Coopercuc - Fazendo do Semiárido um Lugar Melhor para Viver

certificada 2011

Instituição
Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (COOPERCUC)
Endereço
Rua Jorge Ribeiro de Sá, S/N - Centro - Uauá - Bahia - Uauá/BA
E-mail
administracao@coopercuc.com.br
Telefone
(74) 3673-1428
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Valdivino Rodrigues de Souza(74) 3673-1428valdivino_13@yahoo.com.br
Resumo da Tecnologia

A Cooperativa de Agropecuária Familiar de Canudos (Coopercuc) gera, há oito anos, renda, alimentos para o mercado e desenvolvimento sustentável na região do Semiárido.*{ods2},{ods3},{ods4},{ods8},{ods12}*

Tema Principal

Renda

Tema Secundário

Alimentação

Problema Solucionado

Há muito tempo as famílias do Sertão da Bahia viviam sem alternativa para gerar renda de maneira sustentável e em harmonia com o ecossistema da região, apesar do potencial produtivo excepcional, numa região onde o extrativismo, principalmente de frutas como o umbu e maracujá da caatinga, se destaca. Essas famílias, por falta de acompanhamento e desenvolvimento de tecnologias adaptadas, não conseguiam aproveitar o potencial. Com a iniciativa da Coopercuc, que organizou os grupos e comunidades, instalaram-se as pequenas Unidades de Beneficiamento e a Fábrica maior. Na cooperativa, a fruta do umbu e, logo depois, também o maracujá da caatinga se transformavam em doces, compotas, geleias, sucos e outras iguarias. Esses produtos passaram a ser comercializados com valor agregado, o que contribuiu para que as famílias pudessem aproveitar melhor a produção local.

Objetivo Geral

Fortalecimento da agricultura familiar com vista na produção ecológica economicamente viável e socialmente justa, fundamentada no desenvolvimento local sustentável.

Objetivo Específico

-Melhorar a alimentação das famílias; -Proporcionar o aumento da renda familiar; -Diversificar a produção; -Armazenar os produtos por um período mais longo; -Facilitar e ampliar a comercialização; -Valorizar os produtos regionais; -Despertar para a importância da preservação ambiental; -Capacitar os produtores/as na industrialização de produtos.

Solução Adotada

Segundo os Indicadores de Desenvolvimento Econômico e Social dos Municípios da Bahia, a situação socioeconômica dos três municípios revela deficiências quanto à geração de oportunidades de emprego e alternativas consistentes de renda, à infraestrutura básica de saneamento e de serviços de transporte, estradas, no atendimento à saúde etc. A Cooperativa de Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc) foi criada em junho de 2004 por um grupo de 44 mulheres agricultoras rurais unidas no sertão baiano com o objetivo de organizar toda a produção dos agricultores familiares envolvidos com a comercialização. Nasceu das bases dos movimentos sociais, Comunidades Eclesiais de Base (CEBS), mutirões, missões, grupos de catequese, organizações comunitárias, associações e de lutas sindicais. Desde 1986, um pequeno grupo de 20 mulheres se reunia e, mesmo de forma artesanal, utilizava o umbu na preparação de alguns produtos. Depois, criou-se o Grupo Unidos do Sertão, com a participação de 30 comunidades (envolvendo mais de 100 pessoas). Os produtos elaborados pelo grupo eram comercializados em feiras municipais, sendo que a primeira barraca foi montada na feira de Uauá. Surgia a cada dia a necessidade de melhorar a oferta e qualidade dos produtos para atender as exigências de mercado. Com a perspectiva de melhorar a organização da produção, o grupo deu passos para a fundação da Coopercuc, constituída em abril de 2003 e legalizada em 28 de junho de 2004, com sede em Uauá (BA). A partir de 2006, deu-se início ao processo de certificação orgânic com a estratégia de garantir de forma diferenciada e segura produtos orgânicos para o mercado nacional e internacional. A primeira venda feita pela cooperativa foi para a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do governo federal, permitindo o fortalecimento da agricultura familiar com base na segurança alimentar e no combate à pobreza. Foi a primeira experiência da cooperativa com vendas institucionais, o que também ajudou a estruturá-la do ponto de vista organizacional, impulsionando a comercialização para o mercado externo. Com um quadro atual social de 144 cooperados/as, a Coopercuc tem a missão de contribuir para o fortalecimento da agricultura familiar, visando à produção ecologicamente correta, economicamente viável, socialmente justa e solidária, contribuindo com a melhoria das condições de vida sustentável das comunidades rurais nos municípios de Canudos, Uauá e Curaçá, localizados no Sertão do São Francisco, região semiárida da Bahia. Ao longo de cinco anos vem desenvolvendo a autoadministração e gestão cooperativista em torno da organização, beneficiamento e comercialização dos produtos da agricultura familiar, em especial dos produtos oriundos do extrativismo das plantas nativas do bioma caatinga. Atualmente trabalha com o beneficiamento de seis tipos de frutas: umbu (fruta mais utilizada), maracujá da caatinga, maracujá amarelo, manga, goiaba e banana, transformando-os em doces, geléias, polpas, sucos, compotas, caldas para sorvetes, vinagre e outros, com grande aceitação nos mercados nacional e internacional. A Coopercuc realiza seu trabalho respeitando os quatro eixos fundamentais: social, ambiental, cultural e econômico. A rede congrega 18 associações rurais com 18 mini-unidades de processamento de frutas. Ambas as partes desenvolvem as políticas de desenvolvimento local sustentáveis das comunidades rurais de “fundo de pasto” (modelo de utilização coletiva das terras pelos criadores de caprinos e ovinos) com um público alvo de 300 famílias. Hoje são 200 toneladas de frutas processadas com o certificado de orgânico nacional e internacional pela Ecocert-Brasil (certificadora de produtos orgânicos), sendo comercializadas no mercado nacional e internacional. Os produtos fabricados pelos grupos de agricultores familiares nas comunidades articuladas pela cooperativa têm sido inseridos desde 2003 nas escolas e creches.

