Conexão Cheiro Verde

certificada 2015

Instituição
Instituto Cidade Amiga
Endereço
Avenida José Estevão Torquato da Silva Neto, 999 - Jardim Vitória - Cuiabá/MT
E-mail
erlonbispo@gmail.com
Telefone
(65) 3641-5382
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Erder Tedomiro Marcelno Bispo(65) 8478-9917bispoerder@yhaoo.com.br
Erlon Marcelino Bispo(65) 9201-4092erlon.bispo@cidadeamiga.org.br
Resumo da Tecnologia

A TS oferece soluções de proteção ambiental, saúde pública e geração de renda à pessoas à margem do mercado de trabalho. Transforma resíduos orgânicos em substrato que serve para produção de hortaliças orgânicas em meio urbano. Acontece no Espaço Vitória, periferia de Cuiabá-MT, desde 2008. Destina corretamenteresíduos e gera renda e dignidade para famílias em situação de vulnerabilidade financeira. O Espaço Vitória é um Espaço Educador que recebe caravana de estudantes da rede pública e privada, onde estes recebem informações sobre as mudanças climáticas e de como a compostagem reduz os gases de efeito estufa. Os alunos aprendem fazer uma compostagem doméstica*{ods4},{ods8},{ods12},{ods13}*

Tema Principal

Renda

Tema Secundário

Educação

Problema Solucionado

Em 2008 uma rede de supermercados, com 10 lojas em Cuiabá-MT, buscou no Espaço Vitória solução para destinação ecologicamente correta dos resíduos orgânicos de suas lojas. Paralelamente levantou-se a questão da necessidade de geração de renda para um grupo de chefes de família, formada em sua maioria por mulheres, que frequentava o Espaço Vitória. – Técnicos do instituto, comunitários e Ouvidoria do supermercado criaram, então, o projeto Conexão Cheiro Verde, conectando resíduos e horta, no propósito de evitar agressão ambiental egerar renda para comunidades carentes. - A rede de supermercados, assumiu o compromisso de comprar a produção de hortaliças. – O Espaço Vitória (Instituto Cidade Amiga) disponibilizou estrutura, capacitou o pessoal para manejar os resíduos por meio da compostagem. Esse grupo, hoje, está organizado em cooperativa. Em 2009 e 2013 a Fundação Banco do Brasil, reconheceu como uma Tecnologia Social. Uma tecnologia perfeitamente aplicavel em meio urbano.

Objetivo Geral

Promover qualidade de vida e renda para pessoas à margem do mercado de trabalho e a resolver o problema de geradores de resíduos orgânicos (supermercados e restaurantes) quanto a sua destinação sustentável preconozada pela Politica Nacional dos Residuos Sólidos.

Objetivo Específico

1. Consolidar a Cooperativa Conexão Verde Vitória - COOPERVV como empreendimento piloto sustentável da Tecnologia Social Conexão Cheiro Verde, que através da compostagem resolve o problema da destinação correta dos resíduos orgânicos e gera renda para famílias em situação de carência organizadas em cooperativa. 2. Tornar a sede da Coopervv (Espaço Vitória / Instituto Cidade Amiga) um espaço demostrativo e de referência em tecnologia social urbana, local visitação e de educação ecossocial que possa ser replicado em outras comunidades. 3. Oferecer aos gestores públicos elementos concretos que contribuam na elaboração do Plano de Gestão Integrada Municipal dos Resíduos Sólidos de Cuiabá-MT, no que diz respeito aos resíduos orgânicos, como meio de promover a saúde do Município.

