Desinfecção solar de água

certificada 2011

Instituição
Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (INPA)
Endereço
Av. André Araújo 2936 - Petrópolis - Manaus/AM
E-mail
coti@inpa.gov.br
Telefone
(92) 3643-3078
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Roland Ernst Vetter(92) 3643-3083revetter@yahoo.de
Resumo da Tecnologia

Equipamento portátil que utiliza a energia solar para desinfecção de água contaminada de lagos, rios e igarapés, tornando-a apta ao consumo humano para populações sem acesso à água potável e eletrificação. Possui capacidade de descontaminação de até 400 litros de água por hora, pesando apenas 15 kg.*{ods6},{ods7}*

Tema Principal

Recursos Hídricos

Tema Secundário

Energia

Problema Solucionado

Segundo a Fundação Nacional da Saúde – FUNASA, cerca de 60% das mortes de crianças indígenas são causadas por contaminação de veiculação hídrica. Em 2005, onze pessoas, entre crianças e adultos da etnia indígena Deni, morreram de diarreia aguda (doença que leva à morte em apenas um dia). Enfermeiras que trabalham em áreas indígenas da Amazônia afirmam que 85% das doenças presentes nas tribos indígenas são originadas pela água contaminada. A situação dos ribeirinhos não é diferente, o que significa que a maior fonte das doenças presentes no interior da Amazônia pode ser erradicada se as comunidades tiverem à disposição equipamentos para purificação de água. Utilizar a energia solar como recurso energético no tratamento da água em comunidades isoladas é uma estratégia importante para promover programas de saúde às populações do interior da Amazônia. Cerca de 30.000 embarcações circulam na Amazônia, quase todas sem equipamento de tratamento de água. Devido à contaminação dos rios, quem necessita de água potável nos barcos deve comprar água mineral - um contrassenso, uma vez que está navegando na maior reserva de água doce do mundo.

Objetivo Geral

Oferecer à sociedade uma tecnologia de tratamento de água adequada, de pequeno porte e economicamente viável para aldeias indígenas, comunidades ribeirinhas, assentamentos caboclos e embarcações, permitindo seu uso em localidades sem eletrificação, através de um sistema de energia solar.

Objetivo Específico

- Desenvolver um sistema que realize a desinfecção de água sem uso de substâncias químicas; - Construir um equipamento cujo custo seja acessível às comunidades, com custos de operação mais baixos em comparação a outras alternativas de tratamento de água; - Dimensionar um equipamento de operação simples, onde cada um possa tirar água potável para o seu uso pessoal; - Construir um sistema de manutenção fácil para uma pessoa treinada; - Gerar energia para o funcionamento do sistema através da utilização de painéis fotovoltaicos, possibilitando o armazenamento de energia em bateria e assegurando funcionamento do equipamento durante a noite ou em horas do dia com pouca insolação; - Dimensionar um equipamento de pequeno porte, facilitando seu transporte e instalação.

Solução Adotada

No final de 2007 a população da aldeia indígena Morada Nova solicitou auxílio ao INPA para obter uma solução para o tratamento da água, altamente contaminada, consumida nesta comunidade. A partir desta solicitação, foi desenvolvido o protótipo de um sistema de pequeno porte de desinfecção solar da água. Devido à ausência de eletrificação na aldeia indígena, o sistema tinha que funcionar com energia solar. Um protótipo, desenvolvido e testado no INPA, foi instalado em novembro de 2008 na aldeia Morada Nova. Esta tecnologia foi prontamente aceita pela população, uma vez que acabou de vez com as doenças oriundas da água contaminada. A estação era composta por uma mangueira, uma bomba de sucção ligada a dois painéis solares de 80 W cada, uma bateria de 12 volts, uma lâmpada de 11 W (que deve ser trocada uma vez ao ano), filtro para reter as partículas grandes, reator Purion 500 e painel solar com 50 W de potência. O processo de descontaminação ocorre da seguinte forma: a água contaminada é bombeada da fonte (rio, lago, etc.) para a caixa d’água, onde um filtro grosso evita que partículas flutuantes entrem na caixa d’água. Em seguida, a mangueira ligada à caixa d’água é conectada ao painel solar instalado. Uma chave eletrônica liga a lâmpada ultravioleta e garante seu funcionamento constante. O reator Purion 500 permite que a água, ao passar pelo tubo de aço, seja descontaminada pela ação dos raios ultravioleta, que destroem o DNA das bactérias presentes. A água passa antes por um filtro na caixa d’água, podendo fluir para a estação de tratamento, sendo transformada em água potável. A partir do protótipo, foi desenvolvido um sistema composto por uma maleta de alumínio que contém todos os componentes do sistema de desinfecção de água. Em Abril de 2010, em Morada Nova, o protótipo instalado em 2008 foi trocado pelo sistema de maleta. Em Junho de 2011, foi efeituada a instalação de mais dois sistemas de desinfecção solar de água nas aldeias indígenas Itaúba e Boiador, ambas no município de Itamaratí - AM. Durante a instalação em Itaúba, esta tecnologia foi apresentada à assembleia geral dos índios Deni e Kanamarí. A Assembleia votou, com maioria, a favor da instalação de mais unidades do sistema solar de desinfecção de água nas demais aldeias.