Resultado Alcançado

Com a Tecnologia Social da Coopercuc, podemos descrever inúmeros resultados: -Aproveitamento de diversos produtos extrativismo como umbu e maracujá da caatinga por centenas de famílias bem como produtos da agricultura familiar; -Alcance a mercados para apresentação e comercialização dos produtos; -Capacitação, certificação, fortalecimento institucional e acesso aos mercados; -Fortalecimentos dos empreendimentos coletivos; -Projeto Consolidação do Fortalecimento Institucional; -Projeto Visão Mundial; -Projeto Apoio à Comercialização e Produção dos Grupos das Comunidades; -Suporte às ações de comercialização, além de fortalecer institucionalmente a cooperativa por conta dos intercâmbios; -Assessoria “Apoio a Gestão”; -Elaboração do Diagnóstico e plano de ação referente gestão e comercialização; -Realização do Festival do Umbu que possibilita dar maior visibilidade do trabalho perante as comunidades e a população em geral bem como para as entidades parceiras; -Divulgação na mídia: produção de três matérias sobre o trabalho da Coopercuc para TV Globo, Ana Maria Braga e Globo Rural; -Ampliação do capital de giro com uma parceria Coopercuc e Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) com o novo projeto Programa de Aquisição de Alimentos de Formação de Estoque; -Criação da Associação Brasileira de Organizações Sustentáveis da Agricultura Familiar; -Constituição de uma organização que dará suporte comercial na compra e venda de produtos da agricultura familiar; O resultado mais importante a destacar com a prática é a melhoria da qualidade de vida das famílias envolvidas no processo. Hoje a Coopercuc em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado da Bahia, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e o BNDES trabalha no projeto Semeando Renda, que atende a 18 comunidades com a perspectiva de ampliação da ação, inclusive com a reestruturação desses espaços de beneficiamento de frutas tanto nas mini-fábricas quanto na Unidade de Beneficiamento maior, localizada na sede de Uauá. Portanto, transformar umbu, maracujá e outras frutas em doces, geleias, compotas e sucos tem sido para as famílias da nossa região uma tecnologia social de bons resultados e que tem melhorado a vida de muita gente.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Uauá / BahiaComunidade de Lajes das Aroeiras04/1994
Canudos / BahiaComunidade Sitio do Tomaz04/1994
Curaçá / BahiaComunidade de Brandão04/1994
Canudos / BahiaComunidade de Raso04/1994
Curaçá / BahiaComunidade de Serra Grande04/1994
Curaçá / BahiaComunidade de Caladinho04/1994
Curaçá / BahiaComunidade de Cachaqui04/1994
Curaçá / BahiaComunidade de Patamuté08/1994
Curaçá / BahiaComunidade de Jaquinicó05/2011
Curaçá / BahiaComunidade de Salgado05/2011
Uauá / BahiaComunidade de Desterro01/2002
Uauá / BahiaComunidade de Testa Branca04/1994
Uauá / BahiaDistrito de Caldeirão do Almeida05/2002
Uauá / BahiaComunidade de Serra da Besta01/2002
Uauá / BahiaComunidade de Marruá01/2002
Uauá / BahiaComunidade de Cocobocó01/2002
Uauá / BahiaComunidade de Maria Preta01/2002
Uauá / BahiaComunidade de Caititus01/2002
Remanso / BahiaAmona/Coapri03/2010
Brumado / BahiaSeis Empreendimentos Gente de Valor/Acompanhamento da COOPERCUC01/2010
São Raimundo Nonato / PiauíGrupo UMBUS01/2010
Sento Sé / BahiaLajes01/2011
Jaguarari / BahiaNova Laboticaba03/2010
Jaguarari / BahiaAssociação de Gameleira01/2011
Chorrochó / BahiaAssociação Povoado São José01/2011
Adustina / BahiaGrupo de Mulheres de Adustina07/2010
Afrânio / PernambucoGrupo de Mulheres de Afrânio02/2011
Manoel Vitorino / BahiaGrupo de Empreendimentos de Manoel Vitorino08/2010
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Agricultores Familiares
Alunos do ensino básico
Alunos do ensino fundamental
Alunos do ensino médio
Quantidade: 12.500
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Gerente Geral1
Técnicos de Produção21
Agentes de Comercialização3
Técnicos em Administração2
Educador1
Técnicos em Agropecuária2
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