Descrição

O Espaço Vitória tornou-se conhecido em Cuiabá por seu envolvimento comunitário, entre ele o projeto Quintais Produtivos patrocinado pela Fundação Interamericana – IAF, rojeto que confeccionou 257 hortas em quintais do bairro (doação de composto orgânico e de sementes e acompanhamento técnico). A experiência dos quintais produtivos motivou uma rede de supermercados procurar o Espaço Vitória para que o mesmo recebesse resíduos a ser transformados em composto a ser direcionado aos “Quintais Produtivos”. Diante da oferta o Espaço Vitória desafiou a rede de supermercados a adiquirir a produção de cheiro verde para comercializar em suas gôndolas, dando origem à TS Conexão Cheiro Verde que consiste na recepção e manejo de resíduos orgânicos transformando-os em insumo que é aplicado na produção de alimentos orgânicos que são comercializados nos mesmos estabelecimentos geradores dos resíduos que, a princípio, agrediriam o ambiente. A recepção dos resíduos orgânicos aconteceu gradativamente, bem como a comercialização do cheiro verde. O projeto iniciou com 01 loja. Em 01 ano já operava em 5 lojas. No final do ano 2 a conexão estava em 9 lojas. No início, o supermercado apenas pagava pelo cheiro verde entregue em suas lojas, sem pagar pela atividade de manejo de seus resíduos, o que passou acontecer a partir do final de 2013. Neste espaço de tempo o Espaço Vitória recebeu patrocínio da Petrobras - Desenvolvimento & Cidadania que formatou a Cooperativa Conexão Verde Vitória fazendo dos beneficiários do projeto pequenos empreendedores sociais que passaram se manter a partir da aplicação da TS Conexão Cheiro Verde. O fato da Usina de Compostagem estar situada em centro urbana e, também, pelo volume de resíduos que passou receber foi necessário regularizar essa atividade na SEMA, passando a COOPERVV ser, até então, o único empreendimento de Cuiabá com Licença Ambientalpara operação de Usina de Compostagem. O passo seguinte foi conquistar o Selo de Produção Orgânica (EcoCert 2014). Nesse periodo aconteceram perscaços e aprendizados. A rede de supermercados que inaugurou com o Espaço Vitória a TS Conexão Cheiro Verde declarou falência, compromtendo as finanças da COOPERVV. Porém houve aprendizado: não ser refém de único empreendimento de grande porte. Daí, a nova estratégia da COOPERVV em buscar novas parcerias, especialmente formada por mercadinhos e restaurantes. A nova configuração indica ser esse um bom caminho: contar com mais pequenos parceiros que um parceiro apenas, já que tudo quanto acontece com ele influencia diretamente nos resultados da TS. - Vale lembrar que o Instituto Cidade Amiga e a COOPERVV, no momento, se articulam junto ao SEBRAE SUSTENTABILIDADE e SEBRAE SETOR DE TURISMO para efetivação de parcerias envolvendo sindicatos e associações de bares, hotéis e restaurantes. Visando ampliar a produtividade da compostagem, o Instituto Cidade Amiga encaminhou proposta de inovação da TS ao Edital BB Voluntários 2015. A ideia é modernizar os processos de forma a otimizar tempo e espaço, na ordem de 5x1, eliminando a produção de chorume e reaproveitando a parte líquida dos resíduos como biofertilizante para irrigar a horta consorciada. O envolvimento da comunidade aconteceu de forma natural. Algumas pessoas desempregadas que participavam do projeto Quintais Produtivos se envolveram com o novo projeto; outras continuam batendo na porta da cooperativa. Com o apoio da Petrobras, o Espaço Vitória se articula com outras entidades sendo, hoje, reconhecido como um Espaço Educador de Referência, local visitação e de educação ecossocial da comunidade. Em 2014, por exemplo, mais de 400 estudantes, horticultores e atores sociais ligados à rede produtiva de resíduos sólidos da região participaram das atividades educativas promovidas pelo Espaço Vitória. Foram aulas de campo e vivências socioambientais, cursos e oficinas de “Fabricação de biofertilizantes e defensivos naturais”, de “Compostagem: teoria e prática”, de “Elaboração de Plano de Gerenciamento de Resíduos Orgânicos de Grandes Geradores”, “Compostagem de resíduos e mudanças climáticas e oficina de licenciamento para aterro sanitário. Em agosto de 2014, o Instituto Cidade Amiga (Espaço Vitória) promoveu o primeiro seminário sobre a cadeia de resíduos orgânicos no Município de Cuiabá-MT, mobilizando lideranças públicas, empresários e entidades não governamentais visando contribuir na elaboração do Plano Integrado de Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Cuiabá-MT, chamando a atenção, entre outros, para o fato de o plano não deixar de contemplar a coleta dos resíduos orgânicos para que os mesmos deixem de ser tratados como rejeitos, ação que tem impossibilitado que grupos de pessoas carentes organizados em cooperativa obtenha renda a partir dos resíduos, direito assegurado pela PNRS. O cenário desenhado aponta para investimentos em campanhas de educação socioambiental, estruturação e capacitação de cooperativas de catadores e de compostagem.

