Redecriar - Joias Sustentáveis na Ilha das Flores

certificada 2011

Instituição
Reciclando a Cidadania em Rede Interdisciplinar (Redecriar)
Endereço
Rua Luiz Manoel Gonzaga 351 - 306 - Três Figueiras - Porto Alegre/RS
E-mail
redecriar@redecriar.org.br
Telefone
(51) 3328-7064
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Andréa Jaeger Foresti(51) 8151-9823andreajforesti@gmail.com
Resumo da Tecnologia

Criar, por meio do trabalho comunitário, joias a partir do reaproveitamento e beneficiamento de embalagens plásticas, gerando trabalho e complemento de renda para moradores de comunidades carentes, promovendo a cidadania.*{ods8},{ods12},{ods13}*

Tema Principal

Meio ambiente

Tema Secundário

Renda

Problema Solucionado

O trabalho é desenvolvido em regiões que apresentam uma população com alto índice de vulnerabilidade social, conceito que abrange não apenas as diversas dimensões da pobreza, mas também o estigma relacionado às suas condições de vida. A intenção do projeto era solucionar o problema da imagem negativa associada aos habitantes da Ilha das Flores, permitindo que, através do trabalho comunitário e sustentável, fossem capazes de melhorar suas condições de vida ao mesmo tempo em que ajudavam o meio ambiente. O trabalho é realizado através do reaproveitamento de embalagens plásticas descartadas, reduzindo a poluição do meio ambiente.

Objetivo Geral

Capacitar membros da Associação dos Ilhéus Ecológicos para o reaproveitamento de resíduos sólidos e a criação artesanal de joias sustentáveis.

Objetivo Específico

- Desenvolver as potencialidades individuais como meio de enfrentamento às demandas coletivas; - Proporcionar o fortalecimento da comunidade local enquanto associação e desenvolver atividades de educação para a sustentabilidade; - Preservar os pequenos espaços socioambientais como forma de proteção ao planeta, possibilitando reflexões promotoras de novos hábitos cotidianos; - Envolver o público atendido na questão do reaproveitamento de resíduos sólidos, subsidiando um programa de geração de renda.

Solução Adotada

Aplicação de ações que comtemplem as dimensões do conceito de sustentabilidade através de técnicas artesanais, tendo como pressuposto a realização de atividades que equilibrem as dimensões social, ambiental e econômica, respeitando as culturas locais. A dimensão ambiental é trabalhada através da técnica de reaproveitamento de embalagens plásticas, partindo da perspectiva de que o plástico é um resíduo sólido com um tempo de decomposição de, aproximadamente, 450 anos. A técnica é constituída de recorte e beneficiamento, por queima e furo das peças, configurando o plástico como matéria-prima para a produção de colares, chaveiros e marca-páginas. Durante a realização deste trabalho, era frequente a realização de debates entre os trabalhadores sobre seu cotidiano, evidenciando situações e a necessidade de geração de renda para suas famílias. O processo de produção coletiva teve como objetivo não só o aumento da quantidade de peças produzidas gerando complemento de renda aos participantes, mas também promover o encontro do grupo semanalmente, criando assim um maior vínculo entre eles. As atividades produtivas foram intercaladas com outras atividades de capacitação para o cooperativismo, permitindo que os participantes se identificassem e percebessem as possibilidades de continuidade do processo produtivo, mesmo após o término do projeto.

Resultado Alcançado

Resultados Qualitativos: uma das questões identificadas junto à população atendida foi a necessidade de se tornar "uma comunidade organizada e unida". Nesse sentido, a TS contribuiu com a formação de uma estratégia, constituída de encontros semanais, de produção coletiva de peças, utilizando como matéria-prima objetos reaproveitáveis que seriam destinados a aterros sanitários. Os encontros semanais constantes atribuíram sentimento de pertencimento social e autonomia aos participantes do grupo. A baixa autoestima de alguns deles vem sendo superada através de ações em prol de sua apropriação de assuntos pertinentes ao atendimento das demandas locais, seu engajamento em encontros e fóruns deliberativos que tratam da definição dos orçamentos públicos e inscrição (por iniciativa própria) em programas que vão desde a alfabetização de adultos a cursos de corte e costura. A metodologia de trabalho coletivo adotada por esta TS também possibilitou a diversificação dos materiais produzidos, através da troca de saberes. Resultados Quantitativos: Em 2009, a produção média era de 200 peças. Estas foram comercializadas em feiras de economia solidária e seus recursos destinados à criação de um fundo para a associação comunitária, distribuídos de acordo com a participação de cada integrante do grupo. Com os recursos destinados ao fundo, foram adquiridos instrumentos de trabalho (alicates, tesouras, agulhas, linhas, terminais e miçangas). Já os valores destinados aos participantes, alguns o empregaram em pequenas reformas em suas casas, outros na aquisição de alimentos, eletrodomésticos e vestuário. Em 2010, a produção média foi de 80 colares e 150 unidades de sabão, sendo os trabalhadores inseridos em um programa oferecido pelo SESC para capacitação de agentes multiplicadores de técnicas artesanais. No começo de 2011, foram formados 13 integrantes da associação comunitária em curso de corte e costura básico, customização de roupas e criação de peças adornadas com técnicas em fuxico e organizado um brechó para comercialização de peças customizadas. A produção média foi de 160 peças, a partir do reaproveitamento de materiais recicláveis. Também foram captadas imagens para produção de um filme, buscando difundir uma nova imagem sobre a comunidade local.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Porto Alegre / Rio Grande do SulBairro Arquipélago - Ilha das Flores04/2009
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
População Ribeirinha
Quantidade: 20
Profissionais necessários para implementação da tecnologia
ProfissionalQuantidade
Assistentes sociais2
Biólogo1
Psicóloga1
Nutricionista1
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

Para o processo de produção: mesas, cadeiras, instrumentos de montagem de bijuterias (alicates de fechamento, corte e furo), fio nylon, miçangas, fechos e resíduos secos (embalagens plásticas, como as de shampoo, detergentes ou amaciantes). Para o processo de capacitação: cadeiras, computador, equipamento de multimídia (datashow), tela de projeção, vídeos de formação para empreendedorismo do SEBRAE, apostila "Instrumentos de Sustentabilidade" da REDECRIAR.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

Se já houver um espaço comunitário equipado (com mesas e cadeiras), o custo total de implementação é de R$ 25.000,00 para capacitar, em média, 20 participantes.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Secretaria da Justiça e Desenvolvimento Social do Estado do Rio Grande do SulPromoveu edital, articulando entidades parceiras que aportaram recursos para o projeto que derivou a TS
UPAN (União Protetora dos Ambientes Naturais)Parceira da Secretaria da Justiça e Desenvolvimento Social, com aporte de recursos para o projeto que derivou a TS
REFAP (Refinaria de Petróleo Alberto Pasqualini)Parceira da Secretaria da Justiça e Desenvolvimento Social, com aporte de recursos para o projeto que derivou a TS
Associação dos Ilhéus EcológicosEntidade onde o projeto foi desenvolvido disponibilizando espaço com mobiliário adequado para o desenvolvimento das atividades
Impacto Ambiental

A TS prioriza o reaproveitamento de resíduos sólidos e reduz o volume de lixo produzido, capacitando moradores da Ilha das Flores para ações de criação e confecção de joias sustentáveis.

Forma de Acompanhamento

Constituído por um ciclo contínuo de ações gestadas pela Redecriar: - Planejamento das ações do projeto e detalhamento do processo aos participantes; - Organização / definição das ações e recursos humanos necessários ao atendimento dos resultados esperados em cada etapa do projeto; - Gerenciamento dos recursos humanos, responsáveis pela execução do projeto; - Controle e monitoramento dos resultados planejados.

Forma de Transferência

Tendo em vista que a TS foi implementada em uma comunidade socialmente vulnerável, em situação de risco social, foi fundamental a realização, em primeiro lugar, de uma ação motivacional para a promoção de uma formação cidadã, partindo da identidade local (neste caso, relacionada ao lixo produzido na Ilha). A transferência é feita por meio de oficinas e cursos pautados na apostila "Instrumentos de Sustentabilidade" (elaborada por Redecriar).

Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Matéria de Jornal 2009download
Dinâmica – Trabalho em RedesBaixar
Dinâmica dos Sonhos e das LamentaçõesBaixar
Dinâmica Carta da TerraBaixar
Encontro com o Representante do DMLUBaixar
Beneficiamento de Embalagens PlásticasBaixar
Beneficiamento de Embalagens PlásticasBaixar
Produção ColetivaBaixar
Produção Coletiva 2Baixar
Produção Coletiva 3Baixar
Colar Cristal Pet PretoBaixar
Colar Cristal Pet MarromBaixar
Resultado da Produção ColetivaBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

Os impactos significativos exercidos sobre as vidas de pessoas necessitam da efetividade de um conjunto de variáveis que estão relacionadas entre si e dependentes de uma estrutura social mais igualitária. Nesse sentido, é possível perceber que os resultados alcançados com projetos sociais promovem resultados limitados na sociedade. Com o desenvolvimento da TS foi possível promover a organização coletiva, perspectivas de mudanças de vida, não somente em relação à dimensão econômica como força motriz, mas em relação à educação como forma de crescimento pessoal, evidenciado na inserção aos estudos, em cursos de técnicas artesanais de corte e costura. A ajuda mútua na resolução de conflitos familiares também se constitui como resultado efetivo da TS sobre a vida dos participantes.