Cores da Terra – Produção de tintas com terra

certificada 2007

Instituição
Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Endereço
Av. P.H. Rolfs, s/n – Campus Universitário - Centro - Viçosa/MG
E-mail
dps@ufv.br
Telefone
(31) 3899-2630
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Anôr Fiorini de Carvalho(31) 3899-1049anorcarvalho@gmail.com
Fernando de Paula Cardoso(31) 3899-1049fernando.pcardoso@yahoo.com.br
Oswaldo Santana Alves(31) 3892-2309osanalves@yahoo.com.br
Resumo da Tecnologia

Resgate de conhecimentos tradicionais sobre técnicas de extração e produção de tintas com pigmentos, base e aglutinantes naturais para a pintura de edificações e peças de artesanato, aperfeiçoamento das técnicas, treinamento para a produção e aplicação das mesmas e capacitação de multiplicadores.*{ods8},{ods13}*

Tema Principal

Renda

Tema Secundário

Meio ambiente

Problema Solucionado

Em 2005 tivemos a ideia de utilizar técnicas de baixo custo para a produção de tintas devido à problemática visualizada nas periferias das cidades: a grande maioria das edificações sem pintura, justamente na fase de acabamento, quando os recursos já exauriram. Outro motivo foram os malefícios à saúde e ao meio ambiente causados pelas tintas industrializadas. Com isso, e devido aos trabalhos desenvolvidos pelo Departamento de Solos da UFV no meio rural, visualizamos a possibilidade de resgatar conhecimentos tradicionais de produção de tintas – em geral utilizando os solos como fonte de pigmentos –, aperfeiçoá-los coletivamente e multiplicá-los, de modo a alcançar a população como um todo, urbana e rural. Desde então, desenvolvemos atividades com o objetivo de capacitar pessoas interessadas pela técnica, as estimulando a se tornarem multiplicadoras e a gerar renda por meio da prestação de serviços de pintura e com a produção de peças de artesanato.

Objetivo Geral

Resgatar conhecimentos tradicionais sobre produção de tintas com pigmentos, aglutinantes e base naturais, aperfeiçoá-los coletivamente e multiplicá-los por meio de oficinas práticas.

Objetivo Específico

1. Desenvolver metodologias de interação social para resgate de conhecimentos, aperfeiçoamento coletivo e difusão das técnicas adequadas aos públicos infantil, adulto, urbano e rural; 2. Aperfeiçoar tecnicamente os procedimentos de extração de pigmentos, aglutinantes e base, e de produção e aplicação de tintas com foco na boa qualidade, no baixo custo, na minimização dos impactos ambientais e na facilidade de produção; 3. Estimular a geração de trabalho e renda por meio da prestação de serviços de pintura imobiliária e confecção de peças de artesanato com o uso de tintas naturais; 4. Conscientizar o público da importância dos cuidados com o meio ambiente e com a saúde; 5. Produzir e distribuir material impresso e digital para divulgação da técnica.

