Energia Solar e Cultivo Protegido para Produção de Frutas e Hortaliças

certificada 2011

Instituição
Instituto Agropolos do Ceará
Endereço
Rua Barão de Aratanha, 1450 - José Bonifácio - Fortaleza/CE
E-mail
anibal@institutoagropolos.org.br
Telefone
(85) 3101-1670
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Eulálio Elivan da Silva Barreto(85) 3101-1670eulalio@institutoagropolos.org.br
José Wanderley Augusto Guimarães(85) 3101-8150jwguimaraes@gmail.com
Kleber Vasconcelos Sabino(85) 3101-1670instituto.agropolos@institutoagropolos.org.br
Resumo da Tecnologia

Utilização de uma energia alternativa, renovável e gratuita na irrigação, e cultivo em ambiente protegido, objetivando uma exploração racional e sustentável dos recursos naturais para produzir frutas e hortaliças nos padrões da segurança alimentar.*{ods2},{ods3},{ods7}*

Tema Principal

Energia

Tema Secundário

Alimentação

Problema Solucionado

Problemas que existiam: energia elétrica monofásica e cara; área pequena e ociosa; produtores sem conhecimento em boas práticas agrícolas e irrigação; baixa produção e renda; poucas espécies cultivadas; alimentação inadequada; êxodo rural Problemas solucionados: Redução no consumo e, conseqüentemente nos gastos com energia elétrica (monofásica e cara); forma racional de aproveitamento da pequena área agricultável e ociosa existente; capacitação dos produtores através do conhecimento em técnicas de produção irrigada; incremento na produção e na renda familiar; cultivo diversificado de espécies, contribuindo para uma alimentação mais farta e saudável, bem como, um maior equilíbrio ambiental; e fixação do homem no campo.

Objetivo Geral

Incentivar o uso da energia solar e cultivo de hortaliças em ambiente protegido, praticando uma agricultura sustentável em pequenas comunidades rurais de base familiar. Fundamentado nos principais aspectos que norteiam esse tipo de exploração agrícola, os aspectos ambientais, sociais e econômicos.

Objetivo Específico

Uso de fonte de energia alternativa, limpa e renovável; exploração racional dos recursos hídricos com maior eficiência de irrigação; cultivo diversificado tornando o ambiente mais equilibrado; aproveitamento de materiais existentes na propriedade para adubação, utilizando composto orgânico; controle de pragas e doenças com uso de inseticidas e repelentes naturais, promovendo um equilíbrio ambiental e produzindo alimentos limpos e saudáveis; exploração o ano inteiro, gerando trabalho no campo, direta e indiretamente; combate ao êxodo rural; melhoria na alimentação, qualidade de vida e saúde das famílias envolvidas; melhoria na renda das famílias; proteção de cultivo, evitando ataque de determinadas pragas, como também a ação de ventos fortes e impacto direto de gotas de chuvas sobre as plantas.

