponíveis em todas as etapas, tanto para as crianças como para as famílias. Para outros atendimentos relacionados ao tratamento, a criança é encaminhada para os serviços do HRAC. As crianças recebem atendimentos relativos aos aspectos nutricionais, de higiene, saúde e para a garantia do acesso, permanência e frequência da criança no Cedau. É viabilizado transporte escolar pela Prefeitura Municipal. As crianças frequentam escola de ensino regular e a equipe oferece assessoria técnica especializada e realiza Curso de Capacitação a seus educadores visando a instrumentalizá-los de forma a auxiliar o processo de construção de conhecimento do aluno com deficiência auditiva, sua inclusão escolar e social.

Resultado Alcançado

No Cedau, a maioria das crianças chega sem ouvir e sem falar e seus pais, com muita esperança de ver seu filho como uma criança ouvinte. No decorrer de todos esses anos, com um trabalho efetivo de reabilitação, 82 crianças foram beneficiadas e 41 estão em processo de reabilitação. É muito gratificante, tanto para a equipe quanto para os pais, vê-las integrada em todo e qualquer ambiente da sociedade, se comunicando oralmente e também cantando, como assim o fazem no coral do Cedau que se apresenta em eventos da comunidade e encanta a todos. Por outro lado, o Cedau contribui com a formação de recursos humanos e com a comunidade científica. O Cedau é bastante visitado por profissionais de outras instituições nacionais e internacionais, sendo considerado referência em reabilitação de crianças com deficiência auditiva. Os resultados quantitativos até 2011 foram: : -Crianças beneficiadas com o Cedau: 123; -Escolas atingidas com o Curso de Capacitação de Professores que atuam com alunos com surdez no ensino regular: 363, sendo 146 municipais, 128 estaduais e 89 particulares; -Pesquisas científicas realizadas: 20; -Publicações (manuais, capítulos de livros, artigos em revistas etc): 13; -Publicações em Anais de Congressos: 36; -Participação em eventos científicos (ouvinte): 206; -Participação em eventos científicos (ministrante): 211; -Entrevistas concedidas a rádios, jornais e TV: 13; Formação de Recursos Humanos: -Educadores capacitados no Curso de Capacitação de Professores: 621; -Pessoas capacitadas no Curso de informática para familiares: 16; -Alunos de Aprimoramento Profissional (Pedagogia): 14; -Alunos de Especialização Fonoaudiologia: 10; -Alunos de Especialização Serviço Social: dois; -Alunos de Especialização em psicologia: dois.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Bauru / São PauloVila Universitária11/1990
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Portadores de deficiência
Quantidade: 123
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Coordenador1
Recepcionista1
Pedagogo6
Psicólogo1
Assistente Social1
Fonoaudiólogo5
Secretária1
Auxiliar de Administração1
Auxiliar de Serviços Gerais3
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

-Imóvel contendo: uma sala de recepção, uma quadra esportiva, um parque com vários brinquedos, um pátio coberto para recreação, um banheiro infantil, um banheiro masculino e um banheiro feminino, uma sala de reunião, uma sala de materiais didático-pedagógicos e brinquedos em geral, uma secretaria, uma sala de coordenação, seis salas de Pedagogia, uma sala de Serviço Social, uma sala de psicologia, uma sala de informática, um salão multiuso, um depósito, um depósito de material de limpeza e uma copa/cozinha; -Equipamentos: um aparelho de TV, um aparelho de DVD, uma máquina copiadora , um aparelho de fax, doze microcomputadores, duas impressoras, um datashow, um aparelho de PABX, aparelhos telefônicos, móveis de escritório e de salas de aula.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Valor estimado com recursos humanos e equipamentos: R$ 100.000,00. O custo do aluguel do imóvel, água, luz, telefone, vigilância etc. não está sendo considerado pelo fato de o valor ser rateado com outros dois programas que funcionam no mesmo espaço.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Prefeitura Municipal de BauruTransporte das crianças e dispensa dos professores para participação no Curso de Capacitação de Professores.
Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC) - USPPrincipal parceiro da Funcraf na manutenção de toda a estrutura do Cedau
Diretoria Regional de Ensino do EstadoDispensa dos professores para participação no Curso de Capacitação de Professores
Impacto Ambiental

Contribuição significativa para a inclusão social das crianças, assim como de suas famílias.

Forma de Acompanhamento

-Pesquisas científicas; -Relatórios estatísticos; -Discussões de casos; -Reuniões administrativo-pedagógicas; -Avaliação a cada término do Curso de Capacitação; -Visita técnica.

Forma de Transferência

A equipe do Cedau se disponibiliza a capacitar e oferecer assessoria técnica a outras comunidades interessadas em implantar um Centro de Reabilitação de crianças usuárias de AASI e/ou Implante Coclear, oferecendo vídeos, publicações, entre outros.

Endereços eletrônicos associados à tecnologia