Boca de Rua

certificada 2007

Instituição
Agência Livre para Informação, Cidadania e Educação (ALICE)
Endereço
Rua Lima e Silva, 1.066 – Sala 202 - Cidade Baixa - Porto Alegre/RS
E-mail
alice@alice.org.br
Telefone
(51) 3211-2443
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Maria Margareth Lins Rossal(51) 3211-2443rossal@hotmail.com
Rosina Duarte de Duarte(51) 3259-1990rosinaduarte@pop.com.brRosina Duarte no Facebook
Resumo da Tecnologia

O projeto Boca de Rua é um jornal que se propõe a tratar junto com os moradores de rua da cidade de Porto Alegre/RS os problemas passados por eles que estão à margem da sociedade, sem qualquer preocupação por parte da população, sem serem ouvidos e em situação de risco.*{ods4}*

Tema Principal

Educação

Problema Solucionado

O problema existente na capital do Rio Grande do Sul (Porto Alegre) está presente não só nesta capital, mas em qualquer outra cidade de grande e médio porte do país. O Boca de Rua é um jornal totalmente produzido por moradores de rua da cidade, que em reuniões semanais pautam os temas, fazem as fotografias, redigem as matérias e, com o auxílio de jornalistas e psicólogos, montam o jornal que é impresso gratuitamente pela Zero Hora (Jornal de grande circulação da RBS, filiada à Rede Globo) e vendido pelos moradores de rua que fizeram o jornal acontecer, ficando com 100% do valor das vendas única e exclusivamente para eles. Desta forma, trabalhando a leitura e os mais diversos fatores vividos todos os dias pelos integrantes do projeto nas ruas, pode-se fazer com que estas pessoas, até então marginalizadas, sejam ouvidas de alguma forma.

Objetivo Geral

Fazer com que pessoas em situação de risco e marginalizadas diariamente pela sociedade sejam escutadas e possam ter esperança de sair do anonimato social e passar com recursos próprios (intelectuais e financeiros) para o outro lado, aproximando a sociedade em geral e os moradores de rua.

Objetivo Específico

.

Solução Adotada

A tecnologia funciona, como já descrito, na elaboração, produção e impressão de um jornal pelos moradores de rua. Os integrantes recebem os jornais semanalmente em reuniões organizadas, nas quais acontece a montagem de pautas e distribuição de jornais. Nessas reuniões, os participantes são instigados a possuir e aguçar a opinião crítica da realidade, montando palestras e reuniões onde se tratem diversos temas como: DST, violência urbana, direitos humanos, conscientização moral, técnicas de vendas, higiene, saúde em modo geral e outros temas. A venda dos jornais acontece em pontos já estabelecidos. Desta forma, a população que passa pelos locais compra o jornal e assim consegue conhecer mais da realidade daqueles que vivem nas ruas. Conscientizando a população que por despreocupação da mídia e do Estado não tem a oportunidade de observar como é o dia a dia daqueles que vivem em situação de marginalidade e em risco. Trazendo assim um mínimo de dignidade aos moradores de rua.

Resultado Alcançado

.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Porto Alegre / Rio Grande do Sul01/2000
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
População em situação de rua
Famílias de baixa renda
Quantidade: 8.000
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Jornalistas3
Psicóloga2
Analista de sistemas1
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

O Jornal Boca de Rua necessita de um espaço físico amplo para realização de reuniões. Além disso, se faz necessário a utilização de canetas, lápis, papéis, livros, revistas, microcomputadores, mesas, cadeiras, iluminação adequada, impressão de crachás, plásticos de crachás, tesouras, colas, carimbos, sacolas de pano para transporte do jornal, sacos de lixo grandes e sacolas menores e transparentes onde os integrantes recebem seus jornais para venda.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mensais, acarretando assim em um custo acima de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais) anuais.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Fundação Luterana de Diaconia -
Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho -
Grupo de Apoio à Prevenção da Aids – GAPA -
Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS -
International Network os Street Papers – INSP -
Paulo Afonso Consultores de Marcas e Patentes -
Lavoro C&M -
Documental Fotos -
Restaurante Popular do Comitê Gaúcho de Ação da Cidadania -
Secretaria Municipal de Governança Local e Gerência do Orçamento Participativo -
Mercado Público de Porto Alegre -
Forma de Acompanhamento

A Alice possui canais de comunicação com seu público alvo; assim, tanto o projeto Boca de Rua com o testemunho dos integrantes como a população que compra o jornal mantém seus relatos do dia a dia do projeto.

Forma de Transferência

O Jornal Boca de Rua possui quatro documentários sobre o projeto. Porém, sabe-se de tentativas de outras instituições, algumas parceiras da Alice, que tentaram a realização do mesmo projeto em outros locais do país, sendo alguns deles em vão, visto a complexidade financeira e metodológica do andamento de tal ação.

Endereços eletrônicos associados à tecnologia