Academia Estudantil de Letras

certificada 2013

Instituição
EMEF Padre Antônio Vieira
Endereço
Rua Antonino Bacaeri, 171 - Jardim Arthur Alvim - São Paulo/SP
E-mail
Telefone
(11) 2280-6566
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Maria Sueli Fonseca Gonçalves(11) 9204-8112suelizinha@uol.com.br
Resumo da Tecnologia

Jeito lúdico de ensinar literatura, usado para aumentar o interesse de estudantes de escolas públicas em ler e escrever. A Academia Estudantil de Letras (AEL) é uma estratégia pedagógica na qual os alunos leem os livros, imitam personagens, refletem sobre as ações dos personagens e suas vidas.*{ods4}*

Tema Principal

Educação

Problema Solucionado

A baixa estima, manifestações preconceituosas, falta de coleguismo e o uso de palavras de baixo nível no tratamento recíproco são comportamentos verificados nas ações de alguns alunos. Em busca de disciplina e pela necessidade da escola de auxiliar os jovens a lidar com suas frustrações, foi criado um espaço de leitura a fim de explorar a função humanizadora da literatura. A poesia foi utilizada de forma a sensibilizar, provocar reflexões, elevar a autoestima e favorecer o protagonismo infantojuvenil dos alunos.

Objetivo Geral

Desenvolver o gosto dos alunos pela leitura, elevando a autoestima, promovendo a inclusão social no processo de aquisição da linguagem, por metodologia lúdica, configurando-se em estratégia pedagógica de motivação prazerosa,que apresente resultados positivos de transformação da vida dos educand

Objetivo Específico

- Preconizar o domínio da leitura como meio viabilizador de uma vida com autonomia;- Promover a educação para a cidadania, fomentando atitudes de respeito pela vida e pela natureza;- Desenvolver a capacidade comunicativa dos alunos;- Reconhecer a oralidade como primeiro avanço facilitador do desenvolvimento da leitura e da escrita;- Estimular a participação dos pais e da comunidade escolar em todos os eventos promovidos pela academia;- Realizar concursos literários e apoiar toda e qualquer manifestação de arte dentro da escola;- Ampliar o tempo de permanência dos estudantes na escola;- Convidar escritores, poetas e artistas, de todas as áreas de atuação, como forma de incentivo e desmistificação da arte, tornando real uma aproximação entre estes e os alunos;- Promover a efervescência literária em um ambiente onde a paz seja efetivamente vivenciada, combatendo as manifestações de violência e falta de amor.

Solução Adotada

A Academia Estudantil de Letras (AEL) segue os moldes de uma autêntica Academia de Letras. As atividades dos alunos são:- Escolher os patronos e ocupar as cadeiras literárias;- Realizar estudos de literatura e participar das reuniões acadêmicas;- Organizar e apresentar seminários sobre seus autores;- "Imortalizar" os seus patronos a medida que forem saindo da escola ao final do curso ou quando, ao longo do processo, ocorrer a saída de um membro da academia por outro motivo. Eles serão substituídos pelos suplentes, alunos que já frequentam a Academia e acompanham os titulares nos estudos literários, estando aptos a assumir a cadeira pretendida. Cada grupo escolhe o patrono de sua Academia. A metodologia de ensino de literatura e de poesia busca desenvolver o gosto do aluno pela literatura. Desta forma, o estudante verá a obra literária como um organismo vivo. Além disso, são realizadas, entre junho e dezembro de cada ano, festas temáticas envolvendo as academias de letras de diferentes escolas. Os temas base para este evento contemplam datas significativas ou fatos e aspectos relevantes à sociedade, podendo estar relacionados às artes, em especial à literatura e sua função humanizadora. Fazem parte das festas temáticas as apresentações cênicas elaboradas em conjunto pelos professores de teatro no período de contraturno dos alunos. Todos os alunos da escola podem participar das atividades em uma das categorias:- Titulares: alunos do 1º ao 4º ano do Ciclo II e da Educação de Jovens e Adultos, que já tenham tomado posse de suas cadeiras literárias;- Suplentes: alunos que tenham desempenhado a função de membros-correspondentes no 4º ano do Ciclo I (realizado uma espécie de estágio na AEL no ano anterior, para, no ano seguinte, 1º ano do Ciclo II, assumir as funções de suplentes de suas cadeiras) dando continuidade aos seus estudos juntamente com o aluno titular da cadeira pretendida ou de outra cadeira que se apresente vaga no momento de seu ingresso. Também podem ser alunos dos 2ºs e 3ºs anos do Ciclo II que pretendam ocupar cadeiras literárias de titulares, observando que os atuais titulares devam estar em fase de estudo mais adiantado no curso regular do Ensino Fundamental II do que o seu, para que, quando os titulares concluírem o curso ou deixarem de participar da AEL por qualquer outro motivo, estes possam substituí-los;- Membros-correspondentes – alunos dos 3ºs e 4ºs anos do Ciclo I;- Membros principiantes – alunos dos 1ºs e 2ºs anos do Ciclo I que, embora sem escolher um autor, já fazem parte da AEL, realizando os estudos em grupos. Os estudos de literatura e teatro são dirigidos por professores da própria escola ou, em segundo caso, também por oficineiros e arte-educadores contratados especialmente para essa função. Eles atendem aos alunos fora de seu expediente normal de trabalho e preparam-nos fora do período de suas aulas regulares (contraturno). Este processo ocorre em reuniões semanais de 90 (noventa) minutos de duração. Os professores coordenadores da AEL nas escolas também participam de reunião mensal, com uma hora e meia de duração, com o seguinte formato: em um mês a reunião é restrita ao grupo de acadêmicos (alunos), ocorrendo a apresentação dos seminários desenvolvidos por eles sobre a vida e a obra dos autores escolhidos e também de suas produções literárias; no mês seguinte, a reunião ocorre com o auxílio de palestras desenvolvidas pelos professores ou escritores, poetas e artistas convidados. Os professores responsáveis pelos encontros de literatura orientam as pesquisas literárias, auxiliam na elaboração da autobiografia literária dos acadêmicos, incentivam a apropriação gradativa da postura acadêmica, apresentam textos previamente selecionados e estimulam o exercício do protagonismo infanto-juvenil. Para subsidiar o trabalho de literatura nas escolas, a Diretoria Regional de Educação da Penha promove cursos anualmente.

