Cineclube CineMágico

certificada 2011

Instituição
Associação Caminho das Artes
Endereço
Rua Sete de Setembro, 2053 - Centro - São Carlos/SP
E-mail
contato@massacoletiva.foradoeixo.org.br
Telefone
(16) 3412-7124
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Yasmin Bidim(16) 3141-2712yasmin@massacoletiva.foradoeixo.org.br
Resumo da Tecnologia

Esta tecnologia visa promover a realização de sessões de cineclube em áreas rurais, tendo a comunidade local papel ativo na realização de várias etapas do projeto, visando em especial ao protagonismo das mulheres da comunidade.*{ods4},{ods8},{ods12}*

Tema Principal

Renda

Tema Secundário

Educação

Problema Solucionado

Na comunidade onde a tecnologia vem sendo aplicada, existia uma carência de aparelhos culturais que proporcionassem aos moradores momentos de interação social, de fruição e lazer. A partir da realização das sessões mensais de cineclube, os moradores passaram a cultivar esse momento de interação e a participar ativamente da divulgação, organização e programação das sessões, contribuindo para a sustentabilidade do projeto e promovendo o diálogo entre as moradoras, que potencializou suas trocas de informação e experiências. A aplicação da tecnologia também possibilitou que houvesse maior interação com a escola local da comunidade, voltada para ensino de adultos, sendo o espaço da escola utilizado para divulgação e debate das sessões. Por causa das sessões, as moradoras que vendem produtos na comunidade passaram a conviver, logo, as vendas e trocas de produtos aumentaram. De forma geral, houve um aumento da interação comunitária e fortalecimento das relações dos moradores que frequentam o Cineclube.

Objetivo Geral

Promover através da atividade cineclubista a interação e integração dos membros da comunidade, aumentando o diálogo entre eles e potencializando a troca de informações e experiências. Além de fomentar a economia de produtos locais e estimular o lazer e bem-estar da comunidade.

Objetivo Específico

-Promover sessões regulares de cineclube no distrito, tornando a atividade parte do cotidiano da comunidade; -Envolver a comunidade nos processos de realização das sessões, para que cada vez mais os moradores se tornem protagonistas e agentes da atividade cultural; -Buscar sempre exibir filmes e outros produtos culturais que não tenham espaço de circulação na grande mídia, com a intenção de promover uma programação diferenciada; -Propiciar, no espaço da sessão, formas de comercialização e exposição dos produtos locais; -Integrar as instituições e organizações do bairro, formando uma rede que promova eventos e atividades locais; -Promover parcerias com os moradores e com o comércio local visando à sustentabilidade das sessões e de outros eventos culturais.

Solução Adotada

1. Programação: Nessa etapa, é feita uma conversa com o público da sessão para pesquisa de qual filme ou quais gêneros de filmes ele gostaria de assistir. 2. Escolha do local da sessão: Nessa etapa, conversamos com os moradores para definirmos onde ocorrerá a sessão. Alguém oferece sua casa e combinamos um dia para visitar e conhecer o local, ver a estrutura etc. A equipe faz a visita e conhece os moradores da casa. 3. Planejamento da sessão: A equipe começa a listar o que é necessário para realizar a sessão. Material de divulgação, estrutura, decoração, alimentação. Após o levantamento, é feito o contato com parceiros e moradores locais para que sejam providenciados todos os itens necessários. 4. Divulgação: A equipe prepara o material de divulgação (cartazes e panfletos). Nessa etapa, ocorre a maior integração com a comunidade, que participa ativamente da divulgação, ajudando a distribuir os panfletos, colar cartazes, telefonando e convidando para a sessão. Além disso, há divulgação nas mídias, como jornal, rádio e redes sociais. Os moradores se mobilizam para ir nas casas uns dos outros, na escola, no comércio ou na igreja. 5. A sessão: Para que a sessão ocorra, o público sempre se programa com antecedência e, além da exibição do filme seguida de debate, promove um lanche comunitário, em que cada família leva algum prato ou refrigerante. Os moradores da chácara onde ocorre a sessão sempre fazem pipoca e também providenciam a estrutura física como cadeiras, mesa, iluminação etc. Algumas sessões têm um formato mais dinâmico, como, por exemplo, uma sessão que contou com várias rodadas de bingo, em que os produtos sorteados eram aqueles comercializados pelas moradoras, gerando lucro a essas mulheres. 6. Reunião e encontro com os moradores: Semanalmente, mesmo que não ocorra sessão, a equipe do cineclube visita os moradores que frequentam as sessões, para saber como está a relação com a comunidade, a interação entre os moradores, a comercialização dos produtos e o planejamento das sessões. A equipe também já participou de reunião de associação de moradores, discutindo as questões locais. 7. Delírios de um Cinemaníaco: Projeto de realização de um longa-metragem baseado na vida de José de Oliveira, cineasta são-carlense. Parte das gravações do filme foi realizada no bairro do Vale da Santa Felicidade e os moradores participaram do filme, tanto como atores quanto como parceiros para utilização da residência como locação. Antes da fase de filmagem, foram realizadas oficinas pela equipe do cineclube, de atuação e também de manuseio dos equipamentos de filmagem. A ideia é que o filme traga visibilidade para a região e que os moradores possam participar da realização de um produto audiovisual que depois será exibido na sessão do cineclube, ou seja, terão a experiência de participar do funcionamento prático da cadeia produtiva do audiovisual.

