Fortalecendo a Saúde e Segurança Alimentar das Crianças da Floresta Amazônica

certificada 2011

Instituição
Conselho Nacional das Populações Extrativistas
Endereço
Conjunto Shangrilá II, Rua C, Quadra G. N. 05 - Parque Dez - Manaus/AM
E-mail
Telefone
(92) 3236-7311
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Edel Moraes(91) 99299-7059edelmoraes@gmail.com
Resumo da Tecnologia

Promover cuidados de saúde, higiene e alimentação às crianças e mulheres da floresta na construção de maior qualidade de vida e dignidade, preservando e conservando os recursos naturais como uma prática saudável e necessária ao pleno exercício da cidadania.*{ods3}*

Tema Principal

Saúde

Problema Solucionado

A intenção do projeto é proporcionar para comunidades que vivem na floresta amazônica uma vida mais digna, utilizando e conservando os abundantes recursos naturais da região em seu proveito. As comunidades extrativistas muitas vezes encontram-se em áreas remotas da floresta, nas quais não existe acompanhamento de saúde nem estrutura sanitária básica, o que provoca condições de saúde muito ruins para a população dessas áreas. Além disso, havia a necessidade de desenvolvimento de atividades educativas com as famílias, no intuito de conscientizá-las sobre a necessidade de cuidados com a saúde e a higiene. O que se observava nestas comunidades era sua exclusão da área de atendimento dos serviços de saúde publica, sendo necessário criar um espaço nas comunidades para que os agentes de saúde tivessem a estrutura necessária para realizar atendimentos. Outro objetivo era fazer com que existisse um espaço seguro e organizado para que as crianças e adolescentes da comunidade pudessem se entreter, espaços que também contribuiriam para a realização das palestras para as famílias, sempre respeitando regras de funcionamento definidas pela própria comunidade.

Objetivo Geral

Melhorar a situação de saúde e nutrição de crianças e gestantes que vivem e fazem uso da floresta amazônica, visando maior acesso à segurança alimentar e serviços de saúde básica.

Objetivo Específico

- Capacitar 20 mulheres em cada reserva extrativista do projeto, tornando-as multiplicadoras de práticas de prevenção de doenças infantis, nutrição e higiene, garantindo um melhor atendimento de nutrição e saúde para as famílias das comunidades; - Capacitar no mínimo 400 mães e agentes de saúde, buscando melhorar sua compreensão sobre seus direitos em relação à segurança alimentar, serviços do SUS e os direitos á saúde das crianças; - Aumentar a diversidade de alimentação das comunidades, aproveitando os recursos já existentes.

Solução Adotada

Um grupo de mulheres que vivia em áreas remotas da Amazônia brasileira organizou o programa “A Bagagem das Mulheres da Floresta”, em um esforço conjunto para encontrar maneiras de melhorar suas condições de saúde e de seus filhos, além de ampliar seus conhecimentos acerca de seus direitos. Elas são parte de comunidades extrativistas que vivem e trabalham em harmonia com a floresta e seus recursos naturais, extraindo-os de maneira sustentável e comercializando-os coletivamente. A estrutura econômica nestas regiões é precária, com baixo índice de urbanização e falta de infraestrutura de saúde básica (centros de saúde públicos, acessibilidade aos serviços de saúde, saneamento básico e água potável). Em 2009, consolidou-se o projeto, baseado na capacitação de mulheres extrativistas e agentes comunitários em saúde primária e segurança alimentar para crianças e famílias. O projeto também contemplava a capacitação em direitos das crianças, particularmente o direito a serviços de saúde de qualidade em locais remotos, onde estão estas comunidades. As reservas estão localizadas nas florestas fluviais e suas comunidades são obrigadas a viajar durante dias para terem acesso aos serviços públicos de saúde. O intuito deste projeto foi consolidar as atividades pela sobrevivência infantil, garantindo que casas comunitárias estarão disponíveis aos agentes comunitários de saúde, onde possam oferecer serviços à comunidade (acompanhamento de gestantes, do crescimento das crianças e a detecção precoce de doenças e desnutrição infantil, notificando-os aos sistemas de saúde). As Casas também funcionam com treinamento em atividades educativas para crianças e adultos. São tratados temas como a nutrição adequada, cuidados sanitários básicos, higiene e prevenção das doenças mais comuns. Cozinhas comunitárias e hortas de frutas, verduras e plantas medicinais complementam a área destas casas, de maneira que mulheres grávidas e crianças possam receber alimentação saudável e rica em nutrientes. As casas foram devidamente equipadas para atenderem à saúde primária, inclusive com meios de transporte (barcos de madeira legalizada) e aparelhos e sistemas de comunicação para que os agentes de saúde possam contatar suas unidades de apoio. Materiais de prevenção e promoção da saúde serão produzidos e distribuídos pelas mulheres lideranças de acordo com as necessidades específicas da comunidade onde atuam.