Resultado Alcançado

Até o presente momento estão funcionando três sistemas de desinfecção de água em aldeias indígenas na área do Rio Xeruá/Alto Juruá, no município de Itamaratí, distante, em linha reta, cerca de 1.500 km oeste de Manaus, 10 dias de viagem de barco. Testes microbacterianos feitos em relação à água das aldeias indicaram, antes da disponibilidade do sistema solar de desinfecção de água, um elevado índice de contaminação por bactérias coliformes na água dos igarapés consumida pela população. Após o tratamento, a água ficou livre de germes e doenças provocadas pela água contaminada praticamente desapareceram. Este fato significa uma melhoria importante na qualidade de vida da população das aldeias beneficiadas pelo sistema solar de desinfecção de água. Hoje, nas aldeias, estão sendo produzidos entre 1.000 e 2.000 litros de água potável diariamente.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Itamarati / AmazonasMorada Nova11/2008
Itamarati / AmazonasItaúba06/2011
Itamarati / AmazonasBoiador06/2011
Itamarati / AmazonasTerra Nova11/2011
Itamarati / AmazonasFlexal04/2012
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Povos indígenas
Quantidade: 500
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Técnico treinado para instalação e manutenção do equipamento1
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

O sistema de desinfecção de água funciona a partir de uma caixa d’água. É necessária uma tubulação adequada, com as conexões necessárias, e um filtro de entrada (materiais comuns) para a instalação do sistema de desinfecção da água.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Os valores atuais aproximados são de: - Maleta com o sistema de desinfecção de água completa: R$ 4.000,00; - Painel solar: R$ 1.000,00; - Lâmpada tipo UVC, que deve ser trocada uma vez ao ano: R$ 100,00; - Filtro de entrada com cartucho para cerca de três meses: R$ 200,00; - Cartucho: R$ 20,00. - Material hidráulico (tubulação, conexões, etc.): variável de acordo com o local.

Forma de Acompanhamento

Os sistemas instalados nas aldeias indígenas são visitados com frequência. Nesta ocasião, são feitas a manutenção e a determinação da qualidade da água (testes microbacterianos). Além disso, as pessoas que utilizam o sistema são questionadas sobre sua satisfação com a tecnologia e se possuem algum comentário ou sugestões para sua melhoria. No INPA, o equipamento é submetido a testes de longo prazo. Também procuramos melhorar continuamente o sistema.

Forma de Transferência

Nas comunidades, bem como no INPA, haverá treinamento das pessoas responsáveis pelo sistema de tratamento de água e os interessados em conhecer e desenvolver técnicas relacionadas a estes resultados, popularizando cada vez mais tecnologias sociais de fácil implantação em áreas demandantes e a custo acessível, proporcionando facilidades para a formulação de políticas públicas adequadas ao desenvolvimento regional. Serão produzidos e impressos manuais de instalação e manutenção da desinfecção solar, em linguagem apropriada com textos, desenhos e fotos das partes. Foi produzido um vídeo (8 min) que mostra testes feitos no INPA, com o protótipo e a instalação do primeiro sistema de desinfecção solar de água na aldeia indígena Morada Nova. LINK: http://www.youtube.com/watch?v=txxosn7NuAA

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Artigo em revista do INPABaixar
Painel sobre sistema de desinfecção de águaBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

A tecnologia possui registro de patente no INPI como Modelo de Utilidade, número de registro MU8902794-9. Até 2012 serão montados 50 kits do sistema de desinfecção de água com o objetivo de atender comunidades, famílias e até – em fase experimental – algumas embarcações. Espera-se que, com a produção do sistema em Manaus, os componentes importados possam ser substituídos por componentes nacionais e o custo do equipamento seja reduzido.