Solução Adotada

11. Metodologia de Formação de Multiplicadores: o curso de formação de multiplicadores compreende os seguintes passos: - Realização de oficina, ministrada por coordenadores do projeto Cores da Terra, com foco na análise dos procedimentos didáticos adotados, seguido de síntese individual e socialização; - Realização de oficina para os coordenadores do projeto Cores da Terra, seguida de discussão sobre as principais dificuldades e sistematização de uma proposta metodológica; - Realização de duas oficinas avaliadas por coordenadores do projeto Cores da Terra; - Avaliação da proposta metodológica aplicada; Elaboração da proposta metodológica final, seguida de mais duas oficinas para avaliação da segunda proposta; - Avaliação final e encaminhamentos; 2. Metodologia de Interação Comunitária: a metodologia compreende os seguintes passos: - Observação: 1º passo, fase de sensibilização na qual a equipe é estimulada a ir à comunidade, observar, perceber a realidade local, colocar os órgãos dos sentidos para funcionar, identificar dificuldades/oportunidades, conversar com as pessoas; - Parceria: nesta fase busca-se a parceria local. Pode ser desde uma casa até uma edificação pública, onde se apresentam as fases para se chegar à pintura efetiva com as Cores da Terra. Nesta fase, em reunião com os possíveis atores locais, se apresentam e analisam as possíveis ações: Experiências de casas já pintadas com terra; Resgate cultural do “barreado”; Escambo de ideias; Passeio pelas paisagens naturais; Coleta de amostras locais; Simulações e oficinas na comunidade; - Decisão: ação de pintar ou não com as cores da terra. Avaliação do processo junto à comunidade via entrevistas e questionários; 3. Metodologia do curso para capacitação técnica (profissionalizante) de pintores e artesãos: o curso de capacitação técnica tem seu conteúdo dividido em 8 módulos para fins de continuidade e melhor apreensão do conteúdo: - As fontes de pigmentos – a tinta natural e a tinta industrializada; - Formas de obtenção de tintas à base de pigmentos extraídos de solos; - Formas de obtenção de tintas à base de pigmentos extraídos de vegetais; - As fases da pintura: escolha e preparação do material, tipos de superfícies, preparação das superfícies e técnicas de pintura; - A questão ambiental e as diversas tintas; - Elaboração de orçamentos; - Identificação e tratamento de patologias ligadas à pintura.; 4. Metodologia das oficinas ministradas em escolas (público infantil e infanto-juvenil) é dividida em: - As cores da natureza (de onde podem vir); - Percepção ambiental para descoberta das cores (coleta de material) e conscientização ambiental; - Produção de tintas e pintura de murais; - Exposição dos trabalhos e da origem das cores; 5. Metodologia das oficinas ministradas em escolas (público adulto) é dividida em: - A história das tintas e das técnicas de pintura; - Formas de obtenção de tintas à base de pigmentos extraídos de solos; - As fases da pintura: escolha e preparação do material, tipos de superfícies, preparação das superfícies e técnicas de pintura; - A questão ambiental e as diversas tintas; - Identificação e tratamento de patologias ligadas à pintura; 6. Outras formas de difusão da técnica: - Produção e divulgação de artigos e reportagens com o curso virtual do CEAD-UFV, apresentação de trabalhos em feiras e congressos e distribuição de cartilhas impressas e digitais via e-mail. O curso conta também com a exposição de material fotográfico de casas pintadas com diferentes tipos de tintas, para exposição das especificidades e problemas que podem decorrer de cada uma. O material didático usado é a cartilha do projeto, recém atualizada. A participação de tintores/pintores mais experientes é garantida ao longo do curso, tanto como forma de motivação quanto para troca de experiências.

Resultado Alcançado

.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Florianópolis / Santa Catarina10/2006
Viçosa / Minas Gerais10/2006
São Luís / Maranhão11/2008
Cachoeiro de Itapemirim / Espírito Santo08/2008
Bom Jardim / Rio de Janeiro04/2008
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Agricultores Familiares
Alunos do ensino básico
Artesãos
Assentados rurais
Lideranças Comunitárias
Famílias de baixa renda
Quantidade: 200
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
profissionais preferencialmente das áreas da construção civil e artesanato.6
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

- 3 Kits básicos com ferramentas e utensílios (um para cada dupla de instrutores), contendo: 1 lona plástica de 2 x 2 m, 4 rolos de pintura de lã média, 4 cabos para rolo de pintura grandes, 4 baldes de 20 litros, 2 óculos de segurança, máscaras de proteção nasal descartáveis, 2 espátulas, 2 brochas grandes, 2 trinchas grandes, 1 copo de medidas, fita métrica, 2 escovas de aço, 2 colheres de madeira grandes, copos plásticos descartáveis, 1 balança tipo dinamômetro, 4 kg de cola branca (por oficina), 1 kg de polvilho azedo (por oficina, 1 pote de soda cáustica (pureza 98%), lixas para parede, 2 sachos, 2 frascos de vidro com tampa, 1 caixa plástica para armazenamento e transporte do kit. (R$ 180,00 x 3 = R$540,00) - 3 laptops e 3 projetores de imagens (um para cada dupla de instrutores, considerando a realização de três oficinas simultaneamente); (R$10.000,00) - Cartilhas (30 por oficina, estimando-se 40 oficinas em 10 meses. Total de 1200 cartilhas) (R$ 1.500,00)

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Recursos materiais (fixos e variáveis, considerando que o espaço físico, acesso a internet e telefone será disponibilizado gratuitamente por alguma instituição): R$12.500,00; Recursos humanos (pagamento de diárias de R$80,00, considerando a média de 4 oficinas por mês, ministradas cada uma por uma dupla de instrutores e com duração média de dois dias): R$ 1.280,00/mês;

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
nstituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - INCRA-MG -
Departamentos de Solos, Arquitetura e Urbanismo e Pró-reitoria de Extensão e Cultura da UFV -
Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural – INCAPER-ES -
Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais – EMATER-MG -
Museu de Ciências da Terra Alexis Dorofeef – MCTAD-UFV -
Centro de Tecnologias Alternativas da Zona da Mata Mineira – CTA/ZM -
Fundação de Arte de Ouro Preto – FAOP -
Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
listagem completaBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologia