Juventudes e empreendedorismo

certificada 2019

Instituição
Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável
Endereço
Rua Conselheiro Saraiva, 28, 8 andar - 02680126000180 - Rio de Janeiro/RJ
E-mail
fabiomuller@cieds.org.br
Telefone
(21) 2130-94455
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Fabio Antonio Muller Mariano(21) 21309-4455fabiomuller@cieds.org.br
Valrei Lima(21) 99404-0318valrei.rj@cieds.org.br
Resumo da Tecnologia

A metodologia de formação empreendedora do CIEDS apresenta a educação empreendedora como ferramenta para ativação dos potenciais das juventudes e estimula a criação de negócios de impacto, de forma a promover soluções inovadoras que contribuam para o desenvolvimento social e econômico dos territórios. Considera as características das periferias para o desenvolvimento do empreendedorismo, aliada a importância da educação empreendedora no desenvolvimento de competências, para que os jovens se tornem agentes de mudanças e construam pontes para novas perspectivas de futuro, conectadas aos seus projetos de vida.*{ods4},{ods8}*

Tema Principal

Renda

Tema Secundário

Educação

Problema Solucionado

Na trajetória institucional do CIEDS as juventudes são um público-alvo pelo potencial de transformação social para uma sociedade mais justa e democrática que este grupo protagoniza. A partir do desenvolvimento dos projetos Jovens Urbanos, Centro Urbanos-UNICEF, Jovens Jornalistas, Shell Iniciativa Jovem pôde-se observar que a ampliação das oportunidades de convivência e participação de jovens em suas comunidades e na cidade assinalou uma demanda de estruturação de iniciativas de empreendedorismo social juvenil, que impactassem os territórios, mas, também, pudessem se configurar em oportunidades de geração de trabalho e renda. Surge, então, a metodologia de formação empreendedora do CIEDS voltada para jovens empreendedores de periferia como resultado de anos de prática e reflexão sobre as juventudes e desenvolvimento de projetos. A metodologia de formação com Juventude e Empreendedorismo do CIEDS foi aplicada num projeto piloto no ano de 2017 e o sucesso de sua execução possibilitou que a metodologia fosse replicada no ano de 2018 e 2019 em 4 polos da região metropolitana do Rio de Janeiro: na Zona Oeste e Norte do Rio de Janeiro, e nos municípios de Duque de Caxias e Nova Igu

Objetivo Geral

Fomentar a criação de negócios de impacto social por meio de um processo de educação empreendedora que promova as competências do futuro, ative os potenciais das juventudes de periferia e contribua para a ampliação da confiança no futuro.

Objetivo Específico

- Capacitar jovens de 18 a 24 anos em competências do futuro; - Empoderar jovens mulheres residentes em áreas vulneráveis dos territórios; - Descortinar e promover os potenciais da juventude, fortalecer o protagonismo juvenil e a inserção produtiva dos jovens, estimulando, assim, o desenvolvimento socioeconômico de seus territórios, ressignificando e reinventando a cidade e melhorando o mundo em que vivemos; - Oportunizar alternativas viáveis de geração de renda e de impacto social; - Fomentar negócios de impacto social com foco no desenvolvimento dos territórios; - Ativar os potências da juventude de conexão, inovação realização e confiança rompendo com o discurso simplista da “ociosidade perigosa” por um olhar ativador e criterioso sobre os potenciais da juventude de favela; - Criar um ecossistema de suporte aos empreendimentos com o intuito de promover um ambiente de colaboração, interdependência e sustentabilidade.

