Cisterna de Placas para Captação de Água de Chuva

certificada 2015

Instituição
Comissão Pastoral da Terra - CPT RS
Endereço
Rua Manoel Ferrador, 155 - Passo das Pedras - Porto Alegre/RS
E-mail
cptrs@portoweb.com.br
Telefone
(51) 3344-4415
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Olávio José Dotto(51) 3344-4415cptrs@portoweb.com.br
Resumo da Tecnologia

Cisterna de Placas para captação de água de chuva é uma tecnologia simples e muito eficiente. Visando armazenar água de chuva para uso na propriedade dos agricultores, tanto para irrigação, uso doméstico e para os animais. Trata-se de uma construção com areia, cimento, ferro galvanizado e semi-enterrada com capacidade de armazenar 18000 litros de água e construída em forma de mutirão. Cisterna de Placas por que são construídas com placas feitas de cimento, areia e arame galvanizado. A tecnologia foi trazida do Semi árido brasileiro e adaptado a realidade do Rio Grande do Sul.*{ods6},{ods13}*

Tema Principal

Meio ambiente

Tema Secundário

Recursos Hídricos

Problema Solucionado

Construir Cisternas no RS? Mas nosso estado tem bastante água. É comum ouvirmos de muitas pessoas, mas, o Rio Grande do Sul passou pelas piores secas dos últimos 50 anos e o pensamento já começou a mudar, muitas pessoas já começaram a pensar diferente e aos poucos estão buscando alternativas. O fato é que vivemos como civilização, uma profunda crise ecológica, em grande parte consequências das ações humanas, com destruição de florestas, poluição do ar, águas e quem mais tem sofrido com isso são as famílias mais vulneráveis, sejam do meio rural ou das periferias urbanas. Para ajudar as famílias camponesas mais pobres e que tinham falta de água, com as secas cada vez mais frequentes, a Comissão Pastoral da Terra do RS, decidiu incentivar as famílias de agricultores familiares a construírem cisternas para captação de água de chuva e a inspiração foi buscada junto ao povo do nordeste que ha séculos convivem no semi árido com com falta de água. A partir de 2006 a Comissão Pastoral da Terra do RS está incentivando que cada família de agricultor familiar camponês tenha uma cisterna com estratégia de convivência com a seca. O centro do problema, escasses física e de qualidade.

Objetivo Geral

Incentiva e ajudar a construir cisternas para captação de água de chuva em propriedades de agricultores e agricultoras que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

Objetivo Específico

Ajudar famílias pobres a construírem uma cisterna para amenizar os efeitos das secas. Incentivar a produção de alimentos saudáveis para o consumo destas famílias, irrigando os cultivos e servindo aos animais água de chuva armazenada na cisterna.Estimular as famílias do campo a buscarem seus direitos e a se organizarem em mutirão. Resgatar o trabalho em mutirão através da realização de oficinas práticas de construção de cisternas. Envolver toda a família, jovens, crianças e mulheres neste grande mutirão de busca de alternativas. Contribuir com a formação da consciência crítica destas famílias, para a participação cidadã e a preservação do meio ambiente.

Descrição

A partir do levantamento da realidade onde identificou-se algumas famílias e grupos mais prejudicados pelas estiagens ou por terem precariedade no acesso a água a Comissão Pastoral da Terra reuniu as comunidades de 5 municípios e iniciou o planejamento da implementação das primeiras 5 cisternas de placas do rs. Foi realizado reunião de planejamento e de apropriação da tecnologia e conscientização da importância do meio ambiente e dos cuidados com a água. A CPT se propôs a fazer 5 cisternas para servir de modelo e capacitar jovens, agricultores e pedreiros na prática para serem multiplicadores. A primeira cisterna feita em forma de oficina e em mutirão aconteceu em fevereiro de 2006 na comunidade de Divisa, no município de Pântano Grande-RS, depois outra foi construída em Encruzilhada do Sul-RS e outra em Lagoa Bonita do Sul-RS, com ajuda do pedreiro experiente vindo da Paraíba, o agricultor Francisco Maximino. Nas três oficinas já saíram capacitados os primeiros pedreiros práticos e multiplicadores das técnicas. Cada oficina contou com trabalho prático durante o dia e a noite reflexão teórica sobre todo o processo bem como da importância da cisterna e da preservação do meio ambiente. Detalhando a prática em passos: 1ºEscolha do Local - 2º Marcação e escavação do buraco - 3ºFabricação das placas - 4ºFabricação dos caibros - 5ºConstruíndo a laje do fundo - 6ºO levantamento da parede - 7ºAmarrando a parede - 8ºRebocando a parede - 9ºAplicando o impermeabilizante - 10ºMontando a cobertura - 11ºAcabamento da Cisterna -12ºColocação das calhas - 13ºDeixar com as escoras por no mínimo 30 dias - 14ºCuidados com a água da cisterna - 15ºAvaliação e colocação da cisterna em uso.

Resultado Alcançado

Conscientização da população sobre a importância de criar meios de recolher e armazenar a água da chuva. Conscientização sobre os cuidados com o meio ambiente, especialmente a água, bem como formas de cultivo de alimentos ecológicos com utilização de água da cisterna. São cerca de 67 cisternas construídas até agora a partir destas oficinas pioneiras de construção de cisterna. A população passou a cuidar mais do desperdício de água. O exemplo do trabalho em mutirão resgatado durante as oficinas motivou outras famílias a trabalharem em grupo e também construir cisterna.A construção de cisterna já era adotada especialmente pelos agricultores e agricultoras mais velhos, mas com o trabalho da CPT esta prática aos poucos está sendo resgatada, o que tem sido muito bom para as famílias bem como ótima para o meio ambiente em geral.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Pântano Grande / Rio Grande do SulDivisa02/2006
Encruzilhada do Sul / Rio Grande do SulAssentamento Padre Réus02/2006
Lagoa Bonita do Sul / Rio Grande do Sul02/2006
Vale do Sol / Rio Grande do SulLinha 24 de Fevereiro04/2006
Venâncio Aires / Rio Grande do Sullinha cipó06/2006
Venâncio Aires / Rio Grande do Sullinha cipó05/2011
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Agricultores Familiares
Assentados rurais
Famílias de baixa renda
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

11 kg de Arame recozido nº12, 04 barras de vergalhão 5/16", 0,5 m³ de Brita zero, 22 sacos de cimento, 05 barras de vergalhão ¼”, 03 Joelho 75 mm 10 kg de socal, 04 kg de açúcar, 01 T de 75 mm, 01 tampão de cano 50 mm, 0,5 m tubo 50 mm esgoto, 02 tubos PVC 75 mm, 25 kg de zinco, 03 m³ areia média 03 m³ areia grossa, 03 litro de sika, 01 tampa para a cisterna (mandar fazer em ferreiro), 01 cadeado, 20 cm X 20 cm de tela de nilon malha fina 01 bomba bola de gude (tem que fazer), 0,5 kg de Arame recozido nº18.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Estima-se que seja necessário R$ 5.000,00 para implementar uma unidade, contando materiais e assessoria.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Cáritas Brasileira Regional do RS -
Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
cartilha de orientação da CPT de como construir cisternasBaixar