Banco de Sementes Crioulas

certificada 2015

Instituição
Caritas Brasileira Regional Rio Grande do Sul
Endereço
Rua Coronel André Belo, 452 - Menino Deus - Porto Alegre/RS
E-mail
caritasrs@caritasrs.org.br
Telefone
(51) 3272-1700
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Mauricio Queiroz(51) 9699-3640mauricio.que@bol.com.br
Resumo da Tecnologia

O Banco de Sementes Crioulas surgiu em 1999 para ajudar famílias a produzir de forma autônoma os próprios alimentos cultivando sementes crioulas. O Banco não movimenta dinheiro e sim sementes crioulas de forma solidária, que são doadas as famílias que se comprometem a reproduzirem e a devolvê-las em dobro para o Banco de Sementes Crioulas levar à outras famílias que necessitam. Em Santa Cruz do Sul, envolve cerca de 400 famílias e mais de 350 tipos de sementes crioulas produzidas, além disso hà um local onde se encontra a reserva de sementes e todos os anos são organizados os Encontros de Sementes Crioulas onde acontece a troca de sementes e de experiências entre os agricultores.*{ods2},{ods3},{ods13}*

Tema Principal

Alimentação

Tema Secundário

Meio ambiente

Problema Solucionado

As sementes crioulas acompanham os agricultores e agricultoras há centenas de anos, sendo a base da produção dos alimentos do planeta, sem elas não há como termos alimentos saudáveis e de qualidade. Nos anos 70 com a implantação do modelo de “revolução verde”, que consistiu em adoção de "pacotes tecnológicos"com sementes híbridas e agro químicos, os agricultores foram obrigados a abandonar suas próprias sementes e a embarcar na “onda”das sementes híbridas. Com o abandono das próprias sementes as famílias do campo passaram a depender do mercado de sementes para produzirem os próprios alimentos, de forma que sem dinheiro não poderiam cultivar a terra. As consequências disso foi, êxodo rural massivo, destruição do meio ambiente, intoxicações, fome e miséria no campo. Erosão genética é o termo utilizado para melhor denominar o desaparecimento das sementes crioulas, mas junto com isso extinguiu-se conhecimento e cultura camponesa acumulada de geração em geração há centena de anos.Atualmente com a introdução das sementes transgênicas se intensificou ainda mais o controle das sementes. O que é um agricultor sem a terra? e o que é um agricultor com a terra, mas sem sementes?

Objetivo Geral

Proporcionar aos agricultores e agricultoras o resgate da antiga prática de produzir alimentos através do uso de sementes crioulas (nativas).

Objetivo Específico

Envolver famílias de agricultores familiares visando a produção de alimentos para o auto-consumo através do uso de sementes crioulas. Resgatar conhecimento por meio da recuperação e multiplicação de sementes crioulas. Apoiar famílias, sobretudo as mais vulneráveis, a produzirem seus alimentos sem dependência da compra de sementes e utilizando-se dos princípios da agricultura de base ecológica. Fortalecer a união das famílias e o espirito de solidariedade estimulando a troca de saberes e a troca de sementes crioulas entre os participantes. Realizar anualmente um encontro de formação e de troca de sementes crioulas entre as famílias envolvidas.

Descrição

O Banco de Sementes Crioulas teve início em 1999 com a idéia de ajudar as famílias mais pobres a recuperarem suas sementes crioulas visando produzir os alimentos para o consumo da família. Neste ano mobilizou-se um grupo de lideranças que fez uma coleta de sementes crioulas de milho, arroz, feijão e ramas de mandioca enchendo um caminhão que foi doado para as famílias recém assentadas em Encruzilhada do Sul, Assentamento Padre Réus onde 37 famílias foram assentadas. Esta experiência foi tão significativa que decidiu-se repetir a experiência com outras comunidades da região. Em vez de dar dinheiro ou alimentos, doar sementes crioulas que plantadas na terra recém conquistada produzirá os alimentos para saciar a fome da família e uma vez tendo estas sementes é só cuidar e sempre terão alimentos. Na época se refletia assim“o que é um camponês ou camponesa sem a terra? O que é um camponês ou camponesa com terra mas sem suas sementes?” dependência e fome. Surge a idéia neste ano que cada semente repassada para uma família, esta se comprometia a reproduzir garantindo qualidade, os próprios alimentos e devendo devolver o dobro para o Banco de Sementes Crioulas para ajudar outras famílias necessitadas. Atualmente o Banco conta com registro de 350 tipos de sementes crioulas envolvendo mais de 400 famílias, conta com um acervo de registro das sementes e dados dos agricultores, também com um local com uma reserva de sementes e a dinâmica acontece da seguinte forma: as sementes são repassadas às famílias, que se comprometem a reproduzirem e devolverem o dobro no ano seguinte, e é com estas sementes que são devolvidas que o Banco movimenta ajudando sempre mais famílias. O Banco de Sementes Crioulas conta ainda com um Técnico em Agropecuária que dá suporte técnico e com uma agricultora na coordenação das ações a serem desenvolvidas, entre elas, cultivo de lavouras coletivas de multiplicação de sementes crioulas, oficinas de agroecologia e a realização anual do Encontro Diocesano de Sementes Crioulas, este ano acontecerá o 15ºEncontro Diocesano de Sementes Crioulas a realizar-se no município de Progresso-RS no dia 29 de julho de 2015.

