Metodologia de Mapeamento Comunitário de Nascentes em Ambiente Peri-Urbano MCNPU

certificada 2019

Instituição
Instituto Oca do Sol
Endereço
Núcleo Rural Córrego Urubu, - SMLN Trecho 1 - Chácara 66 - Lago Norte - Lago Norte/DF
E-mail
infocadosol@gmail.com
Telefone
(61) 9985-65455
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Lorena Lucas sasaki(61) 61395-5991lorenals13@gmail.comTel 048 98824 7717
Solange Sato Simões(61) 99846-7479satosolange@gmail.com
Valeria Sucena Hammes(61) 98220-8696vshammes@uol.com.br
Resumo da Tecnologia

Guardiões das Nascentes é uma metodologia de mapeamento comunitário de nascentes, que orienta a organização dos moradores para utilizar a ferramenta de localização do smartphone via WhatsApp que identifica e gera dados georreferenciados e fotos das nascentes, administrado pelo Guardião local, que gera no Google Earth Pro, o mapa de nascentes da região, importante instrumento de educação ambiental e de gestão e governança das águas pela comunidade mobilizada. A utilização de aplicativos gratuitos viabiliza economicamente a replicação da metodologia em qualquer comunidade que tenha acesso à internet.*{ods6},{ods13}*

Tema Principal

Recursos Hídricos

Tema Secundário

Meio ambiente

Problema Solucionado

O reconhecimento de nascentes não é um aprendizado social. A gestão comunitária das águas requer esse conhecimento como informação fundamental para o cuidado dos recursos hídricos pela comunidade. Além disso, a deficiência hídrica é um dos maiores desafios da humanidade. Os órgãos públicos e os organismos internacionais, na maioria das vezes, lidam apenas com as grandes fontes e nascentes. No entanto, o potencial de abastecimento por pequenas nascentes, situadas em sua maioria em propriedades privadas da comunidade, pode ser de grande importância em regiões subtropicais, principalmente em áreas de recarga de aquíferos. A capital brasileira passa anualmente por período de estiagem bastante aguda, tendo chegado a situações emergenciais de racionamento de água. Enquanto isso, o mapa hídrico do Distrito Federal aponta número reduzido de nascentes e inferior às existentes, como foi demonstrado pelo levantamento realizado pela comunidade na região da Serrinha do Paranoá, DF(folder anexo). Mapeamento de nascentes em todas as áreas do DF poderá contribuir para a elaboração de um plano regional de gestão sustentável dos recursos hídricos, contribuindo para minimizar as crises hídricas

Objetivo Geral

Instrumentalizar a sociedade para governança e gestão participativa das águas por meio da organização comunitária para mapear nascentes visando sua proteção e cuidado para o bem-estar social no presente e no futuro

Objetivo Específico

Formação de multiplicadores da comunidade sobre a gestão das águas e mapeamento de nascentes. Identificar, mapear e disponibilizar mapa de nascentes que não constam nos mapas hídricos oficiais. Utilizar o mapa gerado em programas de educação ambiental no ensino formal e informal das escolas na região onde o levantamento foi realizado, principalmente em regiões que sofrem de escassez prolongada. Disponibilizar uma metodologia simples de livre acesso a sociedade. Estimular a colaboração efetiva da sociedade em prol da melhoria da qualidade de vida.

