Assessoria técnica e formação em Fundo Rotativo Solidário

certificada 2015

Instituição
Cáritas Brasileira Regional Nordeste 3
Endereço
Rua Emília Couto, 270 B Casa- Salvador/Bahia - Brotas - Salvador/BA
E-mail
fabricio@caritas.org.br
Telefone
(71) 3357-1667
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Luciana Neves Sarno(71) 8800-6350luciana@caritas.org.br
Marcus Fabrício Gonçalves Oliveira(71) 3357-1667fabricio@caritas.org.br
Resumo da Tecnologia

O Fundo Rotativo Solidário é nada mais que uma estratégia criada e utilizada pela sabedoria do povo brasileiro. Com ela, procura financiar atividades produtivas (em sua grande maioria), e logo depois, mesmo sem contrato assinado, as pessoas se comprometem e devolvem para o grupo o valor financiado. Dessa forma, outras famílias são beneficiadas, e assim um ciclo de solidariedade é criado e valorado entre seus participantes.Pois então, é Fundo porque reúne recursos (financeiros, mão-de-obra, sementes); é Rotativo porque os recursos giram, circulam entre todos os participantes; é Solidário porque as pessoas recebem o benefício, mas também pensam no outro e devolvem.*{ods4},{ods8}*

Tema Principal

Educação

Tema Secundário

Renda

Problema Solucionado

A proposta aqui apresentada, buscou atender a demanda do Estado da Bahia em relação apresentar meios que permitam o acompanhamento qualitativo das experiências que já vinham sendo desenvolvidas por diversos sujeitos nos meios rural e urbano, sobretudo experiências como trocas de pequenos animais, construção de cisternas que armazenam água da chuva, trocas de sementes e no meio urbano a solidariedade na construção de casas populares por meio do mutirão. A partir desse projeto, essas experiências foram sistematizadas e permitiu que houvesse maior diálogo destas. Esse trabalho vem permitindo trocas de conhecimento, entre as experiências e vem possibilitando a criação de redes que articuladas vem contribuindo para o desenvolvimento de uma ação de apoio sistemático as iniciativas de Fundos Rotativos Solidários fortalecendo assim essa prática de Finanças Solidárias. A proposta aqui apresentada, se insere num contexto de ampliação das possibilidades de apóio a essas experiências e da imprescindível necessidade de acompanhamento e articulação das iniciativas de finanças solidárias e desta forma contribui para o fortalecimento desta “outra economia” popular e solidaria

Objetivo Geral

Os fundos solidários são processos de gestão coletiva de recursos, voltados para a sustentabilidade local e territorial e para a mobilização social, constituindo como espaços geradores de saberes, tendo como eixo a ampliação das capacidades organizativas e promovendo mais autonomia aos sujeitos.

Objetivo Específico

- Promoção de processos formativos com foco em visitas técnicas e promoção de intercâmbios metodológicos com intuito das experiências se conhecerem e trocarem vivências formativas-metodológicas; -Articulação de diferentes experiências em espaços de construção de políticas públicas; - Diagnóstico de demandas das comunidades e planejamento estratégico das mesmas; -Formação em economia popular solidária, metodologias de fundos rotativos e políticas públicas; -Apoio à comercialização.