Resultado Alcançado

Entre os anos de 2013 e 2014 a TS gerou R$ 650.000,00. Desta receita, 60% foi distribuído entre 25 cooperados. Durante esse período processou - se 2.400 Toneladas de resíduos e comercializou mais de 200.000 maços de cheiro verde (cebolinha, salsa e coentro). Somam-se a esses números percepções, sentimentos e avalições positivas dos participantes, reforçando a ideia da necessidade de replicação dessa TS. Acreditam na propsperidade do negócio e que muitos de seus familiares poderão fazer parte do empreendimento, até porque as diretrizes da PNRS é uma realidade sem volta (os geradores terão que cumprir a Lei). Se a Prefeitura Municipal for eficaz quanto ao cumprimento da PRNS, no que diz respeito a utilização do Aterro Sanitário que apenas deve receber rejeito, enquanto os resíduos recicláveis e compostáveis devem ser encaminhados às cooperativas de catadores e de compostagem. Assim, aumentam as chances do surgimento de outras cooperativas como a COOPERVV. Depoimentos de participantes demonstram que a TS permite reviver rica experiência de inclusão, pois pessoas que no passado tiveram uma relação com a terra, tem a oportunidade de aplicar conhecimentos antes aprendidos, possibilitando a eles empoderamento e sentimento de pertença, além das boas lembranças do trabalho com a terra. Não fosse a TS, dizem, não teriam onde trabalhar em função de suas idades e grau de escolaridade. Outro ponto que revela melhora na autoestima, em especial das mulheres que participam da cooperativa, é quanto ao entusiasmo com que falam da boa oportunidade de renda e vontade de aprender a ler e escrever. A prática constata que essa TS é bem apropriada para aglomerados urbanos: gerar renda, emancipa pessoas e promove movimento por uma cidade mais limpa e mais saudável. Produz, ainda, alimentos que não agridem a saúde de seus consumidores e articula rede que envolve empresários, governos e demais atores sociais, fatos que robustecem a tese de que nas localidades onde a TS for replicada todos esses bens acima descritos poderão enriquecer as histórias de muitas outras pessoas. Todo histórico da TS Conexão Cheiro Verde encontra-se registrado evienciando seu acompanhamento pelo Instituto Cidade Amiga. Esse material está disponibilizado de forma multimidiática nas redes sociais do Espaço Vitória, i e relatórios na sede do o Instituto Cidade Amiga e COOPERVV.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Cuiabá / Mato GrossoJardim Vitória08/2008
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Agricultores Familiares
Catadores de material reciclável
Famílias de baixa renda
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Uma unidade com capacidade de recepção de até 1m³ de resíduo /dia necessita de área mínima de 200m². Destes, 80 M² deve ser área coberta, ficando o restante disponível para o plantio de hortaliças. Ter sanitário e ferramentas como carrinho de mão, pá, enxada e facão. Uma UNIDADE “Semi-industrial”, com capacidade de recepção de 20 m³ /dia necessita de área mínima de ½ ha. Esta deve conter barracão de 700m², maquinários para reduzir volume (triturador/prensa separadora de líquido) e Kit para tratamento do líquido.. Boa quantidade de água disponível para irrigar 4.400 m² de plantio. OBS: Os canteiros de hortaliças podem viabilizar renda anual entre R$ 50.000, e R$ 100.000,00, a depender das condições do terreno e do clima entre outros fatores. Pode-se pensar na comercialização do composto ao preço de R$ 0,20 o Kg, propspectando a renda desse item para R$ 72.000,00 anual. Valor total estimado para a implantação de uma unidade da tecnologia social

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Und de 1m³: Para ferramentas R$ 500,00; para recursos humanos R$ 1.500,00 (média). Valores para locaçao de área e estruturas dependerão de arranjos locais (não mensurados). Undd de 20m³: (modeo COOPERVV) Estruturas, máquinas, equipamentos e estruturação da horta: R$ 280.000,00. não mensurado a aquisição da área. Valores com recursos humanos (projeto, acompanhamento, licenciamento) R$ 35.000,00

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
PETROBRASSalários para a coordenação, recursos para oficinas, seminários e adequações de instalações e maquinários na produção do composto orgânico e na produção de hortaliças.
REDE DE ADAPTAÇÃO E MITIGAÇÃO ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS (Climbap)Disponibiliza instrutores na acolhida de estudantes em visitas programadas à Usina de Compostagem da Conexão Cheiro Verde, por meio das quais sensibiliza os participantes demonstrando o efeito benéfico da compostagem no cenário das mudanças climáticas e incentiva a adoção de trepadeiras para amenizar o calor por irradiação das perdedes de alvenaria, telhados verdes, quintais com gramíneas, e armazenamento seguido de aproveitamento das águas das chuvas.
PROJETO CIDADE LEGALO Espaço Vitória (Conexão Cheiro Verde) participa da rede como local de demonstração de boas práticas (visitação) direcionadas a Promotores de Justiça de Defesa Ambiental e da Ordem Urbanística e gestores públicos dos municípios do Mato Grosso e membros da sociedade civil organizada que atuam na área de desenvolvimento urbano.
MULTIINCUBADORA ARCA / EIT - UFMT – UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO:atuam na formulação de Plano de Negócio adaptado às novas realidades de níveis de vendas e diversificação de produtospara a COPERVV.
PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁFornecimento de resíduos orgânicos secos
Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Estatuto Instituto Cidade AmigaBaixar
Carta de apresentaçãoBaixar
embalagemBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

Cuiabá enfrenta o desafio de destinar corretamente 700 toneladas diárias de resíduos domésticos e comerciais. Desses, 280 ton são recicláveis e 420 ton são orgânicos. - Chama a atenção: apenas 0,4% dos orgânicos são tratados no Espaço Vitória, único empreendimento do ramo em Cuiabá. Desenvolvida sob a égide do ICV, em 2008, a partir de 2012 o Instituto Cidade Amiga e a COOPERVVV são responsáveis pela TS Conexão Cheiro Verde. Em 2010, sob a responsabilidade do ICV, essa TS recebeu apoio da FBB, por meio do edital BB Voluntários 2012. Porém, ao preencher esse formulário marcou-se a opção não ter recebido recursos da FBB, devido tratar-se de nova instituição responsável por sua aplicação e perspectiva de inovação do processo, o que poderá ser feito com o valor do prêmio.