Audioteca Sal e Luz

certificada 2013

Instituição
Instituição evangélica de Assistência Social e Cultural - TEAR
Endereço
Rua Primeiro de Março, 125 - 7o andar - Centro - Rio de Janeiro/RJ
E-mail
audioteca@audioteca.org.br
Telefone
(21) 2233-8007
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Henrique Mafra Caldeira de Andrada(21) 2233-8007audioteca@audioteca.org.br
Servio Tulio Garcia Cardoso(21) 2233-8007audioteca@audioteca.org.br
Resumo da Tecnologia

A Audioteca Sal e Luz é um projeto que grava e empresta livros falados (CDs) a pessoas cegas ou com deficiência visual, de forma gratuita, em todo o território nacional. A instituição conta em seu acervo com mais de 2500 títulos gravados. Todas as gravações são feitas por voluntários.*{ods4},{ods10}*

Tema Principal

Educação

Problema Solucionado

O projeto Audioteca Sal & Luz foi constituído a partir de pesquisas iniciadas em 1986 junto aos portadores de deficiências visuais do Rio de Janeiro, a fim de avaliar serviços educacionais e de lazer disponíveis para esse grupo. Em outubro do ano seguinte, um grupo de pessoas obstinadas deu início ao projeto, buscando suprir portadores de deficiência visual (PDV) com literatura especialmente adequada à sua deficiência e essencial para o seu desenvolvimento pessoal e profissional. Desde então, este material vem sendo distribuído gratuitamente a pessoas cadastradas na Audioteca e em todo o território nacional. Ao longo desses 27 anos de existência, pudemos comprovar a perenidade do Projeto Audioteca Sal e Luz. Graças aos livros falados do acervo da Audioteca, hoje temos mestres, professores, universitários, fisioterapeutas, operadores de câmara escura, massoterapeutas, profissionais que adquiriram uma vida própria e produtiva, o que, seguramente, contribui para o fortalecimento das estruturas familiares e a conquista de uma existência feliz.

Objetivo Geral

Proporcionar recursos e meios de inclusão às pessoas cegas ou deficientes visuais para a obtenção de uma vida com mais qualidade por meio da educação, profissionalização, capacitação e entretenimento.

Objetivo Específico

Durante toda a nossa história, traçamos algumas metas anuais, de forma que o objetivo da instituição seja sempre alcançado. Nosso planejamento tem como base a busca por parceiros que financiem o projeto, pois não possuímos nenhum parceiro fixo que sustente o projeto. Além dessa preocupação, procuramos produzir 100 novos títulos em formato digital, a fim de atender aos inúmeros pedidos dos próprios deficientes visuais. Todas as nossas gravações são realizadas por voluntários e, todos os anos, formamos duas turmas. Nosso curso de formação transforma voluntários em ledores. São formados, por turma, 15 alunos, totalizando 30 novos ledores por ano. A instituição conta, em seu acervo, com mais de 2500 títulos, sendo que sua maioria ainda encontra-se no formato de fitas K7. Outro objetivo é digitalizar cerca de 50 títulos por ano. Esse trabalho é conhecido por ‘migração’ e compreende a transformação das fitas K7’s para o formato de CD e MP3.

