Sistema de Baixo Custo para aquecimento de água em unidades prisionais

certificada 2015

Instituição
Fundação Paulista de Tecnologia e Educação
Endereço
Avenida Nicolau Zarvos, 1925 - Jardim Aeroporto - Lins/SP
E-mail
Telefone
(14) 3533-3200
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Adriano de Souza Marques(14) 9989-52481adriano.marques@ifsp.edu.br
José Aparecido Silva de Queiroz(14) 99185-0498jqueiroz@unilins.edu.br
luciane jaqueline de oliveira(14) 9962-57393luciane.jaqueline@hotmail.com
Resumo da Tecnologia

A tecnologia aqui apresentada foi desenvolvida no Centro de Ressocialização de Lins e instalada com a participação dos próprios internos. Tem por objetivo o aquecimento de água para a cozinha e para o banho dos recuperandos, buscando humanizar as condições de vida a que estão sujeitas a população carcerária. Consiste em um um sistema de aquecimento solar composto por um conjunto de serpentinas, constituído de mangueira de polietileno que permite com eficiência, através da transferência do calor provocado pela radiação solar direta e/ou difusa (Energia Solar Térmica), o aquecimento da água que circula no interior da mangueira, suprindo a demanda de água quente de uma unidade prisional*{ods4},{ods7},{ods8}*

Tema Principal

Energia

Tema Secundário

Renda

Problema Solucionado

No Sistema Energético Brasileiro encontramos a predominância do sistema hidráulico em detrimento á captação de energia alternativa. Tal opção traz como conseqüência a dificuldade de distribuição de energia em áreas mais remotas do país e os constantes cortes no fornecimento de energia de grandes centros urbanos em razão de crescentes períodos de estiagem. No que tange especificamente ao aquecimento de água para banho e processos de esterilização, encontramos ainda os chuveiros e torneiras elétricas como os mais utilizados para tal fim. Devido ao alto custo dos aquecedores solar industrializados e da falta de mão de obra qualificada para a sua instalação e manutenção, o sistema de aquecimento solar pouco tem sido utilizado em residências ou órgãos públicos e privados como uma alternativa para o consumo e economia de energia. Entre os órgãos públicos que demandam grande quantidade de água quente, destacamos os estabelecimentos prisionais como os menos favorecidos na questão, onde a utilização da água aquecida pode ser considerada um elemento importante para a manutenção da saúde dos internos,além de se apresentar como um fator de inclusão social para detentos e egressos.

Objetivo Geral

Garantir o fornecimento de água quente suficiente para o banho dos internos e para a higienização dos utensílios de cozinha nas unidades prisionais, através da instalação de aquecedores solar de baixo custo efetuada por internos, proporcionando aos reeducandos o acesso a capacitação profissiona

Objetivo Específico

Contribuir de maneira viável e econômica com a melhoria de infraestrutura nas unidades prisionais; Minimizar as condições insalubres de sobrevivência da população carcerária durante o cumprimento da pena privativa de liberdade; Propiciar integração social dos internos promovendo conhecimentos que poderão ser utilizados após o cumprimento da sentença para o aproveitamento próprio e/ou geração de renda; Formar multiplicadores da tecnologia em municípios da região através dos internos que realizarem o curso; Estimular o consumo consciente de água e energia elétrica;

Descrição

A tecnologia foi instalada no Centro de Ressocialização (presídio) na cidade de Lins, região centro oeste do estado de São Paulo, com latitude: 21º 40’ 43” S, longitude: 49º 44' 33" W e altitude 437 metros. O sistema consiste em um arranjo formado por 12 serpentinas instaladas na configuração série paralelas, sendo que cada bateria de serpentina em série contém 3 serpentinas. Nesta configuração garante-se ganho de temperatura no arranjo em série e ganho de vazão no arranjo em paralelo. O sistema foi instalado em uma área do telhado com inclinação de 10º, do Centro de Ressocialização, e que se encontra voltado para o Norte Geográfico. Cada sistema com 12 serpentinas aquece 2000 litros de água por dia. Sistema para Banho – No CR foi instalado um sistema de 12 serpentinas para cozinha e outro para aquecer água para o Banho. O CR pode atender até 210 detentos divididas em 3 alas. O sistema instalado atende uma ala com aproximadamente 70 internos. Assim, para fornecer água para o banho, considerando o consumo médio de 50 litros por pessoa (NBR-128/ABNT 1963) seriam necessários 3.000 litros de água aquecida a uma temperatura mínima de 32°C no verão e 37°C no inverno. Neste sistema utilizam-se dois reservatórios de 1000 litros, onde são armazenadas água quente aquecida das 10 as 18 horas. Este período é gerenciado por um temporizador que controla uma eletroválvula (on/off), deixando fluir água pelos coletores somente na faixa de horários onde houver incidência de radiação solar.Utilizando um CDT (Controlador Diferencial de Temperatura), o fluxo de água ocorrerá somente quando a temperatura da água de entrada for maior ou igual à temperatura da água já armazenada. A cada 30 minutos o fluxo de água é interrompido por 15 minutos para aumentar a absorção térmica da serpentina. Sistema para Cozinha – Neste sistema não foi instalado reservatório. Desta forma a água fluirá sempre que a torneira for acionada. A cozinha possui características peculiares, entre elas o alto consumo de água quente durante o horário do almoço e pós-almoço, pois neste período o consumo de água quente é muito grande para a higienização dos utensílios, pratos, colheres e também do próprio ambiente. Este consumo gira em torno de 1000 litros. Características do coletor: • 50 m de mangueira de polietileno • 2,5mm de espessura da parede do tubo de polietileno • 1,4m de diâmetro • 1/2” de diâmetro interno • Pressão de trabalho 25MCA • Estrutura feita de aço • Peso aproximadamente de 15kg (vazio) • Área de 0,85 m².

