Cisterna calçadão para Potencialização de Quintais Produtivos

certificada 2011

Instituição
Associação Programa Um Milhão de Cisternas para o Semi-Árido
Endereço
Rua Nicarágua, nº 111 - Espinheiro - Recife/PE
E-mail
asa@asabrasil.org.br
Telefone
(81) 2121-7609
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Antônio Gomes Barbosa(81) 2121-7666barbosa@asabrasil.org.br
Resumo da Tecnologia

A tecnologia cisterna-calçadão consiste em um espaço de 200m2 para captação de água da chuva e reservatório com capacidade para 52mil litros e tem como finalidade armazenar água para a produção de alimentos, plantas medicinais e criação de pequenos animais potencializando os quintais produtivos.

Tema Principal

Recursos Hídricos

Tema Secundário

Alimentação

Problema Solucionado

O principal problema solucionado é o acesso à água para produção de alimentos saudáveis e a garantia da segurança alimentar e nutricional da população difusa do semiárido. Essa insegurança é causada por uma combinação de fatores, dentre eles os climáticos, a concentração da precipitação em poucos meses do ano e o balanço hídrico negativo, ou seja, a evaporação no semiárido é três vezes maior do que a precipitação. E também fatores políticos, governos anteriores do estado brasileiro investiram em grandes obras, que concentraram os recursos hídricos em propriedades particulares e a concentração de terras nas mãos de poucos proprietários. Esses fatores dificultam ou impedem a produção de alimentos pela agricultura familiar e a enfraquecem, causando inclusive a saída das pessoas, em especial dos jovens do campo. A cisterna-calçadão é uma das alternativas capaz de solucionar parte dessa problemática, que é o acesso à água para produção de alimentos saudáveis e assim a garantia pelos agricultores e agricultoras de sua segurança alimentar e nutricional, além da possibilidade de comercialização do excedente.

Objetivo Geral

Construção de tanque (cisterna) com capacidade de 52 mil litros de água ligado a um calçadão que vai captar e armazenar água da chuva para a produção de alimentos, plantas medicinais e criação de pequenos animais potencializando os quintais produtivos.

Objetivo Específico

- Propiciar o acesso descentralizado à água para produção de alimentos de origem vegetal e animal aos/às agricultores/as familiares residentes no Semiárido brasileiro; - Potencializar o quintal produtivo no cultivo de alimentos diversificados para consumo da família através do plantio de hortas e plantas medicinais; - Criar animais de pequeno porte (galinhas, ovelhas e/ou cabras criadas na corda); - Fazer irrigação de salvação; - Utilizar a água para sistemas simplificados de irrigação; - Assegurar água para os pequenos animais no período de estiagem; - Utilizar o calçadão para secagem de produtos como feijão, milho, goma e a casca e a maniva da mandioca que, passadas na forrageira, servem de alimento para os animais e para outros usos; - Gerar renda monetária a partir da venda dos excedentes produzidos nos quintais produtivos; - Implementar um processo de formação que considere a educação para a convivência com o Semiárido e a participação nas políticas públicas.