Solução Adotada

A Audioteca Sal & Luz é uma instituição do Rio de Janeiro, sem fins lucrativos, que grava e empresta livros falados a deficientes visuais de todo o Brasil, de forma totalmente gratuita. Nosso intuito é promover a leitura, a cultura e educação entre os deficientes visuais. Para tanto, contamos com uma equipe de cerca de 20 voluntários/ledores que fazem a gravação dos audiolivros. Entendemos que há uma mobilização da sociedade em geral quando oferecemos o curso de capacitação de ledores. O voluntariado vem contribuir com essa participação das pessoas da comunidade no projeto, para que assim o envolvimento seja vasto. O proponente nunca perdeu de vista o valor do voluntariado e sempre lançou mão dessa possibilidade. O objetivo central da instituição é a inclusão dos deficientes visuais na sociedade em geral. Inserindo os deficientes no universo literário seremos capazes de formarmos melhores cidadãos, proporcionando-lhes meios de concorrer, em condições de igualdade, no mercado de trabalho, entre outras possibilidades. A Audioteca tem como meta aumentar o nível de conhecimentos dos jovens e adultos deficientes visuais nas seguintes áreas: reabilitação (física e psicológica), comunicação (língua escrita e falada), direitos individuais e coletivos, literatura e conhecimentos gerais (informática, matemática, relações do trabalho, história). A partir da mudança desses paradigmas as famílias que convivem com eles serão beneficiadas, pois poderão contar com um indivíduo ativo e autônomo. Por outro lado, as empresas contarão com funcionários aptos e especializados. As universidades terão mais alunos a frequentar seus cursos. As escolas terão uma instituição aliada, para encher os bancos escolares. Enfim, a sociedade, como um todo, lucrará com esse projeto, pois os deficientes se tornarão mais capazes e menos dependentes desse Estado Maior. No intuito de atingirmos esse objetivo, gravamos nosso material a partir dos pedidos dos deficientes visuais, e quando não há pedido, optamos por escolher os principais lançamentos literários ou alguma indicação dos participantes do projeto. Possuímos em nosso acervo mais de 2500 obras, todas gravadas em formato acessível, disponíveis para serem solicitadas pelos deficientes visuais de todo o Brasil, de forma gratuita. Para que o deficiente possa receber os audiolivros em casa, basta que o mesmo se associe à Audioteca. A associação é realizada pelo cadastro do interessado no nosso sistema e pelo envio de um documento comprovando sua deficiência. A partir do cadastro, o associado pode solicitar o titulo do acervo que se interessar. A lista com os nomes encontra-se em nosso site www.audioteca.org.br. O pedido pode ser realizado por email ou pelo telefone. Realizado o pedido, enviamos, pelos Correios, o material via Cecograma. O Cecograma é serviço postal destinado aos deficientes visuais que utilizam o Braille para sua comunicação escrita. Segue abaixo informações retiradas do site oficial dos correios: "É considerado Cecograma o objeto de correspondência impresso em relevo pelo sistema cecográfico (BRAILLE). São considerados, também, como Cecograma, placas gravadas em relevo (clichês) e os registros sonoros expedidos por instituições de cegos, oficialmente reconhecidas, ou endereçadas a ela." A Audioteca Sal e Luz já é cadastrada há anos nesse serviço e o utiliza para entregar os pedidos realizados pelos cegos em suas residências. Isso garante um envio gratuito para todo o Brasil. Após um mês, o associado vai até os Correios de sua preferência e envia de volta o material pelo mesmo sistema do Cecograma. O projeto tem como meta integrar o indivíduo com deficiência visual à sociedade, criando elos e vínculos, possibilitando que todos, sem exceção, possam usufruir de uma sociedade justa e igual, sem discriminação de nenhuma forma.