Resultado Alcançado

Atualmente, existem 22 Academias Estudantis de Letras, envolvendo mais de 1000 (mil) alunos, no conjunto das escolas participantes. Os resultados em todas as escolas são:- Sala de leitura cada vez mais frequentada;- Alunos escrevendo seus próprios poemas, dramaturgias e até esboços de livros;- Alunos acadêmicos premiados em concursos literários de âmbito nacional;- Permanência da maioria dos alunos na academia até o final do Ensino Fundamental;- Novos estudantes incorporados ao grupo, a cada ano;- Necessidade de elaboração de listas de espera, mediante o grande número de alunos interessados em participar da academia em todas as escolas;- Postura acadêmica transferida gradativamente para a sala de aula;- Autoestima e equilíbrio;- Desenvolvimento das habilidades do discurso;- Resgate de valores;- Constatação de uma motivação positiva, não só por parte dos alunos, mas também por parte dos professores que coordenam as atividades em diversas escolas;- Opção unânime das escolas participantes por continuar desenvolvendo as atividades, ano após ano, desde a fundação de suas academias;- Adesão de novas escolas a cada ano, com participação maciça dos professores nos cursos de formação vinculados ao Projeto AEL;- Presença de escritores consagrados, homenageados como patronos de novas Academias, a citar: Ziraldo e Tatiana Belinky, manifestando publicamente total apoio ao Projeto;- Depoimentos dos alunos que ingressam no Ensino Médio quanto à diferença que representou na vida deles ter participado do AEL no Ensino Fundamental, em seu bom desempenho escolar, principalmente em Língua Portuguesa/Literatura;- Número considerável de alunos que vivenciaram a experiência da AEL em diversas escolas, no Ensino Fundamental, optam pelos cursos de Letras ou de Artes Cênicas, no Ensino Superior;- Movimento espontâneo dos alunos do Ensino Médio, oriundos de escolas diferentes da mesma região, que, ao encontrarem-se na nova escola, compartilham a experiência da AEL vivida no Ensino Fundamental e mobilizam-se em prol da criação de uma AEL para os ex-alunos acadêmicos. A iniciativa também serviu de modelo para a implantação de Academias Estudantis de Letras em escolas das cidades de Ferraz de Vasconcelos, Guarulhos, Poá e Suzano e, para além do estado, em Apodi, interior do Rio Grande do Norte. Na Internet há registro da reaplicação da experiência em outros estados do Brasil, como Quixadá (CE) e Tijucas (SC).

