Implantação de Mini-Agroindústrias de Produtos Oriundos da Base Produtiva Local

certificada 2011

Instituição
Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (CETEC)
Endereço
Av. José Cândido da Silveira, 2000 - Horto - Belo Horizonte/MG
E-mail
fernandomadeira2005@yahoo.com.br
Telefone
(31) 9951-8386
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Fernando Antônio Madeira(31) 9951-8386fernandomadeira2005@yahoo.com.br
Resumo da Tecnologia

A presente tecnologia social tem como objetivos principais capacitar as pessoas, mudar hábitos, proporcionar novas alternativas de renda e explorar o bioma de forma sustentável, com o enfoque territorial (ambiente, sociedade e cultura), valorizando as riquezas e a biodiversidade do Cerrado.*{ods2},{ods3},{ods4},{ods13}*

Tema Principal

Alimentação

Tema Secundário

Educação

Problema Solucionado

A falta de conhecimento sobre as potencialidades dos frutos do Cerrado é observada em todas as esferas da sociedade,dificultando a inserção de milhares de trabalhadores rurais. A região noroeste de Minas Gerais é formada de contraditórias e diferentes realidades. Possui características próprias e inúmeras riquezas naturais, recursos hídricos em abundância, grande potencial turístico, além de excelente localização geopolítica e mercadológica. Porém, dispõe de um sistema de produção agrícola caracterizado pela pequena diversidade produtiva e baixa densidade econômica, serviços de assistência técnica e inovação tecnológica insuficientes, gerando consequentemente baixa renda devido aos poucos excedentes de produção destinada ao mercado. Esse quadro deixa poucas opções de sobrevivência, principalmente para os agricultores familiares e provoca forte pressão sobre o meio ambiente devido à região ser a última fronteira agrícola do Estado de Minas Gerais,o que contribui para o avanço da exploração predatória dos recursos florestais do Cerrado.

Objetivo Geral

Desenvolver e implantar novas tecnologias para a exploração sustentável e o beneficiamento dos frutos do Cerrado em bases ecológicas e econômicas na região noroeste de Minas Gerais.

Objetivo Específico

-Possibilitar a segurança alimentar e nutricional por meio da realização de capacitações sobre boas práticas de produção, processamento, embalagem e comercialização; -Viabilizar a melhoria e o aumento da base produtiva, articulada em rede de unidades de produção, processamento e comercialização de produtos da agricultura familiar, por meio da aquisição de equipamentos, mobiliários e insumos para industrialização de produtos derivados de mandioca, cana, frutas, mel, leite e frutos do cerrado; -Propiciar a eficiência, eficácia e efetividade das metas e resultados propostos por meio da contratação de assessoria agronômica e técnica para acompanhamento dos empreendimentos apoiados, monitoramento e avaliação de resultados de desempenho da base produtiva, difusão de métodos e tecnologias.

Solução Adotada

As regiões norte e noroeste de Minas Gerais apresentam um dos menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDHs) do estado. Entretanto, com o desenvolvimento e transferência de tecnologias sociais os pesquisadores da Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (CETEC), desde 2002, tem colaborado para modificar a realidade de centenas de famílias de produtores rurais através da coleta e beneficiamento sustentável da Fava D’anta - planta medicinal encontrada nos Cerrados – da qual se extrai a rutina, bioflavonóide utilizado no tratamento de doenças circulatórias. A frutificação da Fava D'anta (Dimorphandra sp.) ocorre de abril a agosto, entretanto, percebeu-se que nos demais meses do ano, fora da frutificação, as famílias continuavam sem alternativas sustentáveis para exploração do Cerrado, tendo que recorrer à monocultura ou à produção de carvão vegetal. Percebendo essa realidade, as ações relacionadas a esta tecnologia social foram expandidas para os demais frutos do Cerrado, como por exemplo, araticum (Annona coriacea), baru (Dipteryx alata), buriti (Mauritia flexuosa), cagaita (Eugenia dysenterica), cajuzinho-do-cerrado (Anacardium humile), coquinho-do-cerrado (Syagrus flexuosa), jatobá (Hymenaea stigonocarpa), pequi (Caryocar brasilliense) e umbu (Phytolacca dioica), possibilitando aos trabalhadores rurais recursos para exploração sustentável o ano todo. Para envolver a comunidade, foram feitas reuniões de mobilização social com os líderes locais, sendo imprescindível a participação de associações, cooperativas e prefeituras para envolver as comunidades no processo. A primeira etapa envolveu o levantamento de dados das famílias e da região através do diagnóstico sócio-econômico-ambiental com o propósito de caracterizar a propriedade rural, considerando os aspectos de infraestrutura, necessidades e carências. Através do questionário familiar caracterizou-se o trabalhador rural nas questões pessoais, sociais, econômicas, culturais e ambientais. Houve levantamento da produção agrícola e agroextrativista com foco nos frutos do Cerrado. Posteriormente, foram realizadas capacitações com duração de 16 horas/aula com prática e teoria. Nessa etapa, houve uma troca de informações entre os pesquisadores/instrutores e os trabalhadores rurais participantes, utilizando do conhecimento tradicional e científico para a utilização correta dos recursos do Cerrado. Para a exploração sustentável da Fava D'anta (que é um fruto utilizado para a fabricação de fitomedicamentos), a capacitação envolveu educação ambiental, beneficiamento, secagem, armazenamento, produção de mudas, plantio e comercialização do produto. Já para os demais frutos, que são utilizados para a alimentação, a capacitação envolveu educação ambiental, manejo de plantas, nutrição, boas práticas de produção, processamento, certificação, embalagem e comercialização solidária de produtos oriundos da base regional. Nas aulas práticas, os participantes tiveram a oportunidade de aprender receitas inovadoras utilizando os frutos do Cerrado na fabricação de doces, geléias, pães e bolos, desenvolvidas pela cozinha experimental do projeto. Durante as capacitações foi enfatizada a necessidade de se trabalhar em grupo, incentivando os participantes a se organizarem em cooperativas. Após o término da capacitação, no decorrer de um ano, as comunidades dos municípios de São Francisco, Chapada Gaúcha, Januária e Bonfinópolis de Minas receberam assistência técnica para acompanhar e verificar se o processo de beneficiamento da fava estava sendo realizado de maneira correta. Nas cidades de Bonfinópolis de Minas, Pintópolis e Chapada Gaúcha foi implantada uma unidade de Beneficiamento de Frutos do Cerrado e uma Unidade de Produção de Doces e Geléias que também recebeu assistência técnica especializada no decorrer de um ano para efetivar a produção e comercialização dos produtos.

Resultado Alcançado

-Com a análise dos diagnósticos, constatou-se que: a estrutura das moradias dos trabalhadores rurais é quase sempre de alvenaria ou barro batido cobertos com telhas. Algumas moradias não possuem energia elétrica, ocasionando o desconforto do trabalhador rural e inviabilizando o uso de geladeira para melhor conservação dos alimentos. As estradas de acesso a essas moradias se encontram em péssimas condições, o que dificulta o transporte de produtos, o transporte escolar e o acesso para visitação; -O desenvolvimento dessa tecnologia social despertou nas pessoas a consciência de que a preservação e conservação do Cerrado é a garantia de vida e prosperidade para todos. As capacitações ajudaram não só a preparar tecnicamente os trabalhadores rurais para todas as fases do empreendimento, mas também melhorou a autoestima e motivou não só eles, mas também parentes e vizinhos que não participaram das ações; -A utilização dos frutos na base da alimentação familiar proporcionou uma dieta alimentar melhor e rica em sais minerais e proteínas de grande importância para a saúde dos trabalhadores rurais. A produção de novos produtos com base nos insumos dos frutos do Cerrado abriu oportunidades de melhoria na arrecadação das famílias, podendo também fornecer produtos e matéria-prima para a alimentação escolar; -Nas cidades São Francisco, Chapada Gaúcha, Januária e Bonfinópolis de Minas percebeu-se que houve um aumento da produção e produtividade de fava d’anta conforme pôde ser percebido na tabela anexa. Os trabalhadores rurais aprenderam a agregar valor ao seu produto, eliminando os atravessadores da cadeia produtiva, o que aumentou sua arrecadação em três vezes. Devido ao aumento da renda, percebeu-se uma melhoria na qualidade de vida dos beneficiados; -Entendemos que essa experiência de desenvolvimento local integrado e sustentável, associado à produção sustentável e a venda direta ao consumidor final, proporciona um olhar diferenciado para terra com vistas à preservação do meio ambiente, gerando um favorável potencial sócio-econômico aos que estão envolvidos na experiência, além de refletir na qualidade de vida deles, dos frequentadores e dos apoiadores dessa iniciativa.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Bonfinópolis de Minas / Minas Gerais01/2008
Pintópolis / Minas Gerais01/2009
Chapada Gaúcha / Minas Gerais01/2010
São Francisco / Minas Gerais01/2002
Januária / Minas Gerais01/2005
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Trabalhadores Rurais
Quantidade: 1.633
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Técnico Agrônomo1
Nutricionista1
Biólogo1
Químico1
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Material para as capacitações: -Caneta, lápis, borracha, pincel, pasta, papel a4 e reprografia de apostilas; -Viveiro de mudas. Construção dos viveiros: -10 mourões de, no mínimo, 15 centímetros de diâmetro (grossura) e 3 metros de comprimento; -50 metros de sombrite com 25% de insolação e 3 metros de largura; -Um pacote de grampos para cerca; -Cinco rolos de arame 2,76 milímetros (mm), com vinte metros cada; -Quatro catracas (esticadores); -Três dobradiças médias; -Um cadeado; -Ferramentas: martelo, alicate, turquesa, enxadas, pás, cavadeira-de-boca, furadeira (manual ou elétrica), serrote, facão, trena, lápis de carpinteiro, carrinho-de-mão etc. Material para implantação de unidade de beneficiamento e produção de doces e geléias: - Seladora de embalagens; - Balança eletrônica; -Despolpadeira de frutas semi industrial; -Freezer horizontal 480 litros; -Batedeira de geléia; -Panela de pressão de 20 litros; -Liquidificador industrial de dois litros; -Tacho aço carbônico 10 litros; -Colher de pau, luvas, aventais e toucas. Material para aulas práticas de manejo de vegetais: - Podão; - Facão; - Lona plástica; -Caixas plásticas; - Baldes; -Sacos de ráfia; -Equipamento de proteção individual: bota, luva e perneira.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