Resultado Alcançado

A Audioteca Sal e Luz apoia-se nos princípios que norteiam a educação das pessoas que apresentam necessidades educacionais especiais: a preservação de suas dignidades, a busca de uma identidade e a possibilidade do exercício pleno da cidadania. Como resultados qualitativos, podemos destacar as seguintes: desenvolvimento de técnicas especializadas na produção e distribuição de livros digitais falados, especialmente adequados às pessoas com deficiência visual; criação de um banco de dados de controle de produção, acervo, clientela e empréstimos; estabelecimento de uma equipe de trabalho competente e estável; o reconhecimento nacional por competência e organização; o estabelecimento de boas relações de trabalho com diversas instituições; a participação em diversos eventos de apoio aos direitos da pessoa com deficiência, dentre outros. Já como resultados quantitativos, podemos citar alguns exemplos, dos quais acompanhamos a evolução através da utilização de nosso acervo: Alessandro Câmara de Souza, associado que passou no vestibular de Ciências Sociais em 1993 e concluiu seu mestrado em Ciências Políticas em 2007; Margareth de Oliveira Olegário, associada que em 1998 passou no vestibular para Pedagogia na UERJ, concluiu o curso e, em 2007, passou em um concurso para Orientadora Pedagógica em Mesquita; Saul Alberto de Figueiredo, associado que concluiu o curso de Massoterapia, em 2005 e, por último, Ivete Rita que permanece cursando Pedagogia pela Universidade Estadual do RJ- UERJ.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Rio de Janeiro / Rio de JaneiroCentro06/1986
Cabo Frio / Rio de Janeiro06/2010
Campos dos Goytacazes / Rio de Janeiro06/2010
Nova Friburgo / Rio de Janeiro06/2010
Nova Iguaçu / Rio de Janeiro06/2010
Volta Redonda / Rio de Janeiro06/2010
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Portadores de deficiência
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Coordenador da tecnologia1
Professor do curso de formação de ledores1
Editores de gravação3
Coordenador de divulgação do serviço1
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Os recursos necessários para a implantação do projeto consistem na contratação de um professor/capacitador para o treinamento dos voluntários/ledores; na contratação de um coordenador da tecnologia; na compra do material de gravação, tais como: CD’s virgens, adesivos de CD’s, cartuchos para impressão do titulo e logo nos CD’s, capa para CD’s; compra de aparelhos de som (CD player); contratação de pessoal para edição do material; material de escritório; compra de livros para as gravações; compra de caixas para armazenar o material para envio do Cecograma; contratação de serviço de divulgação para difundir a atuação da instituição e buscar mais usuários da tecnologia; compra de computadores para a realização da edição; compra de material de gravação, tais como: microfones, head-fones, programa de edição (Sound forge); entre outros.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

O valor estimado para a implementação de uma Tecnologia Social gira em torno de R$ 200.000,00. Esse valor contempla os custos do projeto pela sua implantação, além de custos operacionais pelo período de um ano.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Instituto Oi FuturoA parceria consiste em custear o projeto pelo período de 15 meses.
Impacto Ambiental

O projeto não será realizado ao ar livre, portanto não terá implicações ambientais.

Forma de Acompanhamento

A resposta dos resultados obtidos é realizada por meio do acompanhamento dos usuários que solicitam o material para empréstimo. Por exemplo: se um usuário solicita algum material para um determinado concurso, monitoramos seu resultado. Ou ainda, quando gravamos um material de prova, pedimos que o aluno nos informe como foi o seu desempenho. Agindo dessa forma, a instituição atinge dois objetivos: o acompanhamento dos resultados do projeto e o estreitamento dos laços sociais.

Forma de Transferência

A Audioteca funciona há mais de 25 anos e nessa longa estrada pudemos estabelecer diversas parcerias. Dentre as diversas experiências, a que podemos citar que mais se diferenciou das outras, no que diz respeito à disseminação do conhecimento, foi quando implantamos 5 núcleos de atendimentos em diferentes cidades do Estado do Rio de Janeiro. Ao implantarmos os núcleos de atendimento, conseguimos aproximar a tecnologia social do usuário final, o deficiente beneficiado pelo projeto. Ao criarmos espaços de serviço de apoio pedagógico aos deficientes visuais e com o auxílio do material adequado, possibilitamos a audição de milhares de textos gravados que serviram como base de estudo e ingresso aos saberes acumulados pela humanidade.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Isenção de Direito AutoralBaixar
EstatutoBaixar
CNPJBaixar
AtaBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

A Audioteca Sal & Luz é um projeto oriundo da Instituição Evangélica de Assistência Social e Cultural – TEAR, porém não guarda nenhuma relação de cunho religioso, mesmo porque nossas gravações contemplam obras de todas as religiões. A Audioteca, ao longo dos anos, constituiu referência nacional neste trabalho, sendo selecionada em 1998 para concorrer, em nível nacional, ao “Prêmio Paulo Freire – valorizando o saber e o fazer” como o melhor projeto de tecnologia educacional alternativa do Estado do Rio de Janeiro. A instituição também produziu e participou dos seguintes eventos em parceria com: Instituto OI Futuro (2012 - 2013); Prêmio Portugal Telecom (2013); Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos do Estado do RJ (2010); Instituto Vivo (2008); entre outros.