Descrição

O fundo rotativo solidário constitui-se como uma ferramenta coletiva e livre de autossustentabilidade de grupos produtivos nos meios rurais e urbanos, tendo como eixo central o empoderamento dos sujeitos. A metodologia de ação de formação e assessoramento aos empreendimentos econômicos solidários vem sendo pautada na pedagogia da alternância, criando as condições para a criação e apropriação dos conhecimentos de maneira que o sujeito possa utilizar seu saber prático obtido ao longo de sua existência agregando o saber teórico oferecido a ele por meio de oficinas, encontros, dentre outros. Essa metodologia prevê a fusão desses saberes e fomenta a ação transformadora da realidade.Em princípio, parte-se de um diagnóstico participativo onde cada experiência assessorada foi visitada pela equipe de execução do projeto, tendo como elemento central as informações e dados econômicos e sociais. Tem-se como ponto de chegada a elaboração de um planejamento participativo de assessoramento de cada experiência. A partir do planejamento participativo, são definidas as ações prioritárias que deverão ser executadas ao longo do processo de assessoramento. O diagnóstico primordial torna-se imprescindível. Para além do diagnóstico que deverá ser realizado podem-se ilustrar estruturas centrais de conteúdos que permearão os processos formativos. O panorama denota duas vias iniciais de atuação, na primeira introduzir entidades sem expertise da metodologia de Fundos Rotativos nas concepções iniciais e operacionais. Na segunda possibilitar o refinamento de instrumentos de gestão já utilizados nas entidades que possuem a habilidade. PROPOSTA DE CONTEÚDO PARA OS PROCESSOS FORMATIVOS Via 01: Formação inicial de Fundo Rotativo Solidário (FRS). 1. Bloco inicial sobre Economia Solidária e o lugar dos Fundos Rotativos Solidários 1.1. Conceituando os Fundos Rotativos, e suas modalidades: casa de sementes, Fundo rotativo de animais. 1.2. Panorama dos FRS no Estado. 2. Bloco sobre a formação dos Fundos Rotativos; 2.1. Instrumentos operacionais que viabilizem a formação e execução do Fundo Rotativo (regimento interno, estrutura de gestão, termos de repasse, etc) 3. Bloco sobre a criação dos instrumentos de gestão pertinentes a realidade local. 4. Bloco versando sobre questões contábeis do FRS. 5. Bloco com foco no monitoramento, acompanhamento e avaliação das ações do FRS; 5.1. Elaboração de meios avaliação das experiências de Fundos Rotativo. Via 02: Melhoria dos processos de gestão dos FRS. 1. Bloco inicial com levantamento das práticas preexistentes; 1.1. Troca de experiências diferentes de gestão de FRS, apresentação dos participantes; 1.2. Levantamento de problemas da gestão do FRS identificado pelo grupo praticante; 1.3. Debate sobre possíveis soluções apontadas; 1.4. Compromisso de prática das soluções apontadas a serem avaliadas num encontro posterior; 2. Bloco com foco na articulação das experiências de Fundos Rotativos. 2.1 Interlocução dos Fundos Rotativos com o movimento de Economia Solidária; 2.1. Difusão da prática de fundos rotativos nos empreendimentos de Economia Solidária, locais/territoriais; 2.2. Fomentar a troca de experiência acerca de articulações locais para fortalecer as práticas de FRS. As visitas técnicas subsequentes servem para executar o planejamento construído para cada empreendimento. As oficinas territoriais e os intercâmbios são os momentos adequados para as troca de experiência entre as diferentes experiências e permitindo também a maior articulação entre elas, permitindo assim um maior adensamento organizativo.

