Arte na Palha Crioula: Banco de Milhos Crioulos

finalista 2017

Instituição
ARTE E VIDA - Associação de Mulheres Artesãs de Guapiara
Endereço
Zona Rural - Macedo de Cima - Guapiara/SP
E-mail
alice-arte@hotmail.com
Telefone
(15) 3547-1724
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Alice de Oliveira Almeida(15) 9974-47005alice-arte@hotmail.comhttps://www.facebook.com/alice.oliveira.33633344
Vânia Fátima da Costa(15) 9963-32634vaniaeana@gmail.comhttps://www.facebook.com/profile.php?id=100005356878734
Resumo da Tecnologia

Trata-se do resgate da plantação das sementes de milho crioulo que é passada de geração em geração e da utilização das suas palhas naturalmente coloridas para produção de artesanatos decorativos e utilitários de alta qualidade como: cestarias, vasos, bonecas, galinhas, suplas, jogos americano, flores,petecas, bolsas, chapéu, revestimento em moveis entre outras peças.*{ods8},{ods13}*

Tema Principal

Renda

Tema Secundário

Meio ambiente

Problema Solucionado

Na busca por diversificar suas atividades e fomentar uma nova opção de geração de renda, as mulheres do município de Guapiara/SP, que detém o conhecimento do artesanato com a palha do milho crioulo passaram a se organizar coletivamente a fim de potencializar suas capacidades e possibilidades desde a plantação ate o produto final. O artesanato que produzem a partir da palha do milho crioulo são peças que possuem identidade própria da região, é válido acrescentar também a alta qualidade, a diversidade e os conceitos neles encorpados, conceitos estes que permeiam o Desenvolvimento Sustentável e de Economia Solidária. O projeto "Trançando Caminhos" financiado pelo Proac Editais, viabilizou a troca de sementes de milhos crioulos aumentando nossa variedade de milho crioulo e também na divulgação e comercialização das peças nas feiras de artesanatos.

Objetivo Geral

Promover alternativas de geração de renda para o grupo de mulheres do município a partir das atividades de artesanato em palha de milho crioulo.

Objetivo Específico

-Reconhecimento de que o artesanato em palha de milho crioulo é um produto de características tradicionais brasileiras com impacto turístico;
- Produzir produtos de qualidade com beleza natural divulgando os ideais do grupo;
- Melhorar a qualidade de vida das mulheres e suas famílias;
- Realizar oficinas de produção de objetos utilitários e decorativos;
- Buscar novas sementes de milho crioulo paticipando das feiras de trocas de sementes no estado e fora do estado de São Paulo;
- Promover visitação das artesãs em outras plantações de milho crioulo nas comunidades da região (quilombolas e indígenas);
- Aumentar e diversificar a plantação de milho crioulo;
- Divulgar e comercializar os produtos através de participação em feiras no estado e fora do estado de São Paulo.

Descrição

A produção começa com a preparação do solo para a plantação, selecionando as sementes de melhor qualidade que devem ser plantadas na lua nova ou na lua minguante a partir da ultima semana de julho (o mês de agosto não é bom para o plantio porque não produz grãos) retornando no mês de setembro ate dezembro.
Para manter sua coloração natural evitando que as variedades se mestice elas devem ser plantadas com o intervalo de vinte dias uma da outra. Como são sementes crioulas demoram entorno de seis meses para colheita do milho seco e retirada das palhas para produção do artesanato (nessa fase se faz a seleção das sementes para um novo plantio, as sementes que não servir para plantação podem ser utilizadas na produção de farinha, quirera, fubá ou consumo animal).
Apos o processo da colheita inicia se a seleção das palhas e a produção dos artesanatos, destinando as palhas maiores para o trançado (que feito com auxilio de uma agulha de arrame de maneira artesanal feito por elas mesmas), as palhas menores são utilizadas na produção de flores de variados modelos e tamanhos e as palhas largas para produção de bonecas.
Desde do ano de 2007, as artesãs participaram de vários cursos de capacitação entre eles de viabilidade econômica, formação de preços, designer de produtos, no ano de 2012 participaram do curso para a formalização da Arte e Vida - Associação de Mulheres Artesãs de Guapiara.
A partir de 2015 iniciou um acompanhamento com a SOF- Sempreviva Organização Feminista visando o fortalecimento da autonomia das mulheres na sociedade acompanhamento esse que dura ate hoje.