Descrição

A concepção da metodologia foi baseada no estudo “Driving the skills agenda: Preparing students for the future” 31, realizado pelo The Economist Inteligence Unit (EIU) que explana as Competências para o século XXl, a partir dessa reflexão o CIEDS define como as competências do futuro que norteiam a metodologia: Atuação em Redes, Inovação, Liderança, Comunicação, Visionaridade e Responsabilidade como as Competências do Futuro, por acreditar que estas respondem a uma nova dinâmica global, interconectada e colaborativa, e configuram-se como a base para a formação de uma geração empreendedora, responsável e próspera. O percurso formativo tem como premissa: o estímulo ao protagonismo e à participação cidadã, a atuação em redes e as novas formas de ocupação e geração de renda, sempre atreladas ao desenvolvimento local e à geração de valor para a sociedade. No escopo da tecnologia consideramos como negócios de impacto - aqueles que apresentam soluções inovadoras, criadas coletivamente, que contribuem para o desenvolvimento econômico e social de pessoas e comunidades, ajudando na redução das desigualdades, da pobreza e da degradação ambiental. Estes apresentam modelos sustentáveis e economicamente rentáveis, que promovem prosperidade para todos e não apenas para quem empreende. A metodologia é dividida em 5 ciclos: Ciclo Água: É o que alimenta todo o processo, desde o ciclo terra até o muda. Compreende a etapa transversal Competências do Futuro, que visa ao desenvolvimento de competências que ajudem os jovens a empreenderem em diversas áreas de suas vidas, transformando suas ideias em oportunidades reais de desenvolvimento pessoal e social. Ciclo Terra: É a base necessária para o início da formação empreendedora, o terreno onde serão plantadas as ideias (sementes). Compreende as etapas Identidade e Propósito, que tem como objetivo o autoconhecimento e ampliação da visão de propósito de vida dos jovens, conectando metas pessoais com interesses coletivos; e Diversidade e Conexão, que objetiva a ampliação do repertório sociocultural, a participação cidadã, a criação de redes e a construção de conhecimento compartilhado. Ciclo Semente: É a essência do empreendedorismo, a ideia, de onde tudo começa. Compreende a etapa Ideação coletiva, que visa à criação compartilhada de soluções para problemas identificados coletivamente nos territórios. Parte das premissas de que juntos temos melhores ideias e que empreender é gerar valor para a sociedade e não apenas para aquele que empreende. Ciclo Muda: É quando a ideia (semente) finalmente brota e a iniciativa nasce de fato (muda). Compreende as etapas Oficina de Soluções, que consiste em processos de formação técnica especializada, mentoria intensiva e suporte na análise da viabilidade das soluções por meio da prototipação e testes; e geração de Valor Compartilhado, que se refere à formalização de negócios, idealizados e desenvolvidos pelos jovens, que contribuam para o desenvolvimento econômico e social de pessoas e comunidades, gerando valor para a sociedade. Bioma: Entendemos que as “mudas” que saírem do nosso processo formativo poderão ser “plantadas” nesse Bioma, com o intuito de fomentar a integração, a cooperação, o suporte e a construção coletiva de conhecimentos entre iniciativas com as mesmas características. Mais do que um Coworking ou uma Casa Colaborativa de Favela, o Bioma deve ser uma comunidade orgânica, colaborativa, independente e sustentável, criando condições próprias de fomento e sobrevivência O CIEDS entende, a partir da sua experiência de 21 anos atuando com esse público e da análise das características da Geração Z, que a educação empreendedora enquanto ferramenta de transformação social promove o que para a instituição são os quatro grandes Potenciais da Juventude, a saber: Conexão, Realização, Inovação e Confiança. Entendemos que a plena execução dos ciclos propostos neste processo formativo desperta e desenvolve esses potenciais, corroborando com a formação de jovens protagonistas do seu desenvolvimento e dos territórios onde vivem. Devemos destacar que essa tecnologia social emergiu de experiências anteriores do CIEDS e da relação/interação com as comunidades e os públicos que estão implicados. Nesse sentido, temos trabalhado com organizações de base comunitária localizadas nos territórios beneficiados a fim de garantir que os métodos sejam transferidos e que possam ser aplicados diretamente pelas comunidades. Com o fomento de iniciativas empreendedoras de favela, nas favelas e para as favelas, não apenas a economia local se fortalece. A inclusão dessas áreas como territórios economicamente ativos e conectados com a cidade gera pólos de oportunidades para empreendedores de outras regiões e abre oportunidades de colaboração, construção de redes, produção coletiva de conhecimento, geração de novas oportunidades de trabalho e renda e um desenvolvimento socioeconômico que transcende o local, beneficiando toda a cidade.