Descrição

A metodologia de mapeamento comunitário das nascentes foi construída utilizando Macroeducação para formar lideranças e multiplicadores comunitários para atuar na governança e na gestão das águas, envolvendo setor público e comunidade. Como resultado da formação de multiplicadores comunitários foi co-criada a metodologia de mapeamento das nascentes, utilizando as novas tecnologias de sistema geográficos para reunir os dados e os conhecimentos das nascentes da Serrinha do Paranoá, DF. O processo se iniciou com a formação de um Grupo Gestor idealizador, que mobilizou e fortaleceu vínculos com diversos setores da sociedade para planejar e implementar seu sonhos comuns. O processo de organização comunitária passa por estabelecer relações de governança e gestão e para alcançar os resultados dessa metodologia estabeleceu-se: 1. Governança e co-governança Criou um grupo gestor com interesse diversos; Identificou as lideranças locais exitentes e potenciais, em especial as pessoas de boa vontade; Identificou potenciais parceiros, instituições governamentais, projetos, escolas e empresas locais 2. Gestão Promoveu reuniões para idealizar e identificar um sonho comum, convergiu interesses, cujos esforços conjuntos puderam se tornar realidade; Estabeleceu diálogo com as instituições públicas, empresas e rede de ensino local; Planejou juntos o mapeamento de nascentes; Executou e planejou a gestão das águas pela comunidade local. O mapeamento comunitário é caracterizado como um trabalho em rede onde cada morador-colaborador que identificou nascentes em sua região utilizando a geolocalização por satélite, fotografou e enviou pelo aplicativo whatsapp dados das nascentes encontradas para um ponto focal (Guardião das Nascentes) com capacidade técnica para guardar essas informações, criando o mapa pelo aplicativo Google Earth Pro, conforme a metodologia descrita na Cartilha “Guardião das Nascentes” disponível gratuitamente em www.institutoocadosol.org. Sugere-se que o ponto focal considerado como o “Guardião das Nascentes” seja uma pessoa da comunidade ou alguma instituição apoiadora do projeto, com domínio de informática, que possa utilizar o programa Google Earth Pro, programa gratuito baixado pela internet. Os participes da construção da metodologia: Coube a cada associação apoiar o levantamento comunitário das nascentes de seu território e encaminhar os dados coletados ao “Guardião das Nascentes”, a Administração do Lago Norte, que disponibilizou um engenheiro florestal, com conhecimento de geoprocessamento para realizar a identificação (plotagem) das nascentes num mapa. Como a experiência de mapeamento estava sendo iniciada e testada, procedeu-se a uma confirmação no local indicado pelos moradores colaboradores, com GPS (global positioning system) profissional pelos técnicos da Administração Regional do Lago Norte. Esta checagem dos dados de localização informados pelos moradores da Serrinha pela internet no Whatsapp e a confirmação com GPS profissional pela administração regional deu grande legitimidade ao Mapa consolidado com as 87 nascentes. Em menos de um ano estava disponibilizado o Mapa das Nascentes, para amplo uso e continuidade do levantamento pela comunidade, as escolas e gestores públicos. O Mapa em mãos da sociedade civil organizada e da comunidade se tornou um instrumento de defesa das nascentes, porque não mais se tratava de uma nascente adotada e protegida individualmente por um proprietário, mas sim, de um espaço-território que exigia uma ação pública planejada no sentido de proteger o bem comum, o bem de todos.