Resultado Alcançado

Mesmo tendo pouco recurso para a plantação, a produção tem um numero significativo de peças que possibilita a participação em feiras do ramo de artesanatos entre elas todas as edições do Revelando São Paulo, Resgatando o Vale, entre outras de menor porte na região.
Demostração do artesanato em escolas, parques, hotéis, fazenda, reuniões e congressos como em 2009 na Faculdade Positivo em Curitiba PR (Congresso Brasileiro de Agroecologia).
Através da parceria com a Sutaco (Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades) os produtos fazem parte do cenário do programa Senhor Brasil na TV Cultura, em 2013 a Sutaco possibilitou a participação na Expominas MG.
Em 2014 a Associação participou do Projeto Next Generation Development Programme 10, do HSBC para elaboração de um plano de negócios, visando mais divulgação e comercialização.
Em 2013 foi a primeira participação na Feira de Tocas de Sementes em Eldorado Paulista, visando buscar novas variedades de sementes de milhos crioulos com os quilombolas e indígenas, para aumentar a variedade de palhas coloridas naturalmente.Um intercâmbio cultural virtual foi realizado entre a sala de aula do 4-5 ano de Ottawa,Ontário, Canadá, e sala de aula do 5 ano de Inglês em Guapiara, São Paulo. O objetivo deste intercâmbio foi de montar as diferenças culturais entre os países envolvidos.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Guapiara / São PauloBairro Macedo de Cima10/2016
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Adolescentes
Agricultores Familiares
Artesãos
Mulheres
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Terreno para o plantio, variedades de sementes de milho crioulo,insumos agrícolas, preparação do solo, frete para transporte da produção, mão de obra para todas as etapas da plantação. Materiais para incio do trabalho, tesouras, pistola de cola quente, bastão de cola, linhas e teares. Material de divulgação, câmera fotográfica banner e folders.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Um tereno de 6 mil metros quadrados valor estimado R$ 20.000,00, no caso de arrendamento R$ 5.000,00/ano.
Compra de sementes crioulas R$ 2.000,00.
Insumos Agrícolas R$ 15.000,00.
Preparação do solo R$ 5,000.00.Frete R$ 2,000.00.
Recursos Humanos R$ 6.000,00. Recursos Materiais R$ 5.000,00.
Valor total com a compra do terreno R$ 50,000.00 sem a compra R$ 35,000.00

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Sof - Sempreviva Organização FeministaFortalecimento das mulheres e divulgação
Prefeitura Municipal de GuapiaraCapacitação e formalização da associação e divulgação
INDES - Instituto de Desenvolvimento Econômico SocialCapacitação e formalização
Consad - Consorcio Segurança Alimentar e Desenvolvimento LocalFortalecimento e Divulgação
Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Recomendação da Arte e VidaBaixar
Revista Top da CidadeBaixar
Revista Casa ClaudiaBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

"Filha de lavrador desde meus sete anos acompanhava o meu pai na roça, onde pegava as palhas e os sabugo de milho para fazer minhas bonecas para brincar, aquilo que era uma brincadeira de criança. Com o passar dos anos tornou- se minha profissão. O artesanato para mim é uma benção, mesmo passando dificuldades com problemas de saúde nunca deixei de fazer minhas bonecas, hoje com 72 anos o artesanato que faço ajuda a complementar minha renda". Maria - Artesã. "Os trabalhos manuais como, bordar,pintar, recortar e colar são atividades que podem mudar a vida de quem se encontra com algum problema físico, psicológico ou social, ajudam a despertar os requisitos básicos de autoestima e motivação auxiliando na melhora do seu estado emocional". Fabiana C. Oliveira Freitas - Terapeuta Ocupacional