Jogo Educativo Transação: Sexo e Sexualidade na Adolescência

certificada 2011

Instituição
Fundação Oswaldo Cruz / Centro de Pesquisas René Rachou
Endereço
Av. Augusto de Lima, 1715 - Barro Preto - Belo Horizonte/MG
E-mail
Telefone
(31) 3349-7741
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Maria José Nogueira(31) 3295-5098maria.nog@cpqrr.fiocruz.br
Resumo da Tecnologia

O jogo é constituído de: oito pinos coloridos, um dado, um tabuleiro, 80 Cartas de Perguntas e Respostas,16 cartas de reflexão,15 cartas locais, um manual de orientação para o uso em espaços formais e informais da educação e da saúde, um manual de regras. Todo o conteúdo vem em uma mochila*{ods4}*

Tema Principal

Educação

Problema Solucionado

- Carência de matérias educativos na área de saúde sexual e reprodutiva especifico para o público adolescente, no que se refere à linguagem, conteúdo, etc.; - Dificuldade de educadores, pais, e profissionais de saúde de informar e discutir com os adolescentes questões ligadas ao sexo e à sexualidade; - Aumento da incidência de DST – AIDS na faixa etária da adolescência. Em muitos casos nos materiais educativos predomina as mensagens prescritivas, a descrição de métodos preventivos e o apelo ao enfoque cognitivo. As ações, materiais e estratégias educativas não devem se limitar ao aspecto meramente cognitivo,deve possibilitar a instauração de um processo reflexivo que envolva os significados, sentimentos, medos e desejos dos receptores, que potencialize as ações de prevenção de doenças e promoção da saúde. Baixa procura dos adolescentes aos centros de saúde e baixa adesão aos programas e ações desenvolvidas nestes locais. Outro fator que motivou a elaboração do material foi a estatística de que19% dos nascidos vivos no Brasil serem filhos de mães na faixa etária de 10 a 19 anos.

Objetivo Geral

O jogo educativo transação tem como principal objetivo criar um espaço lúdico propenso ao dialogo e a construção de conhecimento sobre sexo e sexualidade, bem como reforçar o vinculo dos adolescentes com educadores, profissionais de saúde e familiares

Objetivo Específico

Trazer informações referentes a temáticas da saúde sexual e reprodutiva: - Métodos contraceptivos , DST-AIDS, menstruação, puberdade, etc.; - Potencializar a discussão com os adolescentes de temáticas que perpassam o cotidiano dos mesmos: uso de drogas, ciumes, traição, namoro, virgindade, violência, e outros temas trazidos pelo próprio grupo; -Problematizar com os adolescentes a relação dos mesmos com o local de moradia, levando-os a conhecer melhor os instrumentos públicos tais como Centros de Saúde, espaços de socialização, espaços culturais, oportunidades de profissionalização, etc.; - Disponibilizar para os educadores e profissionais de outras áreas, um material lúdico e educativo para facilitar o dialogo das temáticas referentes ao sexo e à sexualidade nos espaços da educação e da saúde; -Possibilitar, através da adaptação, a elaboração de um material educativo que seja coerente com á realidade cultural e social dos adolescentes que irão utilizá-lo.

Solução Adotada

O jogo foi desenvolvido, de forma compartilhada, com adolescentes e profissionais de saúde de uma comunidade de Belo Horizonte (Vila Cafezal), considerada de alto risco medido pelo Índice de Vulnerabilidade à Saúde. Através de oficinas em grupos operativos, criou–se um espaço de diálogo sobre sexualidade, sexo, gravidez na adolescência, etc. Nesses encontros os adolescentes colocavam suas dúvidas e curiosidades que eram respondidas e debatidas em grupo. Uma vez analisadas, as informações foram incluídas no jogo de maneira lúdica e criativa, evitando, por exemplo, desenhos e textos que trouxessem informações equivocadas, como também o uso do grotesco. Ao final foram selecionadas 80 perguntas contendo as respectivas respostas, distribuídas nas seguintes temáticas: sexo e sexualidade, Doenças Sexualmente Transmissíveis e Síndrome da Imunodeficiência (DST/AIDS), gravidez e métodos contraceptivos. Desse modo, as dúvidas poderão ser compartilhas entre os e as adolescentes, na tentativa de propiciar uma reflexão acerca da clássica divisão de assuntos femininos e masculinos. As respostas foram analisadas por dois ginecologistas, uma psicóloga e uma socióloga para garantir correção científica, linguagem acessível aos jovens e objetividade, evitando textos longos e cansativos. Foi de escolha dos Adolescentes incluir assuntos que se apresentam em seu cotidiano. Foram elaboradas 12 cartas, que constituiriam o baralho “Reflexão” abordando o uso do preservativo, a decisão em relação à primeira relação, a virgindade, dentre outros. Eles construíram um protótipo de cartolina com o caminho a ser percorrido pelos jogadores e o local no qual se passa toda a brincadeira, no caso, a própria Vila Cafezal. A ideia de transpor para o tabuleiro o espaço da Vila Cafezal foi justificada pelos adolescentes pela necessidade de re–significar os espaços e locais da região onde moram. Muitas vezes, a Vila Cafezal é vinculada apenas a notícias de pobreza, tráfico de drogas e violência. Produziu–se um mapa da região, detalhando os locais eleitos por eles como os mais importantes da vila, que compõem o baralho de cartas locais. Foi sugerido por uma adolescente, e aceito pelo grupo, que o microônibus amarelo que circula dentro da Vila Cafezal seria reproduzido para percorrer o trajeto do tabuleiro.

Resultado Alcançado

Foram capacitados para utilizar o jogo transação 150 professores de Escolas Publicas de Minas Gerais. Desse modo, estima-se que mais de 2000 estudantes já tiveram contado o jogo. Algumas avaliações qualitativas já foram realizadas e apontam para o grande potencial do material em propiciar o dialogo e o fortalecimento do vinculo nos espaços da educação e da saúde

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Belo Horizonte / Minas GeraisAinda em MG: Confins Vespasiano São José da Lapa Crisótita01/2010
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Seria interessante uma parceria entre Escola e Centros de Saúde. Para um grupo de oito é necessário um profissional da saúde ou da educação para mediar a partida.1
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

- Materiais - Uma Folha de papel em tamanho A1 ( tabuleiro); - Folhas de papel colorido( quatro roxo, 16 verde e seis amarelo) para baralhos; - 15 Folhas de papel A4 Branco para o manual de regras e o manual de sugestões; - Três gominhas para amarrar os baralhos; - Uma saquinho (naylon, pano, reciclado, ) para guardar o dado e os pinos; - Uma Bolsa( naylon, pano , reciclado, etc) ou caixa para guardar todo o material; - Oito pinos coloridos; - Oito carrinhos amarelos. Obs.- Os pinos e os carrinhos podem ser substituídos por outros itens de acordo os recursos disponíveis e a criatividade do grupo. Equipamentos- Impressora colorida, tesoura.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

As cartas, o tabuleiro e os manuais podem ser impresso em gráfica rápida ao custo de aproximadamente 20 reais. Para confeccionar um sacola em nylon o custo é de aproximadamente seis reais. O dado custa dois reais. O custo dos carrinhos e dos pinos vai depender do material a ser utilizado. Em Biscuit fica a um preço de dez reais todas as peças. Total aproximado de um unidade 38 reais

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Centro de Saúde da Vila Cafezalespaço físico e pessoal
Escola de Saúde Pública de Minas Geraisreprodução de 100 jogos para escolas públicas
Impacto Ambiental

Nenhum impacto ambiental foi percebido.

Forma de Acompanhamento

A equipe desenvolveu uma metodologia de avaliação que consta de três etapas: 1- Avaliação de educadores e profissionais de saúde por questionário estruturado; 2- Avaliação dos participantes através de um roteiro semi-estruturado; 3- Avaliação de Observadores através de um roteiro de observação das partidas. A metodologia pode ser disponibilizada para os interessados. Outra forma para acompanhar seria eleger indicadores de saúde para o acompanhamento dos mesmos em um dado território.

Forma de Transferência

Para a utilização do jogo basta ler os manuais que o acompanham. Para reaplicar a metodologia participativa que foi utilizada para construir o jogo educativo pode-se recorrer a publicação dos autores do material bem como ao site do LAESA.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Entrevista Gravidez na Adolescênciadownload
Depoimento Livre

Eu adorei o projeto porque nele eu aprendi muitas coisas, por isso agora já sei como me prevenir para não engravidar muito cedo e como fazer para não pegar uma DST. Agora posso ensinar para outro jovem que ainda não sabe. Também gostei muito de ter participado do jogo e de ter capacidade de criar umas histórias com o que aprendi. L. 14 anos