Solução Adotada

Foi instalado um módulo solar composto de 9 painéis de 45 Watts (W) de potência, tensão 75 Volts (V) e corrente de 0,60 Amperes (A). Foram formadas 3 Séries com 3 painéis cada, fixados em um suporte de madeira a 2 m de altura, com ângulo de inclinação de 15º Norte. A luz solar incidindo sobre o módulo converte diretamente a energia solar em eletricidade, através do efeito fotovoltaico. Nesse caso, isso gera: 405 W, 225 V e 1,8 A, o suficiente para acionamento de uma bomba submersa modelo Grundfos SQFlex 2.5-2 conectada ao módulo através de cabo PP 2 x 4mm e colocada num poço amazonas (cacimbão) existente na propriedade, fornecendo uma vazão em torno de 2.800 l/h (2.800 x 7 h de sol = 19.600 l/dia) a uma altura de 15 m. Uma caixa d’agua de 3.000 litros elevada a 6m de altura recebe a água bombeada e por gravidade é feita a irrigação com mangueiras Santeno e gotejamento. Área Total: 0,6 ha. Foram plantadas as seguintes hortaliças: alface, beterraba, cebolinha, cenoura, coentro e pimentão, quiabo e tomate. Além de goiaba, mamão e maracujá como fruteiras. O envolvimento das famílias iniciou-se logo no primeiro contato, onde o projeto é apresentado e todas as dúvidas foram sanadas. Com o interesse das famílias em participar do projeto, gerou-se um compromisso de responsabilidade de ambas as partes, coordenação e beneficiários, para execução de cada etapa. Foi necessário mão de obra para execução das tarefas, que entrou como contra partida das famílias, são os serviços de instalações e construções, tudo sob orientação técnica. Posteriormente foi realizada uma capacitação, tanto na prática quanto na teoria, de acordo com a evolução dos trabalhos. Na parte produtiva, também receberam orientação técnica para uma exploração baseada nos princípios das boas práticas agrícolas. As parcerias foram do Instituto Agropolos do Ceará - IAC / Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Estado do Ceará - SDA /EMATERCE. A elaboração do Projeto foi realizada por Eng. Agrônomos do Agropolos e da SDA, bem como a capacitação e orientações de instalação. O acompanhamento pós-implantação está sendo feito por um Técnico da EMATERCE.

Resultado Alcançado

Foi implantado numa área de 0,6ha sete espécies de hortaliças (alface, beterraba, cebolinha, cenoura, coentro, pimentão e tomate) e 2 tipos de frutíferas (goiaba e mamão) sendo 66 plantas de goiaba, 231 plantas de mamão, 1000 plantas de pimentão e 1000 plantas de tomate e vários canteiros com as demais hortaliças. O trabalho na área é continuado garantindo assim uma produção durante todo o ano, com rotação de culturas e aproveitamento total da área. Possibilitando também um melhor rendimento nas entressafras e com as técnicas de produção utilizadas os produtos são de excelente qualidade, o que facilita a sua comercialização. É possível afirmar que cada projeto gera mais de 1 salário mínimo por pessoa envolvida.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Assaré / CearáSítio Baixio Grande03/2009
Lavras da Mangabeira / CearáSítio Oitis04/2009
Itatira / CearáAssentamento Poço das Pedras I11/2009
Granja / CearáComunidade Vaquejador / Iapara12/2009
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Agricultores Familiares
Quantidade: 17
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
01 Eng. Agrônomo ou Técnico em Agropecuária com conhecimento na tecnologia, para orientação, capacitação e acompanhamento técnico; 01 Eletricista, só no momento da ligação de fios entre placas e bomba; 03 pessoas da comunidade: mão de obra da família beneficiada.5
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Bomba Solar Mod Grudfos SQFlex2.5-2; Mód. Solar 9 Painéis 45W75V0,6A, Cabo PP2x4mm 20m, Suporte madeira 2m; Sucção 2 Luvas FG 1.1/4” ST/1 Cotovelo FG 1.1/2” ST/ 1 Bucha Red FG 1.1/2”x1.1/4” ST/ 6m Tubo Rosc 1.1/4”/ 1 Adap SD CT BOL/ROSC 50mm x 1.1/2”; Elevação Estrut ferro alt 6m/Caixa fibra 10.000L/2 Adap Flange SD; Irrigação (Tubos e conexões) De 1’’: 20 Uniões int, 16 Nípeis paralelos rosc, 40 Abraç rosca s/ fim, 13 pç Santeno I, 8 Reg esfera VS Rosc, 20 Adap int, 8 Tê int, 100m Mang PEBD– De ¾”: 15 Reg esfera VS Rosc, 30 Nipeis paralelo rosc, 20 Aranhas 6 saídas– De 2”: 1 União FG 2” ST, 1 Filtro disco 2”, 1 Luva FG 2”- De 50mm: 10 Tê SD LF, 5 Reg esfera VS SD, 6 Curvas 90º sd LF, 10 Caps sd LF, 35 Tb PVC SD PN40– De 8mm: 3 Tê FT 8 porca, 4 Uniões FT, 4 Joelhos FT 8mm x1.8 c/ porca– 2000m de Mang gotej 10mm x30cm– 120 Uniões int 16mm c/ rosca– 100 Abraç rosca s/ fim ½”– 1 Bucha de red c/ rosca ¾”x½”– 4 Adesivos 75g– 26 Tê sd LF 50mm x1”–16 Tê sd LF 50mm x¾”–4 Adap BSXRM LF 50x2”– 1 Bucha de red FG ½”x¼”–6 Fitas veda rosca 18mm x25m; Estufa 6,4 x28m cobertura de filme transp 150mc Telado 12,8x28m cobertura de tela tipo citrus 3mm, ambos com tela lateral anti-granizo branca 9%