Solução Adotada

Cisterna-calçadão é uma tecnologia social com capacidade de estocar até 52 mil litros de água, ligada a um calçadão de 200m2 que serve como área de captação da água das chuvas. Essa água escorre do calçadão até a cisterna através de um cano que liga uma à outra. O tamanho do calçadão foi pensado para garantir o enchimento da cisterna mesmo em anos em que a ocorrência de chuvas seja abaixo da média, sendo possível garantir que a cisterna chegue à sua capacidade total com apenas 350 milímetros de chuva, permitindo a irrigação de salvação. Quando não está chovendo, o calçadão é utilizado também para secagem de produtos como feijão, milho, goma, a casca e a maniva da mandioca para passar na forrageira, que serve de alimento para os animais e para outros usos. As cisternas-calçadão instigam os/as agricultores/as a implantarem os quintais produtivos, que são espaços ao redor da casa, em geral geridos pelas mulheres, possuindo alta capacidade produtiva e reprodutiva. Neles é possível produzir hortas, plantas medicinais, pomares, aves, pequenos animais, jardins e vários produtos alimentícios. Nesse sentido, é importante a participação e o envolvimento da família na construção e no manejo da cisterna-calçadão. É muito importante que as famílias que conquistam a cisterna-calçadão se organizem, participem de sua construção e aprendam novas maneiras de produzir a partir da Agroecologia e, assim, possam gerar saúde e vida digna para sua família e comunidade. Os passos para a construção da cisterna são: - Identificar do local para a construção da tecnologia (preferencialmente no quintal para facilitar o trabalho da família); - Escavar o buraco da cisterna - o buraco deve ter 1,80 metros de profundidade e sete metros de diâmetro) e ele deve ser feito, primeiramente, com máquina e finalizar manualmente; - Estruturar o contrapiso e o piso com uma grade de ferro; - Levantar a parede - uma das formas mais comuns de realizar esse passo é o uso de três linhas de placas de 60x50 cm. A placa é de areia e cimento. É importante ressaltar que a preparação da placa deve ser feita embaixo de uma lona para, ao misturar cimento, areia e água, não perder a umidade do preparado para o solo; - Cobrir a cisterna - erguida a parede, cabos de concreto e ferro devem ser posicionados nas paredes a fim de que essa estrutura melhor sustente as placas de fechamento da cobertura. Após a fixação das placas na estrutura, estas serão rebocadas e pintadas de cal branco; Para construção do calçadão, os passos são: - Estruturar o terreno - este deve estar com um desnível suave. É importante não fazer aterramento, pois acarreta possíveis rachaduras. - Preparar o piso - após a terraplanagem do terreno, o piso será preparado com concreto e disposto em placas de um metro quadrado e com espessura mínima de quatro a cinco centímetros. O piso deverá ser terminado em um único dia, para não incorrer infiltração; - Fazer um pequeno muro de alvenaria para ladear o piso; - Colocar as juntas de dilatação - entre as placas do piso devem ser colocadas as juntas de dilatação (pode ser de silicone, polietileno ou outro material). É importante que elas tenham a mesma espessura que as placas e que não sejam cobertas com cimento. Para levar água do calçadão à cisterna, é necessário ser construído um pequeno tanque conhecido como decantador, composto por dois canos: um de 100 mm com uma peneira em uma das suas extremidades para evitar entrada de sujeira e outro de uma polegada que funciona como sangradouro. Duas considerações importantes: - o calçadão deve receber uma cerca para evitar entrada de animais e pessoas e deve ser varrido com freqüência, além de ser importante a realização de reparos periódicos; - é recomendável não colocar água de mais na preparação do cimento. A quantidade ideal é aquela que permite a pessoa conseguir misturar a massa.

Resultado Alcançado

Foram construídas 6.219 (seis mil, duzentos e dezenove) cisternas-calçadão, beneficiando 6.219 (seis mil, duzentos e dezenove) famílias em nove Estados brasileiros: Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Foram observadas ações complementares à tecnologia, tais como: crescente estímulo às práticas agroecológicas, à troca de conhecimento entre os agricultores e as agricultoras familiares e a valorização do saber e das expressões culturais das populações locais. A tecnologia e estas ações propiciaram o aumento da renda das famílias, por meio da venda do excedente produzido nos quintais produtivos, a promoção da organização e da mobilização da comunidade, a garantia da soberania e da segurança alimentar e nutricional das famílias, a valorização da participação das mulheres e dos jovens nas ações comunitárias e a melhoria da auto-estima.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Belo Monte / Alagoas(Planilha completa com todas as Cisternas construídas segue como anexo)11/2010
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Agricultores Familiares
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Animador/a Social3
Pedreiro/a1
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Os materiais necessários para construção de uma cisterna-calçadão são: Quantidade - Unidade - Especificação - 29,40 KG - Aço CA-50 1/4" (6,35MM) - 104,28 KG - Aço CA-50 5/16" (7,94MM) - 1 KG - Arame recozido 18 BWG - 1,25MM - 9,60 G/M - 40 KG - Arame galvanizado 12 BWG - 2,60MM - 48,00 G/M - 22 M³ - Areia grossa - 1 Unid - Bomba de repuxo manual - 1 Unid - Cap PVC Sold P/ Esg Predial DN 100MM - 2 Unid - Joelho PVC soldável 90G PB p/ esg predial DN 100MM - 4,5 M³ - Pedra britada N. 1 ou 19MM - 1 Unid - Cadeado latão cromado H = 25MM - 1.000 Unid - Tijolo de cerâmica furado 8 furos de 10x20x20CM - 12 KG - Impermeabilizante p/concreto e argamassa - 12 M - Tubo PVC p/ esg predial DN 100MM - 3 M - Tubo PVC soldável p/água fria predial EB-892 DN 32MM - 90 sc 50 kg - Cimento portland Comum CP I-32 50kG - 20 KG - Cal hidratada p/pintura - 3 M - Tubo PVC leve p/esg predial DN 150MM - 1 Unid - Placa de identificação - 1 Unid - Tampa - 20 dias - Prestação de serviço de escavação - 20 dias - Encargos do serviço de escavação (INSS 20%) Pelo fato das cisternas-calçadão estarem vinculadas aos quintais produtivos, segue, abaixo, a relação de materiais necessários à implantação dos quintais: - Regador; - Lona para canteiros econômicos; - Tijolo de cerâmica 8 furos; - Insumos para produção de alimentos; - Cano de PVC 32mm; - Joelho PVC 32mm.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

