Experiência dos Agricultores Familiares de Araponga/MG

finalista 2005

Instituição
Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Araponga
Endereço
Rua Benvindo dos Anjos Macedo, 79 - Centro - Araponga/MG
E-mail
strdearaponga@ig.com.br
Telefone
(31) 3894-1190
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Paulo do Amaral Lopes(31) 3894-1190strdearaponga@ig.com.br
Romualdo José de Macedo(31) 3894-1200romualdo@ctazm.org.br
Resumo da Tecnologia

O objetivo da tecnologia é propiciar o acesso à terra, a trabalhadores e trabalhadoras rurais privados desse direito.*{ods8},{ods11}*

Tema Principal

Habitação

Tema Secundário

Renda

Problema Solucionado

O não acesso à terra, a falta de terra para os trabalhadores e trabalhadoras rurais. A estrutura agrária do município de Araponga, localizado na Zona da Mata mineira, caracteriza-se por uma elevada fragmentação da propriedade rural. Segundo dados do IBGE (1996) para o município de Araponga, as pequenas propriedades com até 50 hectares representavam 85% do total de estabelecimentos (544 unidades), mas detinham apenas 37% da área. As médias e grandes propriedades (15% dos estabelecimentos) ocupavam 63% da área. O acesso à propriedade da terra é bastante desigual. Os trabalhadores e trabalhadoras rurais não têm acesso à terra a não ser por meio da meação e do arrendamento, e os pequenos proprietários e proprietárias não têm terra suficiente para a reprodução da unidade familiar. As oportunidades são limitadas devido à escassez de terra.

Objetivo Geral

O objetivo da tecnologia é propiciar o acesso à terra, a trabalhadores e trabalhadoras rurais sem terra.

Objetivo Específico

Especificamente pretende-se: Despertar nos trabalhadores a ideia de que é possível comprar terra; Construir e reforçar laços de solidariedade e confiança; Sustentar redes familiares ou de vizinhança; Contribuir para a participação da mulher na luta pela terra; Propiciar uma melhor convivência entre o homem e a natureza, através da recuperação e conservação do solo, cuidados com a água e com os animais.

Solução Adotada

Auto-organização entre um grupo de trabalhadores e trabalhadoras rurais e pequenos/as proprietários/as para a compra conjunta de terra através de um arranjo coletivo de microfinanças. Neste arranjo, os/as pequenos/as proprietários/as e trabalhadores/as adquirem coletivamente uma área de terra, que pode variar de 3 a 15 hectares, e a dividem entre o(s) novo(s) proprietário(s) ou proprietárias a partir de critérios definidos pelo grupo. Os que têm melhores condições fazem um empréstimo solidário ao companheiro para a compra da terra. A dívida é sempre paga com os produtos que o contraente da dívida colher, como arrobas de café, sacas de milho, sacas de feijão e também em cabeças de gado com o valor do dia do pagamento, sem cobrança de juros. A experiência vem acontecendo desde 1989.

Resultado Alcançado

Qualitativos: autoestima, organização, fortalecimentos dos laços de confiança e reciprocidade; bem-estar coletivo, participação, consciência ecológica. Quantitativos: 230 famílias assentadas, 702,4 hectares adquiridos, compra de um trator para uso coletivo, um engenho coletivo, produção diversificada; criação de uma Escola Família Agrícola de Ensino Médio Integrado ao profissionalizante, com cerca de 46 estudantes, que este ano forma a primeira turma com 12 jovens. Esta Escola visa atender os adolescentes e jovens da zona rural, incentivando-os a permanecer e trabalhar no campo de forma digna e na busca da sustentabilidade.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Araponga / Minas Geraiscomunidades São Joaquim, Salazar01/2005
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Pessoa com conhecimento técnico para discutir sistema de produção1
Pessoas com vivência de campo como animadores e incentivadores do processo2
Grupo de famílias interessadas em participar do processo6
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Os recursos vêm dos próprios interessados e interessadas através de suas economias ou da colaboração de amigos e parentes, através de empréstimos. Na multiplicação do trabalho a comissão se reúne, faz visitas e conversa com os interessados, e em determinados espaços conta com a parceria do STR, cooperativa de credito da Agricultura Familiar, e CTA, fazendo o transporte da comissão para reuniões com os interessados ou até a área posta à venda. Não temos recursos destinados com a finalidade de executar as tarefas da Comissão. Além disso, são necessários os seguintes equipamentos: Computador - 1 Máquina Fotográfica - 1 Impressora - 1 Telefone - 1

Valor estimado para a implementação da tecnologia

.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Centro de Tecnologia Alternativa Zona da Mata (CTA/ZM)Colaboradora do projeto na área de discussão sobre distribuição, divisão, produção e comercialização dos produtos.
Cooperativa de Crédito da Agricultura FamiliarParticipa das discussões e aprovações possibilitando utilização de empréstimos para viabilizar a ação.
Impacto Ambiental

Com a implementação da tecnologia, ou seja, a divisão das terras em pequenas propriedades, houve uma maior preocupação com o ambiente como um todo, recuperação e preservação de nascentes, diversificação da produção agroecológica possibilitando a biodiversidade.

Forma de Acompanhamento

Temos um programa de monitoramento e acompanhamento dos beneficiários, com dados cadastrais por gênero e geração. Reuniões e encontros de tempo em tempo, visita de intercâmbio para troca de conhecimento com participação das famílias beneficiadas.

Forma de Transferência

Temos publicações de mestrado e doutorado de estudantes da UFV, reportagem em fita de vídeo, DVD Fundação B. Brasil. Jornal da diocese de Mariana, jornal César Medeiros.

Depoimento Livre

A experiência propiciou aumento do número de pequenos proprietários no Município de Araponga e serviu como referência para outros municípios aplicarem a tecnologia; com a participação de muitos jovens, perspectiva para continuidade futura.