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Bomba Solar - 7.150,00 Módulo Solar - 12.650,00 Cabo PP 2 x 4 mm - 100,00 Sucção (Conexões) - 50,00 Estrutura de ferro – 3.000,00 Caixa d’agua - 2.800,00 Adaptadores(Flanges) - 40,00 Tubos e Conexões - 3.692,90 Sementes e Mudas - 700,00 Estrutura Mista - 11.500,00 Composto + Mineral - 2.500,00 TOTAL = 44.282,90

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Instituto Agropolos do CearáElaboração do Projeto, capacitação, orientações de instalação e disponibilização de parte dos recursos.
Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA)Elaboração do Projeto, capacitação, orientações de instalação e disponibilização de parte dos recursos.
EMATERCEAssistência técnica pós-implantação
Forma de Acompanhamento

O Agropolos e a Ematerce, no caso de Granja, a Secretaria de Agric. do Município, vêm acompanhando a parte produtiva. Os resultados estão sendo satisfatórios. Meios de comunicação como jornais, televisão e internet já divulgaram e exaltaram a iniciativa. Bem como, grupos de produtores e de estudantes sempre visitam os locais. Os depoimentos das famílias envolvidas são sempre positivos quando falam sobre a melhoria da renda e qualidade de vida, após a chegada do projeto.

Forma de Transferência

A tecnologia pode ser reaplicada mediante a orientação de profissionais. O Agropolos dispôe de tecnicos capacitados para capacitar pessoas ou grupo de pessoas que se interessem pelo projeto. Também são várias as empresas que comercializam e fornecem suporte técnico, todas com site para contato: www.blue-sol.com, www.solarbrasil.com.br, www.brasilhobby.com.br, www.solarenergy.com.br, www.fc-solar.com entre outras. A Zanatta Florestal poderá auxiliar nos projetos de cultivo protegido. O site para contato é www.zanatta.com.br A energia solar precisa de incentivos para ser amplamente divulgada, só assim gerará uma demanda e as empresas poderão se instalar a nível regional e fornecerem os itens com preços mais baixos. Políticas públicas devem ser trabalhadas para fomentar o uso dessa tecnologia

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Fotos e IlustraçãoBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

A produção familiar somente é viável e rentável desde que se adotem tecnologias de forma racional e organizada que visem amortizar os custos de operacionalização e manutenção. O ambiente protegido é importante para o cultivo de alimentos, garantindo produtos livres de pragas e doenças. No caso das hortaliças, obtém-se maior produtividade, com alta qualidade, nas épocas desfavoráveis. Nesse período, a produção dos cultivos tradicionais é reduzida e torna-se mais oneroso o seu custo, devido mais aplicações de agrotóxicos. Assim, os produtores têm garantia de lucros mais elevados, pois vendem sua produção na época da entressafra. Atualmente, os custos de implantação ficariam mais baixos, devido empresas se instalarem no estado fornecendo equipamento similares.