Curtimento Ecológico de Peles de Peixe para Agregar Valor através do Artesanato

certificada 2011

Instituição
Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) - Toledo/PR
Endereço
Rua Da Faculdade 645 - JD Santa Maria - Toledo/PR
E-mail
mlfmaluf@yahoo.com.br
Telefone
(45) 3379-7083
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Marcia Luzia Ferrarezi Maluf(45) 3379-7083mlfmaluf@yahoo.com.br
Resumo da Tecnologia

A tecnologia se caracteriza como um modelo produtivo ecologicamente correto de curtimento de peles de peixe. Nele, usa-se o tanino vegetal como “curtente”, em vez do cromo, um metal pesado. O resultado é um produto nobre, resistente e de alta qualidade.*{ods8},{ods13}*

Tema Principal

Meio ambiente

Tema Secundário

Renda

Problema Solucionado

O foco do projeto foi a disseminação de uma tecnologia de aproveitamento de resíduos da indústria que são descartados incorretamente e causam grande impacto ambiental. Desenvolveu-se uma tecnologia que utiliza o tanino vegetal (extrato de árvores) para fazer o curtimento das peles com o objetivo de minimizar os danos ambientais. A técnica foi aplicada também com o objetivo de envolver a comunidade dos municípios com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e alta taxa de desemprego, uma vez que essa tecnologia requer baixo investimento e pretende utilizar mão-de-obra regional, dando às pessoas a oportunidade de aprender um ofício e melhorar, assim, a qualidade de vida de toda a comunidade. O couro de peixe, quando trabalhado artesanalmente, pode se transformar em objetos como: bolsas, sapatos, cintos, carteiras, bijouterias, chaveiros etc. Nesse processo de agregação de valor, a matéria-prima passa a ser fonte de renda e auxilia na resolução dos problemas sociais da região.

Objetivo Geral

Adaptação e difusão de tecnologia ecológica de aproveitamento de resíduos da agropecuária e da industrialização animal que não aproveita a matéria-prima com alta agregação de valor em potencial e possibilidade de geração de emprego para pessoas não qualificadas.

Objetivo Específico

-Reaplicação com treinamento de metodologias de curtimento de peles de peixe ecologicamente correto; -Elaboração de produtos tais como, bolsas, sapatos, cintos, carteiras, tiaras, bijuterias, aplicações em roupas, entre outros.

Solução Adotada

A preocupação com questões ambientais, aliada ao crescimento do mercado de peles exóticas, faz surgir uma demanda específica por produtos de alto padrão (também com produção sustentável) e incentiva o investimento em pesquisas no segmento de peles exóticas e curtimento alternativo. A tecnologia existente nos curtumes utiliza o cromo como curtente, um metal pesado altamente tóxico, sendo assim, uma das metas do projeto foi a adaptação da tecnologia, substituindo o cromo por um curtente natural, o tanino vegetal, extraído de cascas, raízes e folhas de algumas árvores nativas, como o angico e a acácia negra; portanto, houve também a necessidade de substituir outros reagentes utilizados no processo convencional, entre eles a querosene, substituída por um tipo de desengraxante biodegradável e o sulfato de amônia, utilizado como adubo em hortas e jardins, substituindo o dekalon (mistura de sais inorgânicos e ácidos orgânicos). O processo de curtimento adaptado baseia-se em 11 etapas, sendo: 1) operação de Ribeira (remolho, caleiro, desencalagem, purga e desengraxe); 2) operação de Curtimento (píquel e curtimento); e, 3) operação de Acabamento (neutralização, recurtimento/tingimento e engraxe). É importante que se observe com atenção o pH e a temperatura da água. Todo o processo é realizado em um equipamento denominado “fulão”, que se movimenta de acordo com cada etapa com velocidade de quatro a doze rotações por minuto (rpm), promovendo uma melhor maciez, facilitando as reações químicas e evitando manchas no couro. Para execução do processo e secagem, que deve ocorrer de forma natural, são necessários cerca de sete dias para a obtenção do couro. Resultando, assim, em uma metodologia de curtimento de couro ecológico. A extensão universitária funciona como a interconexão entre a universidade e a comunidade na qual ela está inserida e constitui uma das três funções básicas da universidade: ensino, pesquisa e extensão. Essa atividade funciona como uma troca de experiência onde o conhecimento acadêmico é levado à sociedade, ocasionando um maior contato com a comunidade, o que possibilita conhecer as necessidades, as demandas e também aprender com a cultura dessas pessoas. Assim sendo, os profissionais e acadêmicos responsáveis por isso, também grandes beneficiados, uma vez que são recém-formados com a oportunidade de obter seu primeiro emprego. Os graduandos colocam em prática os conhecimentos adquiridos nas atividades de ensino. A eles ficou atribuída a função de transmitir toda a tecnologia necessária para a montagem e execução do curtimento de couro, através de palestras e cursos de capacitação. O trabalho foi executado em conjunto com associações de artesanato, cooperativas, prefeituras municipais e com uma equipe multidisciplinar.