Resultado Alcançado

Resultados Quantitativos: -Total de público das sessões: 300 pessoas; -Total de pessoas envolvidas na equipe de produção: 15; -Total de parceiros que trabalharam para o projeto (moradores da Quinta da Felicidade que, além de participar como público, também ajudaram na produção e divulgação das sessões): 15; -Total de horas de trabalho investidas: 500 horas; - Total de reais investidos pelo Massa Coletiva: R$568,00; -Número de filmes exibidos: 15 (cinco longas e dez curtas); -Um vídeo produzido; -Seis álbuns de fotografia; -Seis releases de programação. Resultados Qualitativos: -Maior integração entre os moradores do Vale da Santa Felicidade; -Aumento na circulação de produtos dentro do bairro; -Maior integração entre escola e comunidade; -Mais qualidade de vida aos moradores; -Movimentação da cadeia produtiva do audiovisual, graças à circulação dos filmes que são exibidos, além do ganho de experiência por parte dos organizadores da ação; -Integração entre área urbana e rural da cidade de São Carlos; -Formação de agentes multiplicadores e lideranças comunitárias; -Mobilização dos moradores do bairro para resolverem problemas e questões locais, como a reativação do Centro Comunitário para realizar as sessões e outras atividades de lazer; -Cultivo do bem estar e lazer da comunidade, a partir da participação nas sessões e das gravações do filme; -Maior destaque para a região do Vale da Santa Felicidade na mídia local de São Carlos; -Ampliação do debate de temas como saúde, diversidade, educação e cidadania, disparados pelas sessões; -Maior protagonismo dos moradores em relação às atividades realizadas no bairro. -Capacitação de moradores locais para a realização das sessões e outros eventos culturais; -Aproximação dos moradores aos conceitos da economia solidária, através da colaboração e participação na produção das sessões.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
São Carlos / São PauloVale da Santa Felicidade - Água Vermelha11/2010
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Idosos
Adolescentes
Lideranças Comunitárias
Trabalhadores Autônomos
Trabalhadores Rurais
Quantidade: 100
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Gestor Cultural4
Agente de Comunicação2
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

-Computador capaz de exibir vídeos; -Projetor de vídeo; -Sonorização; -Câmera de vídeo; -Câmera fotográfica; -Material gráfico; -Transporte de equipe e equipamentos; -Material gráfico; -Cabos de áudio; -Cabos de vídeo; -Cadeiras; -Extensões elétricas; -DVDs e CDs virgens; -Materiais descartáveis; -Conexão com internet.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

O valor estimado para desenvolver essa tecnologia pelo período de seis meses varia entre R$ 10.000 e R$ 15.000.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Prefeitura municipal de São CarlosApoio com divulgação.
Unidade de Saúde da FamiliaApoio com articulação local.
Centro Público de Economia SolidáriaApoio com espaço físico.
Incubadora de Economia Silidária da Universidade Federal de São CarlosAcessoria conceitual.
Produtora Audiovisual Filmes para BailarParceria na realização do filme Delírios de um Cinemaníaco.
Circuito Fora do EixoApoio com desenvolvimento de tecnologias sociais.
Impacto Ambiental

Não há impacto ambiental significativo.

Forma de Acompanhamento

Os meios utilizados para realizar o acompanhamento vão desde produção de vídeos, relatórios semestrais, textos jornalísticos de cada sessão ou evento, fotografia de cada sessão ou evento até planilhas de sistematização da produção desenvolvidas pelo Circuito Fora do Eixo.

Forma de Transferência

A transferência da tecnologia desenvolvida pode ser realizada principalmente por meio de oficinas de formação.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Relatório descrevendo as ações do projeto nos seis primeiros meses de 2011.Baixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologia