Projeto Água é Vida: Recuperando Nascentes e Gerando Qualidade de Vida

finalista 2007

Instituição
Associação da Juventude Defensora da Natureza de Matelândia (ADENAM)
Endereço
Avenida Borges de Medeiros, 1380 - Centro - Matelândia/PR
E-mail
jotagarcez@hotmail.com
Telefone
(45) 9974-7412
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Otoniel Barboza Garcez Junior(45) 9974-7412jotagarcez@hotmail.com
Pedro Josino Diesel(45) 9112-7888
Resumo da Tecnologia

O projeto Água é Vida é uma tecnologia social desenvolvida pela Associação da Juventude Defensora da Natureza de Matelândia (ADENAM), com a finalidade de recuperar as nascentes de água assoreadas ou degradadas localizadas nas propriedades de pequenos produtores rurais.*{ods6},{ods13}*

Tema Principal

Recursos Hídricos

Tema Secundário

Meio ambiente

Problema Solucionado

Devido a mecanização agrícola intensiva ocorrida na região oeste do Paraná a partir da década de 80, as nascentes têm sofrido um processo conhecido como assoreamento. Os olhos d’água potável, que sustentavam famílias ou que eram inícios de riachos e afluentes de rios, foram assoreados e muitos até desapareceram. A vegetação que margeia rios e lagos, conhecida como mata ciliar, que é essencial para a preservação dessas nascentes, foi drasticamente reduzida e até mesmo eliminada em alguns locais. Num primeiro momento, o projeto visava à saúde dos agricultores. Em 1996, representantes das associações de moradores do interior do município, juntamente com o Conselho Municipal de Saúde, promoveram um debate sobre o alto índice de verminose da população rural. O agricultor Pedro Josino Diesel, que na época era presidente da comunidade do Cruzeirinho e membro do conselho, sugeriu que o problema era causado pelo consumo da água vinda das nascentes, fato que foi confirmado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente da época. A solução para o problema exposto foi a recuperação das nascentes, utilizando solo e cimento, bem como o plantio da mata ciliar, com orientações da Emater e Sanepar.

Objetivo Geral

Sensibilizar e mobilizar a população a fim de promover a recuperação, bem como a preservação dos recursos hídricos naturais, para que o nosso desenvolvimento seja sustentável.

Objetivo Específico

-Recuperar nascentes de água que estão degradadas e suas respectivas matas ciliares, localizadas nas propriedades de pequenos produtores rurais; -Melhorar as condições de saúde dos agricultores através do fornecimento de água potável; -Evitar o êxodo rural, propiciando a melhora na qualidade de vida dos pequenos agricultores com o aumento da renda familiar, visto que a água das nascentes recuperadas também é utilizada na irrigação de hortaliças e na criação de animais, tanto para consumo próprio quanto para venda; -Utilizar da Tecnologia Social como aula pratica de educação ambiental para os alunos da rede púbica e privada; -Utilizar a TS como ferramenta na formação de agentes multiplicadores, visto que, no momento da implementação, é convidado o maior número de pessoas possível; -Sensibilizar os participantes sobre a importância da existência de outras espécies de seres vivos, tanto da fauna como da flora, que vivem nesse habitat.

Solução Adotada

O método consiste em limpar o entorno da nascente manualmente, colocando-se pedras e, em seguida, instalando-se canos. A cabeceira é vedada com uma mistura feita de solo, cimento e água. As pedras têm a função de filtrar a água. Os canos, de várias espessuras, servem para permitir o escoamento. Em seguida, é feito o plantio de vegetação ciliar nativa, num raio de 50 metros em torno da nascente. A partir disso, o ponto é isolado para evitar a contaminação por produtos orgânicos ou animais. A participação do produtor e de sua família se dá na aquisição dos materiais necessários (quando ele tem condições) e/ou na ajuda com o trabalho braçal, tal como cavar valas e peneirar a terra. Os produtores também colaboram com uma das primeiras providências ambientais tomadas, a limpeza da nascente, com o recolhimento de entulho, lixo e outros materiais nas imediações e, posteriormente, com o plantio da mata ciliar. Para a execução do projeto, orientamos o produtor a convidar todos os vizinhos da sua propriedade, para que, juntos, possam aprender a técnica, objetivando ampliar a rede de agentes multiplicadores da tecnologia social. É de responsabilidade do produtor beneficiado a manutenção periódica do local e a conservação de árvores no entorno da nascente e às margens do seu leito. Sempre que possível, é convidada uma classe escolar para participar na implementação da TS e, no local, é ministrada uma aula prática de educação ambiental para explicar todo o funcionamento da tecnologia. Posteriormente, é efetuado o plantio da mata ciliar com os alunos, no intuito de sensibilizá-los sobre a importância da conservação ambiental. Todo o trabalho é coordenado por voluntários da ONG, sem onerar o agricultor beneficiado.