Resultado Alcançado

Referente à produção técnica, foram desenvolvidos quatro processos: processo de curtimento ecológico, processo de curtimento ecológico de pele de peixe, processo de curtimento ecológico utilizando enzima de mamão e processo de curtimento ecológico utilizando corantes naturais. Como método, foi desenvolvido material didático, sendo folder, apostilas e cartilha ilustrativa; maquete demonstrativa, de curtume piloto, exemplificando espaços, equipamentos e organização/layout dos mesmos. Quanto à produção bibliográfica, obteve-se a publicação de artigos em periódicos e anais de evento; desenvolvidos pelos profissionais e acadêmicos. Além de orientação de trabalhos de conclusão de curso (TCC) e formação de alunos de graduação. Realização de mini-cursos e oficinas, participação e organização de eventos, rádio e TV, matérias em sites, revistas e jornal, documentários. Se tratando dos impactos e utilidade dos resultados obtidos, pode-se concluir, economicamente falando, que houve o repasse da tecnologia ao público-alvo pretendido, viabilizando a comercialização das peles e dos produtos. Tendo como proposta principal o artesanato, uma vez que esse tipo de produto tem grande potencial de mercado, de forma a melhorar a renda e consequentemente a realidade de vida naquela região. Essa atividade funciona ainda como uma forma de socialização, ou seja, o conhecimento que a universidade obtém através de suas pesquisas não fica restrito ao mundo acadêmico, fazendo mais pessoas terem acesso e beneficiarem-se através desse processo. O projeto contemplou muito bem essa interação, pois as comunidades atendidas foram muito receptivas e mostraram-se interessadas, principalmente, por se tratar do envolvimento de toda a família no meio em que ela está inserida.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Boa Vista da Aparecida / Paraná05/2010
Ortigueira / Paraná06/2010
Capitão Leônidas Marques / Paraná04/2010
Nova Prata do Iguaçu / Paraná02/2010
Salto do Lontra / Paraná10/2010
Toledo / Paraná08/2010
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Artesãos
Famílias de baixa renda
Pescadores
Trabalhadores Rurais
Quantidade: 80
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Químico, Eng. Químico, bioquimica industrial, biologo, eng. de pesca, designer de moda,artista plástica, zootecnista.1
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Após definir o espaço físico (com divisão de sala para o processo, secagem, acabamento final, confecção das mantas e produtos), os seguintes equipamentos deverão ser adquiridos para aplicação da tecnologia: -Fulão (aproximadamente R$12.000,00); -Balança digital (aproximadamente R$1.500,00); -pHmetro (aproximadamente R$800,00); -Ferro (aproximadamente R$150,00); -Máquina de costura reta industrial (aproximadamente R$1.500,00); -Mesa; -Reagentes: detergente, carbonato de cálcio, desencalante, enzima, sulfato de amônia, sal, óleo de engraxe, tanino vegetal, tanino sintético, desengraxante, ácido fórmico, corante, neutralizante.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

R$ 20.000,00

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
COOPERMESAOrganizar ações de geração de renda, trabalho e inclusão social.
Impacto Ambiental

A preocupação com a preservação do meio ambiente tornou-se hoje parte integrante da vida de todo cidadão e não poderia deixar de constituir o nosso pensamento. Por isso, incentivar e orientar o aproveitamento de resíduo deu um ânimo muito grande à comunidade nos municípios que administramos o projeto, ela sentiu o quanto é importante cuidar do meio ambiente e, ainda, ter geração de renda de produtos que seriam descartados de maneira incorreta.

Forma de Acompanhamento

Através de visitas e relatórios dos resultados. Para maiores informações, veja a solução adotada.

Forma de Transferência

Através de cursos (teórico e prático), palestras, vídeos e cartilhas.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
PRdownload
ptvdownload
PTV2download
FFBaixar
Treinamento dos bolsistas do projetoBaixar
Teste para adequaras etapas do processamentodo couro com a utilização de tanino vegetalBaixar
Bolsista trabalhando no processo de produçãoBaixar
Depoimento Livre

A necessidade de novos rumos para o crescimento econômico, principalmente em decorrência das consequências ambientais desastrosas da industrialização e da exploração dos recursos naturais, é assumida, por isso, temos que agir imediatamente implantando mecanismos de proteção ambiental e desenvolver tecnologias para que os resíduos sejam descartados e utilizados de maneira correta, pois nós como Universidade temos essa função (extensão) de através da pesquisa repassar para as comunidades a tecnologia . O projeto trouxe melhoria para a comunidade e agregou valor a renda familiar com a filosofia de promover a capacitação e a sustentabilidade de mulheres chefe de família através da geração de renda, trabalho, inclusão social, autoestima e potencialidade humana.