O valor de uma cisterna-calçadão é de R$ 7.538,00(sete mil, quinhentos e trinta e oito reais). Estão inclusos neste valor os custos com os materiais de construção, a contribuição dada à família beneficiária para o pagamento do/a pedreiro/a e os materiais para a potencialização dos quintais produtivos. Não está incluso neste orçamento o pagamento com a equipe técnica (recursos humanos).

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS)Parceiro financiador
Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA)Parceiro financiador
Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF)Parceiro financiador
Petróleo Brasileiro S. A. (Petrobras)Parceiro financiador
Associação Recife-Oxford para a Cooperação ao Desenvolvimento (OXFAM)Articulação Sociopolítica
Articulação Nacional de Agroecologia (ANA)Articulação Sociopolítica
Rede de Tecnologia Social (RTS)Articulação Sociopolítica
Impacto Ambiental

A construção de cisternas-calçadão interfere positivamente no meio ambiente evitando o carreamento de materiais sólidos em excesso durante a época chuvosa na região semiárida (diminui o escoamento superficial). Como tecnologia simples e apropriada à região, a cisterna-calçadão não proporciona impacto negativo ao meio ambiente, uma vez que não explora os lençóis freáticos nem deposita no ambiente qualquer tipo de resíduo.

Forma de Acompanhamento

A principal forma de acompanhamento da tecnologia é a verificação do uso das cisternas na produção de alimentos da família. Esse acompanhamento ocorre através de visitas domiciliares, oficinas de avaliação e também através de intercâmbios entre as famílias, a fim de se partilhar experiências e ver nas comunidades o que vem dando resultado.

Forma de Transferência

Destaca-se, em primeiro lugar, as atividades de capacitação sobre o processo de construção da tecnologia, sobre convivência com o Semiárido, ciclo da água e sobre os cuidados com a cisterna. Outra estratégia de transferência são os encontros de intercâmbio, que permitem os agricultores conhecerem experiências desenvolvidas por outras famílias. São nestes encontros que as experiências são compartilhadas, que as famílias constroem coletivamente conhecimentos sobre a situação das águas da região, sobre outras iniciativas e possibilidades de estocagem e sobre a importância de planejar a produção a partir do que existe na comunidade. A partir dessa atividade de intercâmbio, as experiências são sistematizadas e dão origem aos boletins impressos, cartilhas sobre manejos e materiais de áudio.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Boletim Informativo P1+2Baixar
Boletim Informativo P1+2Baixar
Boletim Informativo P1+2Baixar
CartilhaBaixar
Planilha contendo UF, Cidade, Comunid., Data, longitude e latitude.download
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

A cisterna-calçadão é uma das tecnologias desenvolvidas pelo Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2), desenvolvido por organizações da sociedade civil integrantes da Articulação no SemiÁrido Brasileiro (ASA). A garantia do acesso à água para consumo humano na região semiárida foi o ponto de partida do trabalho da ASA, por meio do Programa Um Milhão de Cisternas Rurais (P1MC). Lançado em 2003, o P1MC visa construir um milhão de reservatórios para atender cinco milhões de pessoas. Quatro anos depois, a rede lançou o P1+2, cujas tecnologias sociais armazenam água para produção de alimentos, combatendo a fome e contribuindo para a erradicação da extrema pobreza na região.