Resultado Alcançado

1) Formação de multiplicadores, capacitação das equipes de voluntariado em todas as etapas (em torno de 100 participantes); 2) Cartilha Guardiões das Nascentes - Sistematização do processo de mapeamento construído com a comunidade, de livre acesso no site www.infocadosol.org.br; (tiragem impressa 250 cartilhas, web não contabilizado, disponível e amplamente utilizado nos cursos de difusão da metodologia) 3) Geração de mapa com mais de 80 nascentes plotadas na Serrinha do, onde anteriormente constavam oficialmente apenas 10 nascentes (5000 folders); 4) Fortalecimento da Identidade da Serrinha como produtora de água (Projetos e pesquisas na FAU/UNB no tema Água e Ambiente Construído, reconhecimento no ZEE/DF, área tema no FAMA e no Fórum Mundial da Água, estudo de caso apresentado pelo MPDF na Audiência Pública na Crise Hídrica); 5) Vídeos, publicações, folders, entrevistas, mídias sociais e grande mídia; 6) O mapa foi utilizado em todas as audiências públicas e seminários relativos a questões ambientais e a crise hídrica no GDF em 2016, 2017 e 2018, demonstrando a importância das pequenas nascentes para geração de água ao abastecimento humano; 7) Os resultados de governança e gestão abaixo relacionados utilizaram o mapeamento das nascentes para inspirar, direcionar e fortalecer a capacidade da sociedade de atuar continuamente no uso e proteção racional dos recursos hídricos; 8) Governança (pressupõe a organização da comunidade para articular recursos): a. Formação de grupo gestor envolvendo instituições públicas, sociedade civil e moradores. b. Proposta e aprovação de emenda parlamentar para recuperação das nascentes identificadas na região. c. Elaboração e execução de projeto de trilhas ecológicas, nominado Ecotrilhas da Serrinha do Paranoá (aprovado junto ao programa de voluntariado da FBB), visando sensibilizar a população sobre área da maior concentração de nascentes na região. 9) Gestão ( planejamento continuo para proteger as nascentes): a. mutirões de plantio nas APPs (mais de 40 realizados); b. Interação com as escolas locais em especial as escolas públicas visando sensibilizar alunos e pais, utilizando o mapa local das nascentes; c. Replicação da metodologia em reuniões ou por meio de seminários em outras localidades de Brasília(20 encontros); d. Registro da metodologia em direitos comuns de livre acesso.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Lago Norte / Distrito FederalSerrinha do Paranoá01/2016
Brasília / Distrito FederalNós na Teia - Jardim Botânico11/2018
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Alunos do ensino básico
Alunos do ensino fundamental
Alunos do ensino médio
Alunos do ensino superior
Diretor de escola
Gestores Públicos
Lideranças Comunitárias
Organização não Governamental
População em geral
Produtores rurais - Pequenos
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Os recursos necessários são: Para os participantes da comunidade que identificará as nascentes: celular/smartphone; acesso à internet; aplicativo whatsapp; Para o ponto focal, Guardião das Nascentes: computador; capacidade para processar google earth pro; acesso à internet; programa google earth pro; programa excel ou similar. Opcional: tiragem impressa da cartilha, Guardiões das Nascentes e de folders - quantidade a ser estimada conforme público alvo (para escolas, seminários, fóruns, encontros comunitários, congresso nacional, câmaras legislativas, comitês de bacias) Obs.: O desenvolvimento da metodologia participativa, Guardiões das Nascentes, na Serrinha do Paranoá e sua implantação ocorreu através de parcerias interinstitucionais e de voluntários e a impressão dos materiais de divulgação contou apoio de instituições parceiras.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Treinamento comunitário (R$ 5.200,00) Trabalho de campo para validação dos dados gerados pela comunidade – (R$ 2.000,00) Serviço de geoprocessamento (Guardião das Nascentes) – (R$ 4.000,00) Serviço de arte e produção gráfica dos mapas (R$ 5.000,00) Divulgação (R$ 4.000,00) Total: R$ 20.200,00 Obs.: não entra no custo os smartphones dos participantes comunitários e aplicativos livres

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Administração do Lago NorteForneceu profissionais para plotar as nascentes no mapa e fazer o reconhecimento e validação dos pontos georeferenciados pela comunidade
Associações dos núcleos ruraisMultiplicadores da metodologia e realizaram o levantamento das nascentes através do whatsapp
Escolas da região do Lago NorteOs estudantes participaram no mapeamento das nascentes
Conselho de desenvolvimento rural sustentável do Lago NorteAdotou o mapa das nascentes e divulgou aos órgãos públicos do DF
Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Metodologia Mapeamento de NascentesBaixar
Folder de divulgação da Tecnologia Socialdownload
Folder Mapeamento das NascentesBaixar
Anverso Folder guardiões das nascentesdownload
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

A possibilidade de cada morador, cada cidadão realizar e ter a informação por meio de mapa das fontes de água de sua região, as crianças conhecerem e saberem onde estão as fontes de águas e nascentes em torno e próximas a sua escola e sua casa, é um grande instrumento de educação ambiental e de cuidado com as águas um Bem Comum Bem de todos e essencial a vida. A tecnologia “Guardiões das Nascentes” foi apresentada e adotada no Comitê de Bacias do Paranaíba DF, na câmara temática de educação ambiental, consideramos esta uma possibilidade de ampla difusão e implementação prática desta metodologia. Outra possibilidade é potencializar o programa nacional de revitalização de bacias hidrográficas pela capacidade de mobilização e replicabilidade desta metodologia a baixo custo.