Resultado Alcançado

Entre os anos de 2012 e 2015, foi desenvolvido o projeto “Fortalecer as Finanças Solidárias no Estado da Bahia através do fomento e da consolidação dos fundos solidários”, em convênio com o Governo do estado. Por meio deste, iniciativas locais e territoriais de economia popular solidária vêm transformando a realidade dos meios rural e urbano e considerando as relações sociais comunitárias com foco na transversalidade e no fortalecimento das relações de gênero, do protagonismo juvenil, da inter-religiosidade, da produção agroecológica e dos processos locais de construção social do desenvolvimento. Foram assessoradas 20 iniciativas de fundos rotativos solidários apoiados pelo projeto. Eis alguns resultados alcançados: - As experiências já começam a perceber um maior reconhecimento identitário por parte das comunidades; - Ampliação da participação em feiras e organização de eventos voltados para a Economia Solidária; - Ampliação do acesso aos Fundos Rotativos; - Processo de empoderamento de alguns grupos produtivos; - Uma das experiências fora sistematizada nacionalmente; -Algumas entidades territoriais assessoradas implementam atividades produtivas com inaugurações de entrepostos logísticos e armazéns de comercialização com foco na agricultura familiar e na economia popular solidária; -Experiências acessam projetos e recursos da cooperação internacional; - Formato de fundos solidários que fortalece o conceito de pluriatividade no mundo rural; - Grupos continuaram melhorando sua organização e fortalecendo suas ações- acesso a novos editais; - Participação nas Conferências territoriais, estadual e nacional de Economia Solidária, ampliação a PAA e PNAE, cultivo de hortas comunitárias; - Realização de feiras-feministas, orgânicas, Economia Popular Solidária; - Maior disseminação da metodologia no âmbito urbano e articulação desta com outras políticas públicas como àquelas relacionadas a inclusão socioprodutiva e convivência com o semiárido.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Salvador / BahiaGrupo de Artesãs do Nordeste de Amaralina02/2015
Capela do Alto Alegre / BahiaAssociação Capela do Alto Alegre de Artesãs10/2014
Jacobina / BahiaRede de Feiras Agroecológica e Fundo Rotativo Solidário do Piemonte da Diamantina01/2013
Estância / SergipeGrupo Estrelícia01/2012
Santo Antônio de Jesus / BahiaAssociação Yle Axé Yepanda Ode - Ayayo12/2011
Estância / SergipeGrupo Batucada Navegante relacionada à Associação Cultural dos Dançadores/as de Quebra Coco01/2012
Serrinha / BahiaAssociação de Mulheres de Alta Floresta02/2012
Irecê / BahiaGrupo de Mulheres da Lagoa do Zeca01/2012
Banzaê / BahiaAssociação de Artesanato Semente da Esperança01/2010
Ipirá / BahiaAssociação Queimada e Calderõzinho05/2015
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Afrodescendentes
Agricultores Familiares
Artesãos
Jovens
Lideranças Comunitárias
Povos Tradicionais
Produtores rurais - Pequenos
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

A Cáritas Brasileira Regional Nordeste 3 dispõe de uma equipe de assessoria formada atualmente por um Articulador Regional que atua no processo de formação e fortalecimento de grupos produtivos que atuam com a metodologia de fundos solidários; uma Articuladora de Redes que está imbuída de articular, em conjunto com grupos produtivos e entidades apoiadoras, a formação da rede de fundos solidários do Estado da Bahia ; e Educadoras Sociais que desenvolvem in loco o processo formativo e metodológico diretamente com os grupos. Para a implementação dessa tecnologia, faz-se necessário a aquisição de equipamentos de informática como notebooks, impressoras, software de gestão estratégica direcionada para organizações sociais, no que se refere à entidade de assessoria. Em termos de instrumentos de gestão, os grupos necessitariam a construção coletiva de regimento interno, fichas de cadastro, fluxo de caixa e recibos. Com o desenvolvimento do projeto fortalecer as finanças solidárias no Estado da Bahia através da consolidação de metodologias de constituição,implementação e gestão de fundos solidários, ocorrido entre 2012 e 2015, muitas organizações e grupos produtivos experimentaram a metodologia e efetivaram assessoramento em implementação de fundos solidários como parte de autossustentabilidade. Foi-se identificados grupos de mulheres com atividades relacionadas à artesanato, cultura e pequena produção de hortaliças com base na agroecologia e na convivência com semiárido.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

O desenvolvimento do fundo solidário em uma comunidade o tempo mínimo é de seis meses para o processo de formação e primeiros resultados concretos. Para isso, aponta-se a necessidade de recurso mínimo de R$ 50.000,00 para ter uma equipe mínima e condições de efetivar visitas e formações in loco com os grupos produtivos descritos anteriormente.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Governo do Estado da Bahia-Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e EsporteParceiro
Fundação Grupo Esquel BrasilImplementador/Parceiro
Movimento de Cultura Popular do SubúrbioImplementador/Parceiro
ASA-Articulação do SemiáridoParceiro
Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Relatório de execução semestralBaixar
Seminário final projetodownload
Promoção e fortalecimento de Fundos Rotativos Solidários e Feiras Agroecológicas no Território de Identidade Piemonte da Diamantina- Estado da Bahiadownload
Modelo de Recibo -Rede de Feiras Agroecológicas do Piemonte da DiamantinaBaixar
Regimento interno grupo de Artesas do Nordeste de Amaralinadownload
Endereços eletrônicos associados à tecnologia