Resultado Alcançado

A Norma Técnica Brasileira, (NBR - 128/ABNT,1963), que rege a instalação de água quente no Brasil, fornece as seguintes especificações: • Para o aquecimento de água para uso pessoal em banhos ou higiene a temperatura deve estar entre 35° a 50°C; • Para utilização em cozinhas (dissolução de gorduras) a temperatura recomendada deve ser entre 60° e 70°C. Resultados alcançados com a tecnologia - Sistema de aquecimento para banho: O período mais critico para sistemas de aquecimento solar é durante o inverno. Apontamos aqui, a título de exemplo a temperatura da água verificada no dia 11 de Agosto de 2o14: A temperatura da água encontrava-se em 13°C às 6 horas da manhã, após as 10 horas da manhã, momento em que a eletroválvula será acionada, a temperatura encontra-se acima de 35º C, assim permanece até as 17 horas. Durante este período foram enchidos os dois reservatórios. Resultados alcançados com a tecnologia - Sistema de aquecimento para cozinha: Por meio do sistema de aquecimento solar não foi possível atingir a temperatura recomendada pela NBR - 128/ABNT,1963, para utilização em cozinhas no processo de esterilização, no entanto as temperaturas registradas demonstram um bom desempenho dos coletores em regime contínuo. No dia 23 de agosto, foi registrado temperatura na faixa dos 46º C. Impactos sociais - Com a implantação desta tecnologia em apenas uma ala nesta unidade prisional, 7o reeducandos têm acesso ao banho com água quente, garantindo condições dignas de sobrevivência durante o cumprimento da sentença, além de otimizar o processo de limpeza dos utensílios de cozinha por meio do aquecimento de água também na cozinha. Todo o processo de implantação e execução da tecnologia foi realizado pelos próprios internos, através de curso de capacitação certificado pelo Centro Universitário de Lins, possibilitando aos internos o acesso a assistência educacional.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Lins / São PauloCentro de Ressocialização " Dr. Mnoel Carlos Muniz" de Lins11/2013
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
População Carcerária
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

160 peças de abraçadeira 9mm1/2 a ¾; 20 peças de adaptador soldável com rosca ½; 20 peças de adaptador interno ½ não soldável; 20 peças de bucha redução roscada 01x1/2; 01 caixa d’agua 1.000 litros com tampa; 20 peças de luva rosca 01; 40 peças de joelho interno ½; 1000 metros de mangueira preta 1/2x2,0mm;24 metros TE pvc soldável 32mm; 40 peças de TE triplo ½; 20 peças de tubo soldável 32mm

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Valor estimado por coletor em março de 2015 é de aproximadamente R$ 3.ooo,oo. Cabe ressaltar que a tecnologia foi implantada em um local com grande demanda para a utilização de água quente. No entanto poderá ser implantada em residencias e instituições menores por menor custo, o equivalente a aproximadamente R$ 4oo,oo em residências com capacidade para o banho diário de 5 pessoas.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Coordenadoria de Reintegração Social e CidadaniaDoação de Materiais
Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Noroeste do EstadoDoação de Materiais
Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Sistema de baixo custo para aquecimento de água , utilizando mangueiras de polietileno para aplicação em unidades de cozinha de detençãodownload
Depoimento Livre

" Esse é o terceiro inverno que passo aqui dentro. É o primeiro que não pego uma gripe. Ter água quente para o banho faz a gente sentir um pouco de conforto e lembrar de casa. E tem a oportunidade que tivemos de conseguir um certificado. Saio em liberdade em novembro desse ano e esse curso vai me ajudar a recomeçar a vida" N. A. - 6o anos "Sou o chefe da cozinha aqui do CR, a água que sai da torneira é tão quente que as vezes a gente usa luva para lavar os pratos. Diminuiu o uso de detergente, é muita gordura que fica na cozinha depois que fazemos a comida. A água quente ajuda muito aqui na cozinha." J.A B.- 48 anos