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
São Paulo / São PauloJardim Nordeste05/2005
São Paulo / São PauloJardim Coimbra04/2007
São Paulo / São PauloCangaíba06/2007
São Paulo / São PauloErmelino Matarazzo06/2007
São Paulo / São PauloMooca08/2008
São Paulo / São PauloParque Císper09/2008
São Paulo / São PauloTatuapé10/2008
São Paulo / São PauloParque Císper12/2008
São Paulo / São PauloPenha09/2009
São Paulo / São PauloPenha12/2009
São Paulo / São PauloArthur Alvim12/2009
São Paulo / São PauloSto. Amaro05/2010
São Paulo / São PauloCanindé06/2010
São Paulo / São PauloMooca09/2010
São Paulo / São PauloCOHAB II10/2010
São Paulo / São PauloPenha10/2010
São Paulo / São PauloItaquera06/2011
São Paulo / São PauloGamelinha09/2011
São Paulo / São PauloJardim Coimbra12/2011
São Paulo / São PauloCatumbi09/2012
São Paulo / São PauloPenha09/2012
São Paulo / São PauloJardim Nordeste11/2012
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Alunos do ensino fundamental
Professores do ensino fundamental
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Os recursos materiais necessários são:- Uniforme do acadêmico: camisetas e calças compridas personalizadas, capinha de cetim (ou similar);- Capinhas de TNT para o encosto das cadeiras;- Medalhas personalizadas;- Pastas personalizadas para acondicionar as pesquisas literárias dos acadêmicos;- Cadernos e canetas personalizados;- Livros para presentear os acadêmicos em ocasiões especiais;- Certificados de posse dos alunos acadêmicos (com o símbolo da AEL);- Livros de atas personalizados;- Banner em homenagem ao patrono de cada academia;- Bandeira da AEL;- Convites e envelopes personalizados;- Material para criar cenários e figurinos;- Ônibus para os passeios culturais;- Pagamento aos professores de teatro;- Pagamento a escritores e palestrantes convidados;- Serviços de fotografia (quadro emoldurado com a foto do grupo de acadêmicos, a partir da fundação, a cada aniversário);- Serviços de costura (confecção das capinhas dos acadêmicos, capinhas das cadeiras e toalhas das mesas de honra);- Serviços de floricultura (arranjos florais para enfeitar o palco e presentear homenageados nas festas oficiais).

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Dada a natureza peculiar da Academia Estudantil de Letras, alguns dos itens citados nos recursos materiais necessários não se enquadram legalmente nem como atribuições das escolas nem como custódia das Diretorias Regionais de Ensino. São necessários cerca de R$3.000,00.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Secretaria Municipal de Educação - Diretoria Regional de Educação PenhaAssessoria pedagógica oferecida pela Diretoria de Orientação Técnico-Pedagógica na promoção dos cursos de literatura e de organização e gestão do Projeto AEL para a equipe envolvida e a todos os professores coordenadores do Projeto em cada escola. Assessoria oferecida pela Diretoria de Programas Especiais na contratação de oficineiros de teatro, no programa do contraturno escolar, intermediada por ONG inscrita em edital público. Apoio integral em todos os aspectos legalmente regulamentados.
Impacto Ambiental

O jeito lúdico de ensinar literatura também fomenta atitudes de respeito pela vida e pela natureza. A preservação do planeta é um tema presente na literatura de todos os tempos. Os professores de literatura e de dramaturgia buscam narrativas que provoquem a reflexão sobre o tema.

Forma de Acompanhamento

O acompanhamento da Tecnologia Social dá-se diretamente nas escolas, com a equipe gestora e docentes que executam o trabalho com os alunos (coordenadores de estudos literários e aulas de teatro), demais docentes que acompanham o desenvolvimento da aprendizagem desses alunos na sala de aula, por mim, que acompanho sistematicamente o Projeto, coordenando os professores de todas as escolas que desenvolvem o Projeto, nos cursos de formação/ gestão oferecidos pela Diretoria Regional de Educação.

Forma de Transferência

O conhecimento é transferido basicamente nos cursos de formação, promovidos pela Diretoria Regional de Educação Penha, subdivididos em dois grupos: 1 - para as escolas que já implantaram o Projeto AEL em anos anteriores; 2- para as escolas novas, interessadas em implantar o Projeto AEL no biênio seguinte. Nos cursos de formação todas as ações são detalhadas: como repertoriar os alunos para que sejam capazes de escolher com certa convicção os seus amigos literários; como orientá-los para a execução dos seminários internos sobre os seus autores; como prepará-los para a posse cênica no dia da fundação da nova academia ou no dia da cerimônia anual de posse; como organizar a mostra anual de teatro, onde obras literárias são adaptadas e interpretadas no palco. Redes Sociais e blogs /outros

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Revista VejaBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

Às vezes eu fico sem palavras, diante de tanta emoção, ao recordar as histórias incríveis que já vivenciei com esse trabalho! Outras vezes, eu falo demais, pelo mesmo motivo: a emoção vai tomando conta de tudo e eu falo, desenfreadamente... Não sei se me comunico mais quando falo ou quando calo... O que sei é que a emoção é sempre igual! Não são apenas as Academias que vejo replicadas: vejo a mim mesma e os meus sonhos de educadora, reproduzidos em cada escola que adere ao Projeto! Esta é uma experiência extremamente gratificante! Para mim, faz muito tempo que já virou PAIXÃO! "Para falar ao vento bastam palavras; para falar ao coração são necessárias obras." Padre Antônio Vieira