Resultado Alcançado

É necessário considerar que a água potável é essencial para as diferentes formas de vida, inclusive para seres vivos do meio rural. Resumidamente, estimamos que, com a aplicação e a reaplicação desta tecnologia, mais de cinco mil famílias de pequenas propriedades já foram atendidas com uma fonte de água potável para seu consumo direto e para a manutenção de suas atividades agrícolas. Nesse sentido, afirmamos que especialmente para o agricultor familiar, mais do que qualquer outra categoria, a água potável vinda das nascentes adquire um caráter de extrema importância, pois garante a qualidade de vida da família, já que um percentual elevado desses produtores reside no meio rural e não tem acesso ao saneamento básico. A tecnologia ainda viabiliza o aumento dos ganhos através de atividades típicas da agricultura familiar, tais como irrigação de hortaliças, bovinocultura de leite, piscicultura e criação de animais como aves e suínos. Concluímos que os benefícios da TS não estão relacionados somente à saúde, que foi o que motivou a implementação desta tecnologia, mas principalmente à conservação dos recursos hídricos naturais, ao saneamento básico, à geração de renda e à formação de cidadãos mais sensíveis frente à preservação do meio ambiente. Esta TS também foi certificada pela Fundação Banco do Brasil na premiação de 2011.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Céu Azul / Paraná01/2007
Medianeira / Paraná01/2007
Foz do Iguaçu / Paraná01/2007
São Miguel do Iguaçu / Paraná01/2007
Cascavel / Paraná01/2007
Matelândia / Paraná05/2010
Matelândia / Paraná01/2011
Medianeira / Paraná06/2010
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Agricultores Familiares
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Coordenador1
Auxiliares3
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

-0,50 cm de cano para esgoto (branco) 100 mm; -Um tampão de 100 mm; -0,50 cm de cano para água (marrom) de 25 mm; -Um metro de cano para água 50 mm; -1,50 m de cano para água 25 mm; -Um tampão de 25 mm; -Um saco de cimento; -Um metro cúbico de pedra rachão; -Dez metros quadrados de lona plástica 200 micra; -Cinco latas de solo peneirado.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

R$ 1.000,00

Impacto Ambiental

As águas das nascentes recuperadas no lado norte da cidade entram num Rio chamado Barreirão, que segue para o Rio Ocoí e deságua no Lago de Itaipu, movimentando as turbinas da Hidrelétrica Itaipu, responsável, em 2010, por 16% de toda energia consumida no Brasil e 72% da utilizada no Paraguai. As nascentes recuperadas no lado sul da cidade entram no Rio Silva, que deságua no Rio Iguaçu, formando as Cataratas do Iguaçu, ponto turístico que em 2010 registrou a marca de 1.265.765 visitantes.

Forma de Acompanhamento

A manutenção é feita pela própria família beneficiada, através das instruções repassadas pelos voluntários da ONG. Nos primeiros seis meses, os coordenadores continuam visitando a nascente para identificar possíveis problemas ou simplesmente para observar os impactos sobre o meio ambiente do local. A partir disso, a família está apta a preservar sua própria nascente e os membros da ONG passam a visitá-la eventualmente ou quando chamados.

Forma de Transferência

Este projeto vem sendo aplicado por famílias de diversas regiões e diferentes padrões socioeconômicos. É uma tecnologia barata, cujos principais insumos são canos de PVC, lona plástica e cimento, complementados com materiais encontrados no próprio terreno onde é implantada. Temos atendido vários convites de cooperativas de produtores, sindicatos e prefeituras para realizar palestras sobre a parte teórica e prática da tecnologia, e isso tem sido uma estratégia muito eficaz para transferir a tecnologia a outras comunidades.

Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

Para 2011, nossa meta é uma parceria para implantar um sistema de registro e gerenciamento dos impactos sociais, econômicos e ambientais do projeto, e disponibilizar uma equipe para aplicação da tecnologia, atendendo aos pedidos, que são muitos. Para isso, precisamos viabilizar recursos financeiros. Com todas as dificuldades, procuramos fazer a nossa parte, pois é gratificante e prazeroso ver a alegria das pessoas contempladas com os benefícios trazidos pela tecnologia social. Isto nos motiva a levar o projeto adiante. Conscientes que nosso trabalho é tipo formiguinha, temos certeza que, através do Projeto “Água é Vida”, estamos contribuindo para melhoria da saúde e qualidade vida da população rural, conservação ambiental e desenvolvimento econômico do nosso país.