A tecnologia social é implantada nas 18 mini-unidades e na unidade maior da sede equipadas com fogão a lenha, caldeira a vapor, tachos para processar as frutas, fogão ecológico, dosadores, despolpadeira de frutas, balanças, equipamentos de informática, carro para transporte dos produtos, baldes plásticos, embalagens de vidros, potes personalizados para embalagem dos produtos e caixas de papelão personalizadas.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Todas as mini-fábricas nas comunidades, incluindo a unidade central de benefiaciamento, tiveram um custo estimado para sua implementação no valor de R$ 1.340.000,00.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Fundação Slow Food para a BiodiversidadeParceiro
Organização Intereclesiástica para a Cooperação e o Desenvolvimento (ICCO)Parceira
Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR)Parceira
Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA)Parceiro no Desenvolvimento de Projetos
Instituto de Cooperação para Projetos de Desenvolvimento (ICEP)Parceiro
Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB)Parceira
Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA)Parceiro
União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (UNICAFES)Afiliada e Parceira
Banco do BrasilA COOPERCUC é um dos principais correntistas da Agência local
Assessoria e Gestão em Estudos da Natureza Desenvolvimento Humano e Agroecologia (AGENDHA)Parceira
Impacto Ambiental

Desde o início da implementação da tecnologia de aproveitamento e beneficiamento das frutas, a Coopercuc levantou a preocupação para a questão ambiental, primando não só pelo não uso de lenha verde e de madeiras da Caatinga como também pela maneira mais ecológica de catar os frutos, sem bater ou sacudir as árvores, como forma de preservar o meio ambiente e proteger as áreas de produção.

Forma de Acompanhamento

Para acompanhar o desenvolvimento da tecnologia de aproveitamento e beneficiamento de frutas bem como a comercialização dos produtos, a Coopercuc dispõe de uma equipe de técnicos que acompanham todo o processo junto aos agricultores familiares nas comunidades e fazem a avaliação, analisam as falhas e apontam as correções. Apresentam-se um planejamento semanal e um relatório na reunião de equipe que acontece a cada semana.

Forma de Transferência

A experiência da Cooeprcuc já é conhecida por diversos grupos, em muitas regiões, inclusive a nível internacional. A Coopercuc dispõe de uma equipe que realiza cursos, palestras e oficinas e orienta outros grupos a desenvolver atividades semelhantes em diversas regiões do Nordeste.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Produtos tipo exportação exposto em Feira na EuropaBaixar
Reportagem TVBaixar
Reportagem TV GloboBaixar
Reportagem TVBaixar
Reportagem TV Globo AçãoBaixar
Reportagem TVBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

Para a Coopercuc, são as trocas entre os vários atores que permitem a internalização de conhecimentos, possibilitando o confronto com o meio e a construção da consciência crítica como base para o seu desenvolvimento. O acesso à informação através de capacitações contínuas tem promovido mudanças de comportamento, transformando os associados da Coopercuc em agentes produtivos e sujeitos da sua existência. Nos municípios abrangidos pela Coopercuc, o desenvolvimento local tem levado os agricultores a um continuado aumento da qualidade de vida, com base na geração de renda e na conservação dos recursos naturais e do meio ambiente, Depoimento de Lucia Marisy Souza Ribeiro de Oliveira, daUniversidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF).