Método da Caixinha: Sugestão de Organização de Medicamentos

certificada 2011

Instituição
Fundação D. André Arcoverde
Endereço
Rua Sargento Vitor Hugo, 161 - Fátima - Valença/RJ
E-mail
extensao@faa.edu.br
Telefone
(24) 2453-1888
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Alyssa Montoro Françozo(45) 8403-3193sissamf@hotmail.com
Ana Carolina e Silva Nascimento(24) 3322-4174ana_carolinasn@hotmail.com
Ana Carolina Kirchmeyer Vieira(24) 8134-0288carolkirch@hotmail.com
André Alexandre Raposo Diniz(24) 8132-2210andrealexandrediniz@yahoo.com.br
Denise Pinho Monteiro(24) 8132-0651denisemonteiro_med@yahoo.com.br
Duanne Almeida Viana de Melo Souza(24) 8132-0646duanne.anaiv@ig.com.br
Eliane dos Reis Cruz(24) 8138-7738elianereiscruz@hotmail.com
Ilana Vital Dantas de Oliveira(24) 8119-3898ilanavital@yahoo.com.br
Juliana Guimarães de Souza Yost(24) 8145-9193ju.yost@yahoo.com.br
Paulo Ricardo Almeida Souza(24) 3341-0998rpm_med@yahoo.com.br
Ranieri de Oliveira Lima(24) 8118-5451ranierilima@gmail.com
Sonia Cristina Leal Leidersnaider(24) 8122-7152leiders@oi.com.br
Resumo da Tecnologia

A tecnologia consiste em organizar os medicamentos em recipientes (que podem ser pequenas caixas de papelão, garrafas PET ou potes de margarina) com símbolos que representem manhã, tarde e noite, para pacientes com dificuldade de adesão ao tratamento.*{ods3},{ods4}*

Tema Principal

Saúde

Tema Secundário

Educação

Problema Solucionado

Através de visitas domiciliares em Manuel Duarte (distrito de Rio das Flores - RJ) foi constatado que grande parte da população adscrita à Unidade Básica de Saúde (UBS) desse distrito possuía dificuldades em administrar corretamente seus medicamentos, principalmente quando se tratava de poli-farmácia. Provavelmente, isso se deve ao fato de que essa população é composta em grande número por idosos e analfabetos. Em consequência da idade avançada, algumas situações são comuns, como a dificuldade de memorização, diminuição da acuidade visual e da destreza manual, fatores que dificultam a realização do tratamento adequado de suas patologias. Além disso, o alto nível de analfabetismo é um grande empecilho para que se possa identificar com segurança os medicamentos a serem tomados. Diante dessa problemática, surgiu a idéia da criação de um método simples, porém de potencial eficácia e acessível a todos que fosse capaz de minimizar e/ou sanar tais dificuldades no que diz respeito à adesão ao tratamento medicamentoso. Sendo assim, o Método da Caixinha é uma ferramenta de assistência farmacêutica com intuito de auxiliar a correta administração e regularidade do uso dos medicamentos.

Objetivo Geral

Controle do diabetes, da hipertensão arterial e de possíveis patologias também presentes através da adequação da prescrição farmacológica em população idosa, analfabeta ou com dificuldade na adesão ao tratamento prescrito, utilizando o Método da Caixinha como ferramenta de assistência farmacêutica.

Objetivo Específico

-Oferecer um método que valorize a autonomia do paciente, proporcionando controlar de forma organizada o seu tratamento medicamentoso; -Implantar o Método da Caixinha para facilitar o trabalho do agente comunitário de saúde (ACS) em auxiliar a população no tratamento adequado de suas patologias; -Ajustar os horários de administração das posologias prescritas através da separação e organização dos medicamentos em caixas customizadas com figuras representativas de acordo com as horas do dia, identificadas e individualizadas para cada paciente; -Orientar os pacientes selecionados sobre suas condições de saúde e dos riscos de complicações que implicam no melhor tratamento dessas; -Fortalecer o vínculo entre a comunidade e o Programa da Saúde da Família (PSF) através de ações de promoção à saúde e prevenção de doenças, utilizando o espaço da UBS como ambiente educativo, de troca de experiências e de apoio à população adscrita em suas diferentes características e necessidades.

Solução Adotada

O Método da Caixinha tem como proposta o auxílio na organização dos medicamentos de pacientes poli-medicamentosos que têm dificuldades em tomar corretamente seus remédios. Por se tratar de uma tecnologia de baixo custo, que não necessita de grandes recursos materiais, o Método da Caixinha é simples e fácil de ser reproduzido. Manuel Duarte é um distrito de Rio das Flores, localizado no estado do Rio de Janeiro. Apresenta população total de 1.709 habitantes, coberta em sua maioria pelo Programa Saúde da Família (PSF). Entre os meses de março a maio de 2009, os acadêmicos do 5º período da Faculdade de Medicina de Valença realizaram visitas domiciliares em Manuel Duarte e, a partir dessas visitas, constataram que grande parte da população adscrita à Unidade Básica de Saúde (UBS) do distrito possuía dificuldades em administrar corretamente seus medicamentos, principalmente quando se tratava de poli-farmácia. Diante dessa realidade, foi solicitado aos agentes comunitários de saúde (ACS) que selecionassem, segundo as fichas cadastrais da UBS, alguns dos pacientes. Após essa etapa, com intuito de buscar integralização e sensibilização da comunidade com os acadêmicos, foram realizadas visitas prévias nos domicílios desses indivíduos pré-selecionados, além de tomar nota de suas medicações de uso diário e convidá-los para participar de uma ação em saúde na UBS. Os alunos constataram que esses pacientes possuíam em sua maioria doenças crônicas como hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus. No dia do evento na UBS, os pacientes receberam informações sobre essas doenças por meio de palestras elaboradas e apresentadas pelos estudantes. Além disso, receberam informações sobre a importância do uso correto de suas medicações a fim de garantir uma melhor qualidade de vida e de prevenir complicações de suas doenças. Ao final das palestras, os estudantes dividiram-se, cada um com um paciente, no intuito de explicarem e demonstrarem a utilização do Método das Caixinhas. Para o método, foram utilizadas caixinhas de papelão doadas por comerciantes da cidade de Valença/RJ. Em cada caixa foi fixado, em uma de suas laterais, um adesivo contendo o nome do paciente. Um segundo adesivo com símbolo foi fixado em sua parte superior. Foram três os símbolos utilizados: sol, prato com talheres, e lua. Cada um deles indicava o período em que a medicação deveria ser administrada. O sol representava os medicamentos da manhã, prato com talheres os da hora do almoço, e a lua os da noite. Dentre o abordado, explicou-se ainda que quem dividiria os medicamentos mensalmente seriam os ACS. Explicou-se também como cada paciente deveria proceder para tomar o medicamento e a sua quantidade correta - abrir a caixa correspondente ao período do dia de acordo com o desenho do adesivo e pegar um comprimido de cada cartela; se for necessário administrar dois comprimidos por vez, a cartela já terá sido recortada pelos ACS, com os comprimidos aos pares. Além disso, sugeriu-se que cada caixa fosse colocada em um local que facilitasse a sua visualização de acordo com o período do dia, evitando, assim, o esquecimento do uso das medicações. Por exemplo, a caixa contendo o adesivo do sol ao lado da cama ou perto dos alimentos consumidos pela manhã. Para tornar o dia da ação mais convidativo, foi oferecido um café da manhã para aqueles que comparecessem. Durante todo o evento, os ACS permaneceram no local e foram capacitados para dar continuidade ao projeto, tanto com os pacientes selecionados quanto com novos, dessa mesma comunidade e de outras, que necessitassem desse auxílio.

Resultado Alcançado

O método, que buscou dar autonomia aos participantes junto à família e à comunidade em que vivem, ao ter seus resulados avaliados pelos acadêmicos após três meses da implantação, alcançou uma adesão de 94,44% dos 18 pacientes selecionados. Desses, 11,76% apresentaram dificuldades quanto a realização, e 29,41% relataram uma real ajuda para lembrar o horário da medicação. Para 88,23% dos selecionados, a caixinha facilitou a administração correta dos medicamentos. Já as informações colhidas pelos mesmos acadêmicos dois anos após a implantação, através de entrevista com parte da Equipe de Saúde da Família (ESF) de Manuel Duarte, demonstraram que o Método da Caixinha foi eficaz principalmente com os pacientes que não possuem auxílio para a administração dos medicamentos. Diante disso, a ESF estendeu esse instrumento para outros pacientes que vivenciavam essa realidade, obtendo também bons resultados. Esta ação trouxe uma melhora na qualidade de vida da população, pois diminuiu-se a demanda de atendimentos de emergência e da necessidade das visitas domiciliares mais de uma vez por mês a esses pacientes. Isso permitiu que a atenção, por parte dos ACS, às famílias adscritas no PSF de Manuel Duarte, pudesse ter equidade. Dos dezoito pacientes selecionados para o método, quatro foram entrevistados novamente dois anos após o início. Eles ainda utilizam a caixinha e relataram satisfação, pois finalmente conseguiram ter um controle adequado de suas doenças.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Rio das Flores / Rio de JaneiroManuel Duarte05/2009
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Analfabetos
Adulto
Idosos
Médicos
Profissionais de Saúde
Quantidade: 5
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Equipe de Saúde da Família: Médicos, Enfermeiros, Técnico de Enfermagem e Agentes Comunitários de Saúde.9
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Os recursos se baseiam em materiais recicláveis (caixas de papelão, caixas de leite, garrafas pet e potes de margarina) e artigos de papelaria para confecção das figuras representativas dos períodos do dia e de cartazes educativos.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Como a tecnologia é baseada em um método de atuação, a sua implementação depende do conhecimento da técnica aqui exposta, já que os recursos são basicamente de materiais recicláveis, sendo o valor da implementação da tecnologia pouco substancial.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Secretaria Municipal de Saúde de Rio das Flores - RJDisponibilização de Equipe de Saúde da Família e da Unidade Básica de Saúde de Manuel Duarte
Faculdade de Medicina de ValençaSuporte aos acadêmicos através da disciplina de Atenção Básica Integrada
Impacto Ambiental

Não há impactos ambientais significativos.

Forma de Acompanhamento

O acompanhamento se dá por visitas domiciliares, realizadas pelos agentes comunitários de saúde (ACS), ao final de cada mês. Nessas visitas, os ACS devem verificar se as cartelas presentes nas caixinhas estão vazias e perguntar aos pacientes se eles encontram alguma dificuldade com a utilização do método. É dessa maneira que os ACS acompanham os pacientes de Manuel Duarte como foi observado pelos acadêmicos durante os dois anos seguintes à implantação.

Forma de Transferência

A tecnologia pode ser implantada em qualquer localidade, não necessitando de grandes recursos financeiros e sendo necessário, apenas, o conhecimento de como ela funciona. Esse conhecimento pode ser transmitido por meio de cartilhas e/ou vídeos educativos, demonstrando a forma de implantação do Método da Caixinha.

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Entrevista pós implantação do Método (Junho /2011)Baixar
Fotos da ação (maio/ 2009)Baixar
Acadêmicos ministrando palestra para comunidadeBaixar
As caixinhas, após confeccionadas, expostas durante a ação socialBaixar
Acadêmico em atendimento individual, explicando o método e demonstrando a organização da caixinha usando os medicamentos do próprio pacienteBaixar