Resultado Alcançado

Resultado 1 - 1.718 jovens com desejo de empreender mobilizados na etapa de inscrição Resultado 2- 220 jovens participaram do ciclo formativo e tiveram a oportunidade de desenvolver as competências do futuro. Resultado 3 - 56 negócios de periferia impulsionados e incluídos no ecossistema empreendedor. Resultado 4 - 72 negócios de periferia premiados Resultado 5 - Alta mobilização e engajamento de jovens mulheres empreendedoras, representando aproximadamente 60% do público, promovendo o protagonismo e o empoderamento de jovens mulheres residentes em áreas periféricas dos grandes centros urbanos; Resultado 6 - A ampliação do projeto para outras regiões do Rio de Janeiro e Região Metropolitana, que contribuiu para desenvolver jovens empreendedores que não tinham oportunidades de apoio formativo para empreender. Resultado 7 - Engajamento de atores públicos dos territórios nos quais os Polos foram instalados - fortalecimento de parcerias multisetoriais e multínivel. Destacamos aqui ainda algumas reflexões que são objeto dos resultados alcançados e confirmam as hipóteses preliminares da ação implementada: (a)O empreendedorismo é uma poderosa ferramenta de desenvolvimento pessoal, atendimento de necessidades básicas e transformação social. (b)As favelas são territórios com grande potencial econômico como campos de oportunidades e lócus da inovação. (c) A juventude possui papel estratégico na construção de um futuro mais próspero e justo. (d) Precisamos evitar a mera “instrumentalização empreendedora” e focar em uma educação empreendedora baseada em competências. (e) Formar jovens de favela, em uma perspectiva empreendedora exige antes de tudo, ampliar repertórios socioculturais. (f) A atuação em redes é caminho mandatório para o sucesso de qualquer iniciativa de empreendedorismo, sobretudo, as que envolvem uma perspectiva de impacto social.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Rio de Janeiro / Rio de JaneiroMéier05/2018
Rio de Janeiro / Rio de JaneiroCampo Grande05/2018
Rio de Janeiro / Rio de JaneiroPorto Maravilha04/2019
Duque de Caxias / Rio de Janeiro05/2018
Nova Iguaçu / Rio de Janeiro05/2018
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Afrodescendentes
Empreendedores
Jovens
Lideranças Comunitárias
Mulheres
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Espaço fisico e insumos tecnológicos necessários à operacionalização dos processos formativos; Material de Comunicação e Identificação do Projeto; Recursos para realização de eventos de sensibilização, mobilização e premiação; Recurso semente em duas etapas - fase de ideação: R$ 2.500,00 por negócio apoiado; fase incubação: até R$ 10.000,00 para os três melhores negócios; material didático; recursos para deslocamento e atividades exploratórias da cidade.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

R$ 175.000,00 por comunidade contemplando o suporte à 30 jovens empreendedores.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Fundação Itau SocialFinanciadora
Secretaria Estadual de EducaçãoCooperação Técnica
Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Relato de experiênciaBaixar
Resumo ProjetoBaixar
Portfólio de Empreendedores 2018Baixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

“Nunca tive um sonho específico na vida, mas o projeto veio e me disse que eu poderia sonhar, querer algo que admire, que eu queira fazer. Ele me mostrou o que eu quero ser e que eu não preciso ficar me martirizando para viver uma vida que uma outra pessoa queria que eu vivesse.” Pedro Guilherme Bitencourt - Ágora. “Foi fundamental para tirar essa ideia do papel, foi bacana fazer conexões com grandes mentes empreendedoras de zonas periféricas e conhecer mais o universo de investimento e empreendedores.” Emanoel dos Reis - Beleza Real. “Crucial para o meu desenvolvimento como empreendedora. Tive vivências e aconselhamentos de facilitadores experientes e que vivem disso que me preparam para ao final do projeto, ter um negócio consolidado.” Ana Carolina Marques de Oliveira - The Art In Wo