Resultado Alcançado

Nestes 17 anos de história o Banco de Sementes Crioulas proporcionou o resgate de mais de 350 variedades de sementes crioulas em vias de extinção bem como atingiu diretamente aproximadamente 8400 agricultores e agricultoras familiares do Vale do Rio Pardo e do Vale do Taquari, localizados na região central do RS.Além de estimular a organização de 12 hortas ecológicas, fortalecer 46 famílias de agricultores históricos guardiões de sementes crioulas e a organização de 1 feira ecológica no município de Santa Cruz do Sul, também a realização anual do grande encontro das sementes crioulas e o estímulo a organização de feiras de trocas de sementes crioulas em várias regiões do estado como reflexo das ações do Banco, exemplo concreto é um grupo de agricultores de Arroio do Meio que realiza ha 8 anos o encontro municipal das sementes crioulas. "No ano de 2001 participei do primeiro encontro de sementes crioulas em Santa Cruz do Sul, lá consegui sementes de arroz do tipo sequeiro, plantei e desde então sempre tenho o meu arroz, tem anos que também comercializo arroz descascado e sementes, mas mantenho a prática do cuidado com a semente e também a solidariedade com outras famílias, doando sementes para o Banco de Sementes levar a outros agricultores"Daniel Jasniewcz de Encruzilhada do Sul. Em Rio Pardo-RS, existe uma comunidade remanescente de Quilombo, o Quilombo Rincão dos Negros com 32 famílias que em 2010 realizaram cultivo de milho crioulo com acompanhamento do Banco de Sementes Crioulas, hoje várias famílias dispõe das sementes para sua alimentação bem como dos animais. "no ano passado recebi do Banco sementes de melancia crioula, plantei e colhi 112 melancias, 100 eu vendi a R$2,50 a unidade, as outras serviram de alimento para minha família, colhi as sementes e devolvi ao Banco 350 gramas de sementes para beneficiar outras famílias"-Adair David, Quilombola do Quilombo Rincão dos Negros. "eu cultivo ervilha que vem de geração em geração pela minha família, por duas ocasiões doei sementes para o Banco de Sementes repassar a outras famílias"Fátima Jasniewcz. "O porão da minha casa serve de espaço para armazenar as sementes de reserva do Banco de Sementes, lá cuido com carinho para depois levarmos para mais agricultores e agricultoras multiplicarem"Oldi Helena Jantsch agricultor e uma das coordenadoras do Banco de Sementes Crioulas. Por fim em 2013 o Banco de Sementes Crioulas recebeu da Cáritas Brasileira o 2ºlugar do Prêmio Odair Firmino de Solidariedade.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Cruzeiro do Sul / Rio Grande do Sulinterior09/2011
Encruzilhada do Sul / Rio Grande do Sulinterior08/2010
Santa Cruz do Sul / Rio Grande do Sul08/2001
Rio Pardo / Rio Grande do SulRincão dos negros10/2010
Progresso / Rio Grande do Sulinterior09/2014
Passo do Sobrado / Rio Grande do Sulmalhada08/2006
Candelária / Rio Grande do Sul06/2001
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Adolescentes
Adulto
Afrodescendentes
Agricultores Familiares
Idosos
Jovens
Mulheres
Povos indígenas
Povos Tradicionais
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Equipamentos de informática (computador e impressora)para os registros de documentos e arquivos, combustível para deslocamentos, materiais de divulgação através de folder e materiais impressos, um espaço físico com uma área de no mínimo 20m². Embalagens para armazenar adequadamente as sementes crioulas bem como para o transporte adequado. Máquina fotográfica.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

o valor estimado ideal é de aproximadamente R$80.000,00.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Articulação da Agroecologia do Vale do Taquari - AAVTárea de agricultura ecológica
Arituculação da Agroecologia do Vale do Rio Pardoagricultura ecológica
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

"No ano de 2001 participei do primeiro encontro de sementes crioulas em Santa Cruz do Sul, lá consegui sementes de arroz do tipo sequeiro, plantei e desde então sempre tenho o meu arroz, tem anos que também comercializo arroz descascado e sementes, mas mantenho a prática do cuidado com a semente e também a solidariedade com outras famílias, doando sementes para o Banco de Sementes levar a outros agricultores" Daniel Jasniewcz de Encruzilhada do Sul. "no ano passado recebi do Banco sementes de melancia crioula, plantei e colhi 112 melancias, 100 eu vendi a R$2,50 a unidade, as outras serviram de alimento para minha família, colhi as sementes e devolvi ao Banco 350 gramas de sementes para beneficiar outras famílias"-Adair David, Quilombola do Quilombo Rincão dos Negros.