Resultado Alcançado

Os resultados alcançados são consideráveis. As oficinas foram de grande utilidade para as famílias, permitindo que construíssem dentro de seu contexto os caminhos para compreensão e organização de ações pela nutrição, alimentação saudável e cuidados básicos de saúde. É possível perceber que o programa teve impactos positivos nas comunidades em que foi instalado. As crianças e adolescentes passaram a alimentar-se melhor e ter uma vida mais saudável, entendendo a importância da utilização dos recursos da floresta de maneira sustentável. Esses jovens passaram a ser tratados com mais equidade e as famílias passaram a compreender a necessidade de reivindicação de seus direitos frente aos poderes públicos.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Marajoara / ParáGurupá – Comunidade Sta. Maria da RDS Itatupã Baquiá; Breves – Comunidade Bom Jesus da Resex Mapuá01/2010
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Crianças
Mulheres
Quantidade: 6.350
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Administrador1
Agentes de saúde2
Educadores populares (podem ser lideranças extrativistas adolescentes)2
Cozinheiros2
Barqueiros2
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

- Cozinha comunitária (fogão, freezer, geladeira, louças etc.); - Equipamentos básicos de saúde; - Motor de luz e motor de barco; - Aparelhos de comunicação (celular, antena e suporte para o aparelho); - Horta Comunitária; - Mini biblioteca com livros diversos; - Brinquedoteca.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

R$ 150.000,00 no primeiro ano e R$ 30.000,00 nos anos subsequentes apenas para gastos com manutenção e recursos humanos.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Associação de Mães das Unidades de ConservaçãoApoio
PrefeiturasApoio
Pastoral da CriançaApoio
Saúde da FamíliaApoio
Impacto Ambiental

O projeto foca na utilização dos recursos da floresta de maneira sustentável, a partir da educação das comunidades que vivem nas regiões atendidas.

Forma de Acompanhamento

O projeto é acompanhado de forma democrática e participativa, envolvendo as famílias da comunidade e as parcerias. Inicia-se o projeto com um planejamento participativo, o qual é revisado periodicamente em reuniões comunitárias, objetivando ouvir e dialogar sobre os problemas, avanços e soluções, avaliando continuamente a tecnologia social. Também há uma preocupação em inovar e levantar a autoestima das mulheres, permitindo que se sintam mais felizes junto de seus familiares.

Forma de Transferência

O CNS, particularmente a Secretaria da Mulher Extrativista e o Programa “A Bagagem das Mulheres da Floresta”, toma a frente desta ação, por sua continuidade e no apoio às atividades em favor das mulheres e crianças da floresta. Elas participarão do processo desde seu início e seguirão coordenando os Espaços “Crianças da Floresta”. As comunidades extrativistas organizadas são mobilizadas pelo CNS para tomarem a responsabilidade pelo funcionamento dos espaços através da criação de um comitê gestor. Mulheres capacitadas oferecerão orientação na preparação de refeições e no cultivo de vegetais, frutas e plantas medicinais, atuando como multiplicadoras das ações implantadas pelos projetos aprovados.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Convite Espaço Criança FlorestaBaixar
MapuáBaixar
BaquiáBaixar
LivroBaixar
Depoimento Livre

O melhor saldo foi o sorriso das crianças ao final de tudo, a satisfação das mães fazendo a comida sustentável para alimentar seus filhos, foi a comunidade envolvida completamente na organização e no zelo do patrimônio conquistado. A participação contínua das crianças e adolescentes em todo o processo foi de fundamental importância para o sucesso do projeto. E para nós, que ficamos a frente da execução, o prazer pela troca de experiência e novos aprendizados adquiridos através de um projeto inovador e muito singular para o CNS, que está há vinte e cinco anos trabalhando na floresta e com sua população mas ainda não havia realizado coisa parecida. Estes ganhos já estão sendo transmitidos na rádio cipó (boca a boca) entre as comunidade beneficiadas e aquelas que ainda não foram beneficiadas.