R$ 60.000,00. O valor não inclui despesas de alimentação, estadia e deslocamento dos técnicos/pesquisadores no município.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
EMATERAuxílio na mobilização das comunidades
UEMGContribuição com recursos humanos especializados
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome - MDSLiberação de recurso para execução das atividades
Associações comunitáriasMobilização das comunidades
Prefeitura Municipal de Bonfinópolis de MinasApoio para execução das atividades
Prefeitura Municipal de PintópolisApoio para execução das atividades
Prefeitura Municipal de Chapada GaúchaApoio para execução das atividades
Prefeitura Municipal de São FranciscoApoio para execução das atividades
Prefeitura Municipal de JanuáriaApoio para execução das atividades
Impacto Ambiental

A transferência da tecnologia social para as comunidades contempladas com a execução do projeto propiciou oportunidade de agregação de valor aos produtos desenvolvidos pelos agricultores. Sendo assim, as famílias tiveram nova oportunidade de geração de renda. Por causa disso, hoje, não transformam o Cerrado em carvão e nem em monocultura, contribuindo para a preservação ambiental.

Forma de Acompanhamento

O acompanhamento da tecnologia foi feito através de visitas técnicas no município, assessorando as famílias participantes das capacitações. Há também monitoramento dos empreendimentos apoiados, garantindo a eficiência da produção regional.

Forma de Transferência

A tecnologia social é transferida às comunidades através de capacitações. Para a realização das capacitações, foi elaborado um material didático com uma escrita que atende a todos os níveis de escolaridade e facilita o aprendizado e a aplicação das informações sobre os temas abordados. As capacitações têm sido realizadas com os trabalhadores rurais chefes de família que se tornam responsáveis em disseminar o conhecimento para os demais integrantes da comunidade.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Jornal desenvolvido para divulgar o projetoBaixar
Tabela 1 - Resultados obtidos com o beneficiamento da Fava D'anta em Municípios Selecionados de Minas GeraisBaixar
Aula prática processamento de frutosBaixar
Secagem da Fava D'antaBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

“Para mim foi uma experiência muito importante. Eu aprendi que um bolo de jatobá pode ficar tão gostoso a nível de chocolate. Não é por que sou homem que vou deixar da cozinha! Esta foi uma experiência muito marcante. Aprendi a aproveitar os frutos e vou pesquisar mais ainda” - Depoimento de Marbson Bispo Maciel. “Eu não sabia o valor de muitos frutos, agora posso aproveitar melhor tudo e passar para as outras pessoas. Aprendi bastante e amei toda a equipe” - Depoimento de